Advertisements

Jornalista goiano denuncia fraude em licitação de Prefeitura do PT. Imprensa do Estado se cala

Por CLEUBER CARLOS

 
Prefeito de Goiânia Paulo Garcia
O blog do Cleuber Carlos teve acesso exclusivo aos documentos que comprovam as fraude em uma licitação realizada pela prefeitura de Goiânia na gestão do prefeito Paulo Garcia.
Goiânia foi sede das Olimpíadas Escolares de 2010. Para a realização do evento foi firmado um convênio  entre o (COI) COMITÊ OLÍMPICO BRASILEIRO e a PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIÂNIA. O processo Licitatório de escolha pela prefeitura de Goiânia para a contratação de empresa especializada em realização de eventos esportivo foi fraudado, como vamos demostrar, passo a passo com provas documentais. 
 
Para Entender a Lei

LEI Nº 8.666, DE 21 DE JUNHO DE 1993

Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração …
Art. 90. Frustrar ou fraudar, mediante ajuste, combinação ou qualquer outro expediente, o caráter competitivo do procedimento licitatório, com o intuito de obter, para si ou para outrem, vantagem decorrente da adjudicação do objeto da licitação:
Pena – detenção, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa.
A fraude licitatória é, das espécie de improbidade administrativa, a que causa maiores lesões ao erário (art. 10, da Lei no 8.429/92) e viola todos os princípios constitucionais da Administração Pública.
Qualquer conduta suscetível de macular os ditames da impessoalidade, tendente a marginalizar competidor, em qualquer etapa do procedimento, pode culminar em defraudação licitatória.
O PEDIDO E A AUTORIZAÇÃO
O pedido para liberação do dinheiro para a realização do evento partiu do então Secretário Municipal de Esporte e Lazer da prefeitura de Goiânia, Luiz Carlos Orro. No dia 02/06/2010 o Secretário enviou ofício ao prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, solicitando a liberação de R$ 2.346.325.17 (Dois Milhões, trezentos e quarenta e seis mil, trezentos e vinte cinco reais e dezessete centavos) para a realização das olimpíadas Escolares.
O prefeito Paulo Garcia despachou no próprio oficio no dia 10/06/2010 autorizando a liberação de 50% do recurso solicitado. 
 
Logo vem a pergunta: Como é possível realizar um evento com a metade dos recursos considerados necessários pela secretária de esportes de Goiânia? Teria a prefeitura  conseguido recursos de outra forma ou o valor solicitado era superior ao necessário?
Termo de Referência
Luiz Carlos Orro
Sabendo do valor autorizado pelo prefeito para a realização do evento, a prefeitura de Goiânia começou a montar o processo para a licitação. O primeiro passo é realizar uma pesquisa de mercado para elaborar o termo de referência para o edital.
 Objeto: Realização do evento Olimpíadas Escolares 2010 – 15 a 17 anos, em Goiânia, 03 a 12 de dezembro de 2010.
 
Termo de Referência – Descrição dos Serviços/Equipamentos/Materiais: Valor total orçado pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer: R$ 1.173.162,58 (Hum milhão, Cento e Setenta e Três mil, Cento e Sessenta e Dois Reais e Cinqüenta e Oito Centavos), envolvendo os itens:
– Locação de Equipamentos               R$ 45.419,92
– Locação de Serviços                      R$ 88.019,84
– Recursos Humanos                        R$ 593.672,37
– Higiene e Limpeza                          R$ 9.391,30
– Informática                                   R$ 14.380,10
– Locação de Espaço Físico               R$ 361.636,00
– Móveis e Equipamentos em Geral     R$ 60.643,05
Para elaborar o Termo de Referência a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer se baseou em 03 orçamentos fornecidos pelas empresas:Poly Promoções e Eventos Ltda, Hicatur Passagens, Transporte e Turismo Ltda e Data Eventos Promocionais Ltda.
Coincidentemente foi o mesmo valor R$ 1.173.162,58 apresentado pela Poly Promoções e Eventos CNPJ 00.113.925/0001-49 em seu orçamento de 21 de Julho de 2010.
A Planilha de Secretaria Municipal de Esporte e Lazer tem os mesmos valores, mesmos padrões de letras, disposição. A impressão que se tem é que a mesma planilha usada pela Poly Promoções foi copiada e apenas a Logomarca da Prefeitura foi colocada no mesmo arquivo.
Resumindo a Planilha do Termo de Referência de Prefeitura de Goiânia é uma cópia fiel do orçamento da empresa Poly Promoções e Eventos Ltda. CNPJ 00.113.925/0001-49.
Verônica – Filha de Hideraldo
O orçamento da empresa Poly Promoções e Eventos é assinado pela Sra. Verônica Garcia Santana Martins, sócia proprietária da empresa com 99% das cotas.
 

