O perdoável e o imperdoável na arbitragem de Santos e Red Bull

apito

O árbitro Rafael Gomes Felix da Silva, para infelicidade do próprio, foi notícia na vitória do Santos diante do Red Bull por três a dois, ao assinalar gol irregular da equipe de Vila Belmiro, quase ao final da partida.

Dois foram os equívocos num mesmo lance: Kayke empurrou com o braço uma bola que não ultrapassou a linha fatal.

Diante do posicionamento da arbitragem (juíz e bandeirinha) o toque irregular do atleta do Peixe é erro imperdoável, enquanto o lance sequencial, diante da complexidade do goleiro ter abraçado a bola ainda em média altura, é passível de absolvição.

Somente com arbitragem eletrônica, necessária nesse tipo de jogada seria possível detectar, com exatidão, o local correto da intervenção.

Diferentemente doutros lances, interpretativos, a câmera na linha fatal evitaria distorções de campeonatos e precisa ser incorporada, o quanto antes, ao cotidiano de nossos campeonatos.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.