Agressões no São Paulo são frutos da promiscuidade de bandidos com dirigentes

ct spfc

Os episódios lamentáveis ocorridos ontem, em que bandidos “organizados” invadiram o CT do São Paulo, depredaram o local, roubaram patrimônio do clube e ainda ousaram agredir jogadores são frutos de uma relação promíscua dessa gente com dirigentes tricolores.

São anos de facilitações em troca da promiscuidade.

Fossem torcedores, de fato, do São Paulo e não de suas quadrilhas (falo de dirigentes e seus grupos e também das “organizadas”) permitiriam que a situação chegasse a tal ponto ?

Que torcedor apaixonado roubaria seu próprio clube ?

Que dirigente “torcedor” permitiria a invasão ?

Sim, ela foi permitida (os cartolas foram avisados antes de que ocorreria, e, temerosos, dois dias antes acionaram a PM, numa espécie de “lavar as mãos”), apenas não imaginaram que a manifestação chegaria às vias de fato.

Porém, como esperar menos de grupos formados pela escória da sociedade ?

Colocar em risco, como fizeram, o patrimônio Tricolor e a integridade física dos jogadores para isentar-se com as “organizadas” é demonstração da falta de grandeza e covardia incompatíveis com os predicados necessários para se tornar gestor de um clube tri-campeão mundial.

Tão cara de pau foi o procedimentos dos cartolas do clube no episódio, que, não porque quiseram, mas por terem sido obrigados, cederam imagens do episódio à polícia, gabaram-se por isso em entrevista, sem, porém, identificar nominalmente um vagabundo sequer dos que vilipendiaram as instalações e a honra são-paulina.

Evidentemente, Leco e seus comandados conhecem a grande maioria dos bandidos, seja por nome ou “vulgo”, mas, por medo ou conivência (talvez o código do silêncio que norteia as ações de grupos que atuam em conjunto), omitiram-se.

Convenhamos, numa situação como esta, o presidente do São Paulo escolher proteger energúmenos em desfavor dos interesses do clube é atitude, por si, inominável.

Se dos covardes “Independentes”, “Dragões” e assemelhados não se pode esperar coisa muito melhor, do comando Tricolor, ao contrário, é necessário comportamento de estadista, de gente decente, mesmo que comprovadamente incompetentes no exercício das funções à que foram designados.

O São Paulo e seus verdadeiros torcedores não merecem coabitar o mesmo espaço daqueles que podem, em poucos meses, entrar para a história como responsáveis, cada qual com sua parcela, de momentos vergonhosos que, até então, somente os adversários haviam enfrentado.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.