POLY PROMOÇÕES E EVENTOS CNPJ 00.113.925/0001-49: A empresa tem como sócios Verônica Garcia Santana Martins CPF 004.383.111-75 com 99% das cotas e Agnaldo Ferreira CPF 279.399.281-04 com 1% das cotas.

A empresa é gerida pelo seu procurador Hideraldo Jorge Santana Martins CPF 167.466.601-25, pai de Verônica e proprietário da empresa na prática. O endereço da empresa é Rua T-31 N. 66 Setor Sol Nascente CEP 74210-122 Goiânia – Goiás Fone (62) 3285-3899.

 
Wesley – Filho de Hideraldo
HICATUR – PASSAGENS, TRANSPORTE E TURISMO LTDA CNPJ 37.590.064/0001-08. A empresa tem como sócios Hideraldo Jorge Santana Martins CPF 167.466.601-25 (gestor da Poly Promoções) com 98% das cotas e Wesley Costa Martins CPF 736.275.931-20 com 2% das cotas.Wesley é filho de Hideraldo e irmão de Verônica Garcia Santana Martins (majoritária da Poly). Apesar de no orçamento constar o endereço Rua 4, Ed. Parthenon Center N. 515 Sala 1404, Centro Goiânia – Goiás, o real endereço da empresa é Rua T-31 n. 54 Setor Sol Nascente CEP 74210-122 Goiânia – Goiás conforme consta o registro na empresa junto à Prefeitura Municipal de Goiânia – Secretaria de Finanças. Na NFSE da empresa consta o endereço real da empresa. Fica no mesmo endereço da empresa Poly Promoções e Eventos Ltda.
 
Quem rubrica todas as folhas do orçamento é o Sr. Hideraldo Jorge Santana Martins, porém na última folha a assinatura de Wesley Costa Martins é grosseiramente falsificada. A assinatura de Wesley é outra conforme mostram os outros orçamentos assinados por ele em nome da empresa Hicatur.
 
Agnaldo Ferreira Sócio de Hideraldo
DATA EVENTOS PROMOCIONAIS LTDA CNPJ 37.885.142/0001-93. A empresa tem como sóciosAgnaldo Ferreira CPF 279.399.281-04 com 50% das cotas e Felizardo da Nóbrega Machado CPF 013.687.373-15.Este Agnaldo Ferreira é o mesmo que possui 1% das cotas da empresa Poly Promoções e Eventos Ltda. O endereço informado pela Data Eventos é na Rua 3 Esq. Com Av. José Ferreira Pinto, Quadra 6 Lote 05 Jardim Oliveiras – Palmeiras de Goiás – Goiás. O telefone informado (62) 3941-7011 porém é de Goiânia e funcionava na sala do funcionário da empresa Poly Promoções e Eventos, o secretário de Hideraldo Jorge Santana Martins, Wilson Bueno Camargo, no Setor Sol Nascente em Goiânia. Apesar do telefone estar desativado será muito fácil verificar junto à empresa de telefonia GVT onde esta linha estava instalada à época dos fatos.
Quem rubrica e assina o orçamento da Data Eventos é Agnaldo Ferreira, sócio da Data Eventos e também sócio da Poly Promoções e Eventos Ltda.
 
Outro detalhe é que a empresa Data Eventos no papel estava estabelecida no município de Palmeiras de Goiás. O imóvel usado pela empresa era do Sr. Hideraldo Jorge Santana Martins, procurador e real proprietário da Poly Promoções e Eventos Ltda.
Todos os orçamentos, das 03 empresas foram feitos pela mesma pessoa: Wilson Bueno Camargo, secretário do Sr. Hideraldo Jorge Santana Martins. E muito provavelmente o Termo de Referência também tenha sido feito pelo Sr. Wilson.
NOTAS FISCAIS DA POLY PROMOÇÕES E DATA EVENTOS:
Conforme já foi detectado pela Auditoria dos Correios,as notas fiscais das empresas Data Eventos e da Poly Promoções eram emitidas com a mesma grafia, ou seja, a mesma pessoa emitia as notas fiscais das duas empresas. Para reforçar o vínculo que ambas possuíam. Quem emitia as notas era o Sr. Hideraldo Jorge Santana Martins de próprio punho.
EDITAL CONTENDO VÍCIOS PARA FAVORECIMENTO DE UMA EMPRESA ESPECÍFICA:
Conforme consta no Edital, o proponente deverá indicar na proposta o local onde será realizado o evento esportivo, acompanhando de documentos comprobatórios de reserva para os dias de realização dos jogos. Este local deveria ter capacidade para 5.000 pessoas, coberto, com dimensão mínima de 6.712,82 m2.
O único local na cidade de Goiânia capaz de atender a exigência acima era e é o Centro de Convenções. Esta exigência limitou a possibilidade de participação de todas as empresas, exceto aquela que tinha a informação privilegiada e fez a reserva do local naquela data especificada com meses de antecedência.
RECURSOS CONTRA O EDITAL:
Um dos recursos foi impetrado pela empresa Data Eventos Promocionais Ltda. Curiosamente quem deu entrada com o documento na Comissão Geral de Licitação foi o Sr. Erlan Machado Mesquita CPF 526.505.021-34 que à época era funcionário da empresa Poly Promoções e Eventos Ltda. Empresa concorrente da Data Eventos à qual ele estava representando naquele momento. Tudo para dar ar de seriedade no procedimento, mas que na verdade não passa de jogo de cena, já que as empresas envolvidas pertencem as mesmas pessoas. Neste caso claramente temos configurada a formação de quadrilha. Pessoas se associando para fraudar uma licitação.
O recurso é assinado por Agnaldo Ferreira CPF 279.399.281-04 sócio da Data Eventos 50% das cotas e também sócio da empresa Poly Promoções e Eventos Ltda.
Outro recurso foi impetrado pela empresa Trip Locações e Eventos que questiona a necessidade de licitação para o local do evento pois isto já estava definido pelo COB Comitê Olímpico Brasileiro que o local seria o Centro de Convenções de Goiânia e considerava o edital viciado neste ponto.
O terceiro recurso foi feito pela empresa Marcilene de Oliveira Santana que questiona como a empresa Trip a necessidade de indicação do local reservado pois alega que somente o Centro de Convenções de Goiânia poderia atender a esta exigência e da forma como estava o edital somente a empresa que já havia reservado o espaço poderia ser a vencedora, portanto caracterizando um direcionamento para esta empresa ser a ganhadora do Pregão.
Todos os recursos foram considerados improcedentes.
SOBRE O CENTRO DE CONVENÇÕES
 
Como houve grande polêmica sobre o Centro de Convenções e o fato de estar caracterizado o direcionamento para uma empresa vencer o Pregão, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer tentou achar uma solução para não inviabilizar o evento.
O Pregão foi adiado. Ao invés de 12 de novembro de 2010 foi remarcado para o dia 29 de novembro de 2012.
Para tentar resolver o problema do local, o Secretário Luiz Carlos Orro de Freitas encaminhou ofício à Comissão Geral de Licitação informando que o Centro de Convenções havia sido locado pela Federação Goiana de Futebol de Salão no período de 25/11 a 14/12/2010 e que as empresas poderiam participar livremente do Pregão mediante entendimento prévio com a entidade FGFS.
O espaço do Centro de Convenções foi disponibilizado à empresa vencedora do Pregão sob as seguintes condições:
– Pagamento á vista do valor de R$ 327.710,11 para pagamento da locação do espaço físico mais R$ 70.000,00 de caução para cobrir despesas de consumo de energia elétrica, água/esgoto durante o período.
Porém quem assina o documento é o mesmo AGNALDO FERREIRA CPF 279.399.281-04, sócio da empresa POLY PROMOÇÕES E EVENTOS LTDA (VENCEDORA DO PREGÃO) e sócio da empresa DATA EVENTOS. Agnaldo Ferreira à época era Presidente da FGFS Federação Goiana de Futebol de Salão. Porém todos sabem que no futsal goiano quem manda é Hideraldo Jorge Santana Martins e ele escolhe o Presidente mas na prática quem manda é ele.
Vereador
 
Ricardo Teixeira, Hideraldo e Joseph Blatter
Tenho informação segura de que neste caso, há um envolvimento de um vereador, amigo de Hideraldo e ligado ao Futsal. Eu irei revelar o nome deste vereador quando o documento que comprove a sua participação na fraude da licitação chegar em minhas mãos, o que deve acontecer em breve.
O Sr. Hideraldo Jorge Santana Martins envolveu as suas empresas, as que estão em seu nome, de seus filhos, de seu laranja Agnaldo Ferreira para fraudar a licitação da Prefeitura Municipal de Goiânia. Da mesma forma que fraudou a licitação do Mundial de Futsal 2008 onde ele foi o Presidente do Comitê Organizador Local COL e a empresa vencedora da licitação foi a Poly Promoções e Eventos de sua filha Verônica.
 
Rubens Otoni, Hideraldo e Antonio Gomide
Hideraldo Santana é investigado pela Polícia Federal por fraude em Licitações e já foi condenado por fraudar uma licitação na Prefeitura de Goiânia. Todos os documentos em poder do blog serão encaminhado ao Ministério Público do Estado de Goiás.
No vídeo abaixo o próprio Hideraldo gravou em seu escritório, o pagamento em dinheiro,  do que seria  “propina” a um agente público do norte do pais.

Segue abaixo matérias relacionadas ao caso Hideraldo Martins Santana
Hideraldo teria Usado a Família Para Fraudar Licitação do Mundial de Futsal

Ex Dirigente da CBFS Hideraldo Santana Na Mira da Polícia Federal

Hideraldo Santana Pode ter Lucrado 7 Milhões de Reais com a Realização do Mundial de Futsal

Hideraldo Santana e Seu Sócio Agnaldo Ferreira Já Foram Indiciados Pela Polícia Federal
 

Hideraldo Santana, Ex Dirigente da CBFS Já Foi Condenado a Prisão

 

Hideraldo Santana Pede Indenização Para CBFS

 

Como Hideraldo Santana Usou a CBFS Para Direcionar Dinheiro Público Para Suas Empresas

 

Polícia Federal Investiga Hideraldo Santana Por Falsificação de Documento

Advertisements

Facebook Comments

20 Responses to “Jornalista goiano denuncia fraude em licitação de Prefeitura do PT. Imprensa do Estado se cala”

  1. anti corru_PT_os Says:

    Tinha que ser a MÃE das Curica

  2. ROBERTO MANDROVANNI Says:

    Não sei em que mundo vcs vivem.

    Isso acontece em todas as prefeituras.

    Licitações já com o ganhador acertado antecipadamente.

    Eu conheço um rapaz que ganha dinheiro participando de licitações sem ter um parafuso para vender, o cara tem algumas empresas e usa as mesmas para entrar nessas licitações apenas para dizer que houveram empresas concorrentes, mas ele mesmo não tem um prego para vender.

    Juntam 03 ou mais empresas, valores já acertado antecipadamente entre elas e quem irá ganhar, eles já tem a informação dos valores de referência, a empresa que irá ganhar a licitação faz o acerto R$ com os que foram lá só para fazer de conta e todo mundo sai contente…

    Num dia desse de licitação “faz de conta” ele não sai com menos de R$ 500,00 na carteira, 500 aqui, 1.000 ali, chega a ganhar mais de R$ 10.000,00 por semana, como ele diz, semana fraca da para tirar de R$ 5.000,00 a R$ 7.000,00…

  3. agnosticuzinho Says:

    Mandrovanni, dá pra ver o seu tipo pelos “conhecidos”. Vivemos todos nesse mesmo mundo de merda que vc, mas muitos ainda remam contra esta maré podre e fétida…

  4. Jesus Says:

    Coloca mais este no seu Blog:

    Tucano gasta 11 salários mínimos em uma refeição e com dinheiro público

    O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) apresentou uma conta de restaurante recorde para ser paga pelo Senado com dinheiro público. O valor foi de R$ 7.567,60 gastos em uma refeição na churrascaria Porcão, uma das mais caras de Brasília. A conta ultrapassa o valor de onze salários mínimos.

    O gasto torna-se mais gritante pelo contraste com o discurso de seu colega de Senado por Minas, Aécio Neves, falando em cortar gastos públicos. Os gurus econômicos tucanos falam até em gerar desemprego com os cortes, o que eles chamam de “choque de gestão”. Também contrasta com as críticas tucanas ao programa Bolsa Família, com o agravante de a Paraíba ser um dos Estados onde este programa tem mais impacto na superação da pobreza dos cidadãos de baixa renda.

    Ah! O valor também equivale a uma tonelada do feijão da propaganda partidária do PSDB na TV veiculada recentemente. Na propaganda, querendo inflar a inflação, mostrou uma simpática paraibana dizendo que o quilo do feijão custava R$ 7,00 em Campina Grande (na verdade, nas prateleiras do varejo na cidade o produto era encontrado por pouco mais de R$ 2,00 até pouco mais de R$ 4,00, dependendo do estabelecimento).

    O almoço de R$ 7,5 mil aparece no portal da Transparência do Senado, como é exigido por lei, e foi noticiado pelo jornal “O Estado de São Paulo”. Ao jornal, a assessoria de Cássio Cunha Lima procurou justificar como motivo o banquete ter sido no dia de uma homenagem no Senado ao seu pai, Ronaldo Cunha Lima, já falecido. Para a homenagem vieram à Brasília parentes e pessoas próximas. Resta saber se o distinto público, sobretudo os cidadãos paraibanos, concordam com tais festanças serem feitas com dinheiro público e neste montante.

    Outro recorde de gastos com estas verbas indenizatórias é do senador Aécio Neves (PSDB-MG) com aluguéis de escritório político em Belo Horizonte. Em agosto de 2013, o Senado pagou R$ 8.831,11 pelo aluguel, mais R$ 3.564,41 pelo condomínio e R$ 719,69 pelo IPTU, totalizando R$ 13.115,21.

    No mesmo escritório, o senador ainda gasta com o dinheiro público do Senado R$ 243,89 para acesso à internet, quando encontra-se no mercado planos que atendem perfeitamente as necessidades por menos de R$ 80,00 em Belo Horizonte, o que dá mau exemplo pela displicência com o dinheiro público.

    Assim, o tal “choque de gestão” tucano vira uma versão do popular “faça o que eu digo, não o que eu faço

  5. Lampião - GAIVOTAS DA FIEL, é do CURINTIAAAAAAA Says:

    Vixi

    lá vem o PEIXOXOTA defende-los

    5,4,3,2,1….. Já!!!!

  6. Dagoberto Says:

    Sei que você Paulinho muito democrático quando fala do PT, e vai boicotar este comentário, mais porque você Paulinho, não fala das
    falcatruas do seu partido PSDB, corrupção no rodo anel, saúde, priva taria, compra de votos para eleger FHC, metro, você que ser diz democrático.

  7. Luiz Says:

    Esse dagoberto é baba ovo do pt…

    O fumo tá dentro e ele ainda acha bom…

    Um erro não justifica outro. Não é por que FHC, Itamar , Sarney roubaram que temos que aceitar eternamente os políticos roubando.

    Dagoberto, espero que na próxima eleição, acerte seu voto, até o dia que possamos ter políticos honestos, temendo não serem eleitos se roubarem…

  8. Sou Corintiano Corrupto e Safado Says:

    Os petebas estão roubando na cara dura para fazer seu pé de meia. A ¨zelite¨esta mudando de cara, os ¨barbudinhos¨ comunistas estão fazendo fortuna. Isso lembra muito a antiga URSS.

  9. Marco_Palmeirense Says:

    O JUDAS com seu pagamento “30 moedas” que recebe do PT sempre aparece vomitando seu lixo mental de petralha fracassado, quando o Paulinho denuncia alguma das milhares de falcatruas do PT, ele aparece para emporcalhar o blog.

    JUDAS (jesus) lixo humano é assim, militante comprado não tem moral nenhuma para falar de tucanos e outros da oposição.

  10. Osvaldo SEP Says:

    Eu não entendo uma coisa, PETRALHAS vomitam que FHC comprou a reeleição, mas a reeleição dele foi nas urnas, não dava pra ele comprar mais de 30 milhões de voto.

    Não bastasse isso, se eles criticam tanto a reeleição, porque os PETRALHAS usam sempre que podem ? Ela não é ruim ?

    Aí aparece o JUDAS querendo comparar uma denuncia de MILHÕES com uma conta de 7 mil.

    É hilário.

    JUDAS, quando a Guerrilheira gastou de diarias em New York ? Isso voce não fala, porque depõe contra, voce é hipócrita, lingua de aluguel, alias, historicamente.

  11. Osvaldo SEP Says:

    Dilma Rousseff gasta dez mil dólares em diária de hotel
    ADJORISC 27/09/2013 02h00

    A presidenta Dilma Rousseff chegou à Nova York na última segunda-feira (23), onde se hospedou na suíte Tiffany (da Tiffany & Co), a qual custou US$ 10.000 (dez mil dólares) a diária aos cofres públicos. Segundo o site da UOL, o espaço luxuoso do Hotel Saint Regis foi reservado para que Dilma participasse da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Rousseff procurou a suíte presidencial, mas o local já estava ocupado.

    LUXO PARA A PRESIDENTA DILMA

    No dia 17 do mês de junho, a Folha de São Paulo publicou uma matéria referente aos gastos de Dilma com viagens. Segundo os dados, em março, na reunião dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), a suíte oferecida pelo Hotel Beverly Hills (África do Sul) à presidenta foi considerada pequena pela embaixada brasileira. Contando que o espaço seria o equivalente a duas residências do programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal. Diante da pequinesa do local, a comitiva optou pelo Hotel Hilton.

    Mesmo com o subsídio financeiro dos anfitriões que bancaram parte das diárias de cinco dos 74 quartos reservados, US$ 94,1 mil (dólares) saíram dos cofres públicos para saldar a hospedagem,de acordo com os documentos do Itamaraty,o qual, por determinação do governo serão mantidos em sigilo, até o fim do mandato de Dilma.

    Outro gasto citado foi a viagem deste ano para a Itália, na inauguração do papado de Francisco, quando a presidente preferiu um hotel a ficar na embaixada, onde foram gastos € 64,6 mil euros só com aluguel de veículos e € 11 mil para o Audi blindado com motorista que conduziu Dilma por quatro dias.

  12. Alessandre Says:

    Prepare-se para mais um processo, Paulinho.

    E prepare-se para mais uma vitória, hahaha!

  13. Osvaldo SEP Says:

    JUDAS…PARA NÃO FALAR SÓ DA IMPRENSA NACIONAL

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/03/130325_dilma_viagens_gastos_joao_rw.shtml

    Escalas em viagens internacionais da presidente Dilma Rousseff em que ela não teve compromissos oficiais e, em alguns casos, realizou passeios turísticos custaram R$ 433 mil aos cofres públicos.

    O valor inclui despesas apenas com hospedagem e diárias em visitas a Atenas (Grécia), Praga (República Tcheca) e Granada (Espanha), que ocorreram durante escalas de viagens de Dilma e sua comitiva à Ásia

    Em nota, a assessoria da Presidência disse que as visitas da presidente a Atenas, Praga e Granada foram “escalas obrigatórias de caráter técnico”, programadas conforme os limites de autonomia do avião presidencial.

    Dados do Ministério de Relações Exteriores obtidos pela BBC Brasil por meio da Lei de Acesso à Informação revelam ainda que as 35 viagens presidenciais em 2011 e 2012 custaram R$ 11,6 milhões. Desse montante, R$ 7,8 milhões se referem a gastos com hospedagem e R$ 3,8 milhões a despesas com diárias, item que inclui alimentação e transporte. Os valores incluem também gastos com a preparação das viagens.

    A viagem sem compromissos oficiais de Dilma mais cara, ao custo de R$ 244 mil, foi para Atenas, em abril de 2011. A presidente e sua comitiva passaram uma noite na capital grega antes de prosseguir para a China.

    Na ocasião, ela visitou o Partenon, um dos principais pontos turísticos do país, e fez visita de cortesia ao então premiê George Papandreou. Interpelada por jornalistas, ela se recusou a responder perguntas, dizendo estar “a passeio”.

    Na volta da viagem à China, Dilma parou em Praga. A escala, que durou duas horas, custou R$ 75 mil.

    Em março de 2012, a presidente voltou a fazer escala prolongada em viagem à Ásia. Antes de ir à Índia para uma cúpula dos Brics, ela passou por Granada, cidade turística no sul da Espanha.

    Acompanhada pelos ministros Aloízio Mercadante (Educação) e Antonio Patriota (Relações Exteriores), Dilma visitou a Alhambra, complexo de palácios de arquitetura mourisca considerado patrimônio da humanidade pela Unesco.

    A viagem, que durou cerca de sete horas, custou R$ 89 mil. Os gastos da comitiva que acompanhou o ministro de Relações Exteriores somaram outros R$ 24,5 mil.

    A primeira lista que o Itamaraty enviou à BBC Brasil com gastos de todas as viagens presidenciais continha ainda despesas em Marrakech (Marrocos) e Amã (Jordânia), ocorridas entre março e abril de 2012, mesmo período da viagem de Dilma à Índia.

    Após a Presidência ser avisada da reportagem, o ministério enviou nova tabela, excluindo as despesas nas duas cidades. O órgão não explicou a mudança. A presidente, no entanto, não visitou os dois países

    A assessoria do Planalto não respondeu que critérios nortearam a composição da comitiva presidencial nas escalas em Atenas, Praga e Granada e nem por que Dilma foi acompanhada por ministros em passeios turísticos.

    Segundo a assessoria de Dilma, as escalas não foram incluídas na agenda oficial porque apenas o local de partida e o destino final das viagens presidenciais são registrados.

    O órgão afirma ainda que a presença da presidente em qualquer ponto do Brasil ou do exterior, independentemente do tempo de permanência, “deve ser precedida por equipes com profissionais responsáveis por garantir sua segurança e o atendimento das necessidades da comitiva, o que explica a ocorrência de despesas com essas equipes técnicas”.

    Na semana passada, os gastos da viagem de Dilma a Roma para a posse do papa Francisco geraram críticas e pedidos de explicação entre opositores. A visita, que custou R$ 324 mil, durou três dias.

    Outras viagens presidenciais tiveram custos muito mais elevados. Em dezembro de 2011, uma visita de Dilma a Paris que também durou três dias custou R$ 1,23 milhão. A presidente se hospedou com sua comitiva no hotel Bristol, um dos mais luxuosos da capital francesa.

    A viagem de Dilma a Londres durante as Olimpíadas, em julho de 2012, custou R$ 1,08 milhão. Em setembro de 2011, uma visita a Nova York durante a Assembleia Geral da ONU custou R$ 917 mil, gasto ligeiramente superior a visita à mesma cidade no ano passado (R$ 884 mil).

    Em suas viagens, Dilma tem optado por pernoitar em hotéis, evitando se hospedar nas casas de embaixadores brasileiros.

    A viagem mais barata da presidente, em junho de 2011, foi para Assunção, capital paraguaia. A visita, durante cúpula do Mercosul, durou um dia e custou R$ 84 mil.

  14. Jesus Says:

    Aí, vejo algumas jumentices colocadas pelo nosso Exú e eu não resisto.
    A anta posta um texto dizendo que se trata da imprensa internacional. Vejamos, o texto é escrito por João Fellet que nasceu em São Paulo em 1985. Formado em Jornalismo pela USP, trabalhou na Folha de S. Paulo, e colaborou, a partir do Brasil e de países africanos, com revistas da Editora Abril e com O Estado de S. Paulo. Atualmente é repórter da BBC em Brasília.
    KKKKKKKKKKKKKKKK, Exú, você não está correspondendo aos seus patrões engomadinhos.

  15. Jesus Says:

    Notícias da Imprensa Internacional:

    Suíça arquiva investigação de três suspeitos no caso Alstom

    Cansados de esperar pela cooperação de seus colegas brasileiros, procuradores da Suíça que investigam negócios feitos pela multinacional francesa Alstom com o governo do Estado de São Paulo arquivaram as investigações sobre três acusados de distribuir propina a funcionários públicos e políticos do PSDB.

    Em fevereiro de 2011, a Suíça pediu que o Ministério Público Federal brasileiro interrogasse quatro suspeitos do caso, analisasse sua movimentação financeira no país e fizesse buscas na casa de João Roberto Zaniboni, um ex-diretor da estatal CPTM.

    Lobistas ajudaram a obter contratos em SP, diz e-mail
    Se alguém pagou propina, ele que responda à Justiça, diz ex-presidente da Alstom

    Como nenhum pedido foi atendido, nesta semana autoridades brasileiras foram informadas de que o Ministério Público da Suíça desistiu de contar com a colaboração do Brasil e decidiu arquivar parte das suas investigações.

    Segundo o procurador da República Rodrigo de Grandis, responsável pelas investigações sobre os negócios da Alstom no Brasil, houve uma “falha administrativa”: o pedido da Suíça foi arquivado numa pasta errada e isso só foi descoberto anteontem.

    O Ministério Público da Suíça havia pedido que Grandis fizesse buscas na casa de Zaniboni porque ele é acusado de receber US$ 836 mil (equivalentes a R$ 1,84 milhão) da Alstom na Suíça.

    A procuradoria suíça também pediu que fossem interrogados os consultores Arthur Teixeira, Sérgio Teixeira e José Amaro Pinto Ramos, suspeitos de atuar como intermediários de pagamento de propina pela Alstom.

    Segundo os procuradores da Suíça, Arthur Teixeira e Sérgio Teixeira foram os responsáveis pelos repasses ao ex-diretor da CPTM.

    O Ministério Público estadual paulista, que também investiga os negócios da Alstom, soube da existência do pedido da Suíça e solicitou cópias da documentação ao órgão federal responsável pela cooperação com autoridades estrangeiras, o DRCI (Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional).

    Indagado sobre a situação, o gabinete de Grandis afirmou só ter encontrado o pedido suíço anteontem.

    A Procuradoria da República em São Paulo informou que o gabinete cometeu uma “falha administrativa” ao deixar de anexar a solicitação a outro pedido de cooperação da Suíça, e o documento acabou indo para uma pasta de arquivo de papéis do caso.

    Fora do processo correto, o pedido suíço ficou sem qualquer providência no gabinete por dois anos e oito meses.

    O Ministério Público Federal afirmou que já comunicou o DRCI sobre o problema. Segundo a procuradoria, as autoridades suíças deverão ser indagadas se ainda têm interesse na adoção das medidas quanto aos suspeitos.

    Porém, nesta semana autoridades brasileiras receberam a informação de que os suíços cansaram de esperar e arquivaram as investigações sobre Zaniboni, Ramos e Sérgio Teixeira, morto em 2012.

    Eles haviam sido indiciados pelas autoridades suíças por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro.

    O único que continua sendo investigado é Arthur Teixeira, controlador da empresa Gantown, sediada no Uruguai, que teria feito repasses da Alstom para Zaniboni entre 1999 e 2002.

    Zaniboni afirma que o dinheiro se referia a serviços de consultoria prestados antes de sua chegada à CPTM.

    E aí Exú, cadê seu patrão geraldo que fica com aquela de rolando lero de: vamos colaborar…vamos apurar….blá, blá….???

  16. Jesus Says:

    Da Imprensa Nacional
    Sem licitação, Alckmin (PSDB) gasta mais de meio milhão de reais do Fundo da Educação para a compra de exemplares da Veja

    O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin comprou 5.200 assinaturas semestrais da revista Veja, sem licitação, para serem distribuídas nas escolas da rede pública. A decisão foi publicada no DOE (Diário Oficial do Estado), o valor contratado foi de R$ 669.240,00, a ser desembolsado em nome da Fundação para o Desenvolvimento da Educação.
    O governo opta pela compra da Veja, sem licitação, mesmo existindo no mercado revistas semanais do mesmo porte, sendo algumas delas mais focadas no conteúdo educativo como Super Interessante, Galileu, entre outras.
    Há também casos de reportagens contestadas pelo meio acadêmico e científico, inclusive com os casos de apologia ao consumo e de remédios para emagrecer que haviam sido proibidos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).
    Entretanto, é notório, que o conteúdo editorial da revista é mais sensível às questões relacionadas ao governo do estado e, menos afeita à sua oposição e ao governo federal.
    Por isso, é preciso que fique claro que projeto pedagógico está sendo implementado para a distribuição compulsória dessa revista, com dinheiro público, tendo em vista que, seu conteúdo editorial. Além disso, há o problema de perfil do público a que se pretende, a Veja sequer está direcionada para a faixa etária dos estudantes.
    Conforme já publicado pela editora Abril, em seu perfil dos leitores que apenas 11% têm mais de dez e menos de 19 anos. A maior fatia de leitores tem mais de 50 anos. Já a pesquisa realizada pela Fundação Perseu Abramo registrou que 37% dos entrevistados se informam pela internet, contra 24% por revistas impressas. A pesquisa ouviu 2,4 mil pessoas de todas as idades acima de 16 anos.
    Se a pesquisa fosse refeita só com a faixa etária de estudantes até o ensino médio, a diferença a favor da internet seria muito maior, pois as novas gerações estão muito mais inseridas nas redes sociais.
    Diante desses fatores, é muito provável que grande parte dos exemplares fiquem encostados em vez de serem lidos pelos alunos, revelando, portanto, o mau uso do dinheiro público.

    Pode isso Arnaldo?

  17. Osvaldo SEP Says:

    JUDAS, VOCE VIU O LINK ? BBC.CO.UK

    É BRASIL ? LATE VIRA LATA….LATE

    CHORA JUDAS

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/10/1362510-suica-arquiva-investigacao-de-tres-suspeitos-no-caso-alstom.shtml

  18. Osvaldo SEP Says:

    JUDAS, TODOS OS GASTOS SÃO COMPROVADOS, E VOCE NÃO PROVOU NADA FALANDO DO JORNALISTA, SÓ CORREU, ENTÃO QUER DIZER QUE OS DADOS ESTÃO CERTOS.

    JUDAS, JA FALEI, ME CHAMAR DE EXU É ELOGIO, AGORA JUDAS….HISTORICAMENTE UM TRAIDOR…AHAHAHAH

  19. A copa é nossa!!! Says:

    http://www.lancenet.com.br/bizz/Mercado-Livre-Brasil-Leandro-Soares_0_1015698567.html

  20. Carlitus Says:

    Quando você perceber que, para produzir precisa obter autorização de quem não produz nada, quando comprova que o dinheiro flui para quem negocia, não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protege deles, mas pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício então, poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.

    (Ayn Rand – filósofa russa – 1905-1982)

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d blogueiros gostam disto: