Vice do Corinthians utiliza o próprio filho para manobra contábil em campanha a vereador

andre negão, vinicius e esposa - ilha da madeira

Não há limites para os procedimentos suspeitos do vice-presidente do Corinthians, André Luiz de Oliveira, vulgo André Negão, em seu desejo quase impossível de eleger-se vereador de São Paulo.

Na última semana, mostramos, inseriu no item “despesas”, de suas contas eleitorais, clara ajuda financeira (receita) do empresário Paulo Garcia, dono da Kalunga.

Paulo Garcia (Kalunga), que ajudou Andres Sanches (PT), entra na campanha de André Negão (PDT)

Mais de R$ 100 mil registrados, oficialmente, como auto-doação, tornando André Negão o maior doador de sua própria campanha.

Esta semana, porém, o ex-bicheiro, frequentador assíduo de delegacias na condição de preso, investigado pela operação “Lava-Jato” da Polícia Federal por supostamente ter recebido R$ 500 mil em propina da Odebrecht, superou-se na cara de pau.

Em sua lista de doadores, que antes tinha o próprio Negão praticamente como único colaborador (em verdade, Paulo Garcia), surgiu outro benemérito, jogador de futebol sem clube, de nome André Vinicius Lima de Oliveira, coincidentemente, filho do candidato.

R$ 40 mil consta como valor aplicado.

Porém, na mesma data, a campanha do vice alvinegro lançou despesa de R$ 55 mil, pagas a quem ?

André Vinicius.

Ou seja, o “doador”, em tese, lucrou R$ 15 mil ao investir na campanha do próprio pai.

Impossível lembrar de investimento bancário no planeta, lícito, tão lucrativo quanto colocar dinheiro na candidatura do ex-contraventor, o que demonstra, claramente, que os anos de convivência na mesma diretoria, no Corinthians, com o “ilusionista” contábil Raul Corrêa da Silva, gerou aprendizado.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.