dicas do chef

Durante a semana, o ex-vice-presidente do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, fez duras críticas à gestão do “Fielzão”, estádio que o Corinthians apresenta como seu:

“Era para ser um shopping center sofisticado. O que houve? Primeiro, o estádio não está pronto até hoje, tem uns trapos cobrindo o pavimento que deveria ser de mármore, buracos aparecendo no ar condicionado, acabamento bem padrão empreiteira. Isso tudo desvaloriza o produto e o fato dele não ser vendido abaixo o preço.”.

“(…) Mas tudo isso está desarticulado e está sendo tratado com um amadorismo que, infelizmente, dá pena”

“Você optou por comprar uma empresa (estádio) e não está gerindo essa empresa. O Palmeiras garantiu uma defesa contra incompetência (deu o estádio a WTORRE e fica com a sobra), o Corinthians não”.

Ontem, importante associado do clube, que foi candidato ao conselho deliberativo nas últimas eleições, esteve em Itaquera, e constatou, não apenas o abandono administrativo do estádio, mas esquema de sonegação de impostos em lanchonetes que, mal e porcamente, servem o torcedor alvinegro:

“Estive na Arena. Observei que uma das lanchonetes “DICAS DO CHEF” trabalha em situação completamente irregular”.

“Eles não emitem Cupom Fiscal”.

“Cada caixa tem um tablet, uma impressorinha e uma gaveta”.

“Há a impressão de um ticket para retirar o lanche. Você entrega o papel e pega o lanche, mas não recebe nenhum comprovante”.

“Devem estar sonegando ICMS, PIS, COFINS e IRPJ”.

“Além disso, apesar de novas, as lanchonetes não se preocuparam em colocar mesinhas ou pelo menos algum suporte para que o torcedor possa consumir sua compra (lanches, refrigerantes, etc.). A única opção é comprar e ir comer nas cadeiras (do estádio). Além de desconfortável, o estádio fica uma imundice, já que não há locais para jogar copos e restos de alimentos”.

O associado reclamou, também, do abandono do estacionamento do “Fielzão”:

“A entrada do estacionamento é outro absurdo! Em vez de colocarem cancelas que seriam abertas passando, por exemplo, os cartões do “Fiel Torcedor” ficam dezenas de pessoas verificando os dados manualmente.”

“É tanta gente que um deixa para o outro e algumas vezes ninguém confere se o estacionamento foi comprado ou não. Além disso, a iluminação do local é muito ruim.”.

Facebook Comments
Advertisements