Pela primeira vez, grupo de “situação” avalia a possibilidade de perder as eleições do Corinthians

sangue andres

Desde 2007, quando a gestão Dualib caiu em desgraça, o grupo “Renovação e Transparência” tem encontrado facilidade para vencer eleições no Parque São Jorge.

Nos bastidores, o trabalho de vincular todo e qualquer nome a ser lançado aos pleitos alvinegros com o de Andres Sanches (popular com a torcida), assim como ocorre com o PT de Lula (adorado pelos ‘bolsistas” brasileiros) até então estava dando resultado.

De pouca expressão no Parque São Jorge, Gobbi foi eleito dessa maneira.

Esperava-se, até com alguma soberba, o mesmo resultado com Roberto “da Nova ” Andrade, ainda menos relevante.

Porém, alguns fatores acabaram por mudar o que, na cabeça dos situacionistas, era dada como vitória certa, favas contadas, entre os quais a divisão entre “gobbistas” e “Andresistas”, introduzindo no grupo, pela primeira vez em oito anos, o medo real de perder as eleições.

Além disso, o candidato escolhido, Roberto “da Nova”, era muito pior do que se esperava, não consegue se expressar com clareza (a campanha, de fato, é feita pelo vice, André Negão, que possui altíssima rejeição entre associados), e é refém, ainda, dos equívocos e maus-feitos de sua passagem na diretoria de futebol.

Por fim, o adversário, que se esperava fosse o mesmo das vezes anteriores, foi trocado por um nome mais forte, absolutamente identificado com o clube, e, principalmente, muito mais arrojado na condução da campanha.

Citadini está a todo momento na televisão, na internet, no rádio e, em vez de partir para ataques pessoais, tem espalhado por todos os cantos que comparece, propostas claras e reais de mudança de rumo na gestão alvinegra.

Enquanto isso, deitado em berço esplendido, e até por isso, sob a sombra de um Andres Sanches hoje mais preocupado com a política de Brasília do que a do Parque São Jorge, Roberto Andrade não se preparou para o combate.

Hoje o candidato situacionista sequer planejou o que falar, seja pela falta de propostas (ninguém sabe, até então, o que pretende) e também a extrema dificuldade de encontrar razões, reais, para atacar um adversário que passou quatro anos na diretoria de futebol sem ao menos uma insinuação de desvio de conduta.

A eleição ficou difícil para a sempre confiante chapa “Renovação e Transparência” que, pela primeira vez, avalia, internamente, a possibilidade de derrota.

Facebook Comments
Advertisements

18 Replies to “Pela primeira vez, grupo de “situação” avalia a possibilidade de perder as eleições do Corinthians”

  1. Já vão tarde. Você acha que realmente a chapa de Citadini pode ganhar? Será que na hora as pessoas que dizem que vão votar nele não são aquelas que não aparecem?

  2. Sou Palmeirense e gostaria que o grupo de Sanches ganha-se assim continuava com aquela bagunca

  3. Voce que vai votar o tal Roberto vai ser a dilma do lula é isso que vc quer para o clube,ou o pita do maluf ,chega né

  4. Andrez ,

    Faz um favor ao povo , vai para a Indonésia e fica no lugar do traficante que está preso para ser fuzilado.

  5. esta situação é uma cambada de bandidos que querem roubar o clube chega ACORDA POVO CORINTHIANO

  6. Citadini, propostas claras e reais?

    Como assim?

    Disse que irá acabar com a farra de empresários e tem do seu lado os Garcias dono de meio time do Corinthians…

    Aonde está a “claridade real” nisso?

  7. O André N está dando expediente diuturnamente no clube.
    Na eminência de perder sua fonte de renda tem obrigado a todos os sanguessugas a vestirem a camisa.
    Se ele perder o contrato de R$ 35.000 do turista da Ilha da Madeira e participação em outros tantos negócios, a vida dele vai se complicar.
    Ele ganha no atacado e os que pegam as migalhas entram no esquema para garantirem o s ingressos para jogos e shows e também o arrozinho com feijão…

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.