Advertisements

Obras da Copa: irresponsabilidade que custa vidas

575bb-2014fielzao02_0c25c325b3pia

Não é de hoje que o leitor inteligente sabe, alertado pelos que fazem bom jornalismo, a equação exata das obras dos estádios da Copa do Mundo.

Orçamento baixo, superfaturamento na sequencia, atraso proposital na execução, dinheiro público derramado para impedir o vexame da não inauguração, novo atraso, mais liberação de dinheiro, e por ai vai.

Sofrem com essa matemática, o povo, novamente roubado, e os funcionários das obras, que, em condições desumanas, são obrigados, a toque de caixa, no final, a correr com o trabalho, ficando à mercê de terriveis acidentes.

Oito são os mortos nas obras do Mundial.

Três deles, somente no “Fielzão”.

Fruto da ganância, irresponsabilidade e conivência dos órgãos que deveriam investigar, e impedir, esse tipo de situação.

Culpar o acaso – como dirigentes querem deixar transparecer em notas oficiais de pesar como causa das tragédias – é minimizar demais acontecimentos que, certamente, poderiam ter sido evitados.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: