Síndrome do “idiota confiante” explica ascensão de Trump e Bolsonaro

trump bolsonaro

Da GAZETA DO POVO

Por SANDRO MOSER

Segundo o pesquisador americano David Dunning, eleitores que não conhecem o limite da própria ignorância aderem mais facilmente a candidatos que fazem promessas irreais

“O problema com o mundo moderno é que os idiotas estão seguros e os inteligentes cada vez mais cheios de dúvidas”.

A frase do filósofo galês Bertrand Russel (1872-1970) foi escrita na década de 1930 como um alerta.

Vencedor do Nobel de literatura em 1950, Russel ganhou notoriedade como defensor da vida criativa, moderna e racional que os totalitarismos de seu tempo (nazismo, fascismo ou comunismo) ameaçavam.

O paradoxo do pensamento de Russel é a base do conceito do chamado “efeito Dunning-Kruger” ou a síndrome do “idiota confiante”.

Trata-se do distúrbio cognitivo dos indivíduos que ignoram o limite da própria ignorância. O conceito foi criado em 1999 em um artigo publicado por dois psicólogos americanos da Universidade de Cornell, Justin Kruger e David Dunning.

“Os incompetentes são frequentemente abençoados com uma confiança inadequada, afiançada por alguma coisa que, para eles, parece conhecimento”, diz trecho do artigo.

Nesta semana, o próprio Dunning publicou no site Politico um texto em que sugere que sua teoria seria a chave para justificar a ascensão do candidato republicano Donald Trump à liderança das pesquisas na eleição presidencial americana.

No artigo, o pesquisador explica como Trump fala grosso, mas mostra desconhecimento completo sobre temas fundamentais do cargo que pleiteia, como o programa nuclear americano ou a política externa do país.

Dunning sugere que parte dos eleitores, em especial aqueles que enfrentam sofrimentos materiais e emocionais, gosta das bravatas de Trump, mas não reconhece suas gafes como erros porque não sabe que elas são erros.

“A única coisa que a gente sabe é o limite do próprio conhecimento. Se você não entende que a verdade é construção histórica e que o ponto de vista do diferente é essencial para conhecê-la, você se torna um ‘idiota confiante’. Isto é cimento para fundamentalismos”, afirma o filósofo e professor de ética da PUC PR Bortolo Valle.

O psicólogo Akim Rohula Neto observa que este tipo de “compromisso com o erro” é uma das marcas da sociedade contemporânea na qual “a opinião se tornou o valor maior”.

“A maior parte de nós faz generalizações sobre temas que não conhecemos nem de longe. Trocamos o conhecimento por uma opinião rasa que passa a ser o real para nós”.

Para Rohula Neto, em momentos eleitorais este efeito “se massifica” podendo justificar o destaque de líderes como Trump ou o ultraconservador deputado federal brasileiro Jair Bolsonaro (PP).

Parlamentar desde a década de 1980, Bolsonaro não tem projetos ou ações importantes no currículo. No entanto, com seus posicionamentos veementes sobre temas como moral ou segurança (mesmo que em descompasso com regras constitucionais), o político já consegue amealhar parcela significativa do eleitorado em pesquisas sobre a corrida presidencial em 2018.

“Quando um candidato sobe ao palanque, o compromisso dele não é com o realismo da proposta. Como líder, ele precisa cativar uma massa com a solução de um problema, pouco importa se ela é real. Sempre foi assim, seja o líder Lula, Stalin, Trump ou Bolsonaro”.

10 Respostas to “Síndrome do “idiota confiante” explica ascensão de Trump e Bolsonaro”

  1. Rodrigo de Freitas (@rodrigofreytas) Says:

    E o que o nobre blogueiro e o tal Sandro Moser sugere?
    O PMDB que se faz de ‘oposição’ ao PT mas concorreu na mesma chapa nas eleições presidenciais passadas? O PSDB, ‘socialistas fabiano’ disfarçados de democratas? Os marxistas leninistas bolivarianos do PSOL, PSTU e extremistas de esquerda?
    Já começou o desespero do centrão (e seus defensores) que a cada dia perde seu poder perante a população?
    Já se dizia num livro milenar:
    “Seja quente ou frio, pois morno eu vomitarei”.
    Prezado Paulinho, já gostei mais do seu blog, quando o nobre blogueiro se preocupava em alertar seus leitores e o brasileiro sobre perigos reais, como a lavagem de dinheiro do crime organizado no transporte coletivo de SP juntamente com fascínoras petistas desde 2002 até os dias atuais com pouca ou quase nenhuma investigação do MP-SP, MPF ou PF…
    E diga-se de passagem, dinheiro sujo inclusive vindo do petrolão e da bancoop….

  2. Edu Pavim Says:

    O blogueiro e e quem escreveu isto tem pelo menos 1/3 do qi do Olavo de Carvalho, por exemplo ?

    Texto lamentável

  3. Luiz Carlos Luchetta Says:

    Primeiro, quem é Sandro Moser? É parente da Ana?
    Lenin ensinou para os idiotas úteis: “acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é”.
    Para não dar muito na cara, o idiota útil xinga aqueles que não pensam igual de “idiota confiante”.
    A esquerda odeia gente que trabalha, que se fez por si, que gera riqueza e fala o que tem que ser dito, sem rodeios. Fala verdades.
    A Clinton está rodeada de escândalos. Não aguenta 5 minutos de debate.
    Por último, quando mais a imprensa bate, mais o cara cresce. O povo não aguenta mais essa vagabundagem. O mesmo acontece com Bolsonaro. Essa porradaria da imprensa de esquerda (redundância, 99% é militante de esquerda) me faz pensar muito no Bolsonaro como candidato. Se essa corja não gosta dele é um bom sinal.

  4. Douglas (@douglaspsousa) Says:

    Como a Caneta Desesquerdizadora disse ” Medo da Esquerda Continuar no Poder”

  5. Luiz Carlos Luchetta Says:

  6. Guilherme Grillo (@gsgrillo) Says:

    Acho que não deveria se mencionar o processo americano neste blog pois o blogueiro não vota nos USA. Nesta próxima eleição será difícil escolher um candidato mas o processo será legítimo. Eu voto em Donald Trump por achar que os projetos fazem mais sentido do que as promessas semi-socialistas da candidata Hillary Clinton. O processo americano é diferente do brasileiro e não deveria ser comparado. No caso do Bolsonaro, as histórias são diferentes. Donald Trump é empresário, Bolsonaro é militar e político. Assim exposto, gostaria de sugerir que o processo americano não seja comparado ao brasileiro uma vez que são completamente diferentes e não afetam a vida das pessoas que moram no país que elegeu a Dilma.

  7. Marina Kirshner Says:

    Alguns na imprensa americana pintam o Trump como louco varrido, e as vezes, as aparencias enganam.

  8. marcelodamooca Says:

    Depois do cárcere, parece q o Paulinho ficou mais “simpatico” aos bolivarianos

  9. Alyson Moore Says:

    Toda base de difamação em partidos de direita são : racismo e homofobia basicamente. Se olharmos a história, veremos o Lenin “acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é”. Hitler um grande desarmamentista do seu povo, se enquadra bastantes nas politicas da esquerda, e é taxado como um direitista. Che Guevara, morreu com um rolex no pulso e matou vários homossexuais, e é taxado como um grande herói da igualdade, aplaudido por grande massa de homossexuais no Brasil. Em 2002 quando eu era garotinho, observava nosso nordeste sendo enganado pelos discursos do Lula e seus comunistas, sindicalistas, e militantes. A mídia foi a principal culpada, a única informação que tinha era a TV nada imparcial, me assombrei bastante quando pesquisei o passado e a ideologia dessa gente, assombrei ao saber que não houve ditadora militar como aprendi na escola, e sim uma guerra civil, o regime militar combateu o comunismo. Mas nada que me assombrou é como hoje, comunismo ainda vivo, ainda pregado, jovens ludibriados com o discurso da “perfeição”. Esquerda ou Direita, precisamos de alguém que combata nosso câncer da corrupção e impunidade, resolvendo isso o Brasil será um grande potência, com um grande IDH em alguns anos. Para isso o politico deve honesto sem marcas de corrupção, e severo para aplicar as leis.

  10. Gafanhoto (@Cafanhoto) Says:

    Não houve ditadura militar? É cada merda que a gente é obrigado a ler nos comentários.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: