Advertisements

Flavio “monstrinho” dedura jogadores no Corinthians

Não é de hoje que atletas do Corinthians sentem-se incomodados com a atuação de Flavio Furlan, preparador físico, vulgo Flávio “monstrinho”, filho adotivo do médico Joaquim Grava.

Desde o departamento de base, amparado pela influencia do pai, era considerado “traira”, sendo responsável por demissões, algumas injustas, de profissionais bem mais gabaritados que o próprio.

“Monstrinho não sabe dar o treino mais simples… tem cursos importantes, pagos pelo pai, mas, na prática, é uma negação. Não consegue avaliar a necessidade do jogador…”, revelou um preparador da base.

A questão é que, mesmo não possuindo o mesmo DNA que Grava, a transmissão de hábitos e costumes nunca foi tão perfeita.

Ou seja, para subir na vida, “monstrinho” não tem limites.

E passou, com anuencia da diretoria, a ser o “dedo-duro” oficial de jogadores na gestão.

Jorge Henrique foi sua vítima mais recente, embora outros casos, quase sempre, são ligados pelos jogadores às suas iniciativas.

Não fosse Furlan filho de quem é, um ex-médico em atividade, com “prestígio” alto na diretoria a ponto de ter um CT com seu nome ainda em vida, e certamente problemas graves já teriam acontecido no Parque São Jorge.

Advertisements

Facebook Comments

13 Responses to “Flavio “monstrinho” dedura jogadores no Corinthians”

  1. Fielzão 2013 Says:

    Algum comentário sobre a desistência do SPFW da Taça BH?

  2. Lampião Says:

    Ele pode ter cometido vários erros, pode não merecer estar como preparador…

    Mas falar que ele está errado em dedurar um bando de jogador mimado, que ganham rios de $$$ e ainda não cumprem a obrigação….nisso ele está certo!

  3. Luciano Says:

    ESSE FLAVIO É UMA MERDA QUE TEMOS AQUI EM GUARULHOS

    Pensa que sabe..mas no fundo não sabe nada de futebol…..

    É mais um dedo-duro da gestão malandres sanchez…….

    Fora os 02 outros funcionarios que estão no PS jorge, que

    ganham fortunas…não fazem porcaria nenhuma e ficam

    dedurando os funcionários para o ANDRE DA SORTE, que

    gosta dos seus puxa-sacos, quer sejam eles funcionários ou
    conselheiros. Esse ANDRE DA SORTE , pensa que o clube
    é quintal da casa dele. Ninguem no clube suporta mais esse
    cara.

    Outro também que ninguem suporta mais é o vagabundo do
    MANÉ DA CARNE, que ganha e vende ingressos para jogo
    do timão no Pacaembu…..Nem lanche ele compra, pois vai
    no vestiario e pega os dos jogadores kkkkkkkkkkkkkkk
    Para com isso MANÉ….MANERA MANÉ MANERA.

    POBRE CORINTHIANS

  4. MOSQUETEIRO Says:

    Lampião Disse:
    maio 13, 2013 às 7:55 am
    Eita curica, racinha viu!!! Gentalha!!

  5. Helvio Says:

    O futebol é pródigo em sustentar uma série de vagabundos feito esse…

  6. oscar Says:

    toco….

  7. Claudio Maia Says:

    Jorge Henrique não precisava nem ser dedurado, a noite já o dedurou a muito tempo.

  8. Sérgio Says:

    Paulinho, só lembrar que o CT tem o nome dele, pq ele estava metendo um baita processo no Corinthians, lembra-se do livro ?
    Do nada ele abriu mão do processo. concidência né ?

  9. Marcos Says:

    Nessa vou concordar com o Lampião!

    Se o cara esta no clube, tem mais é que entregar esses “maus” jogadores que vivem na balada!!

  10. Marcelo Leite Says:

    Paulinho sou um leitor assíduo de seu blog e tenho uma pergunta que não tem nada a ver com futebol para fazer. No início dessa matéria você faz uma colocação de que o preparador físico Flávio Furlan, vulgo Flávio “monstrinho” é filho adotivo do médico Joaquim Grava. Gostaria de saber o porque de colocar essa informação, filho adotivo?Não bastaria colocar somente a palavra “filho”? Filho é filho não importa se é biológico ou não. Está me parecendo que você colocou essa informação de forma pejorativa. Tenho um filho que um dia foi adotado e junto com minha filha são as minhas maiores alegrias. Desde já me desculpo se de alguma forma entendi errado e agradeço se for possível uma resposta. Obrigado!

    Paulinho: Marcelo, caro, Não teve nada de pejorativo, até porque admiro os pais que adotam. A questão é que Grava sempre negou, tanto que o filho nem usa seu sobrenome, o que, por si, demonstra muito da personalidade de ambos.

  11. Marcelo Leite Says:

    Paulinho obrigado pela resposta esclarecedora. Abraços!

  12. Adimilson Anderson Nunes Says:

    […Lampião Disse:
    maio 13, 2013 às 7:55 am
    Eita curica, racinha viu!!! Gentalha!!…]

    kkkkkkkkkkkkkk, isso aqui tá parecendo o SBT reprisando o Chaves, kkkkkkkkkkkkkkkk

    Não acho errado jogadores com comportamento inadequado serem punidos, mas X9 agindo a todo momento, é foda demais.

    ===================

    Acho que para comentar a desistência do São Paulo na Taça BH de Juniores ou da Copa 2 de Julho, o assunto tem que ser esticado para outros clubes que estavam até pouco tempo atrás, “mudos” com a situação.

    Um dos clubes cuja língua estava “travada” é presidido pelo senhor Mario Celso Petraglia. Será que teria algo a ver com a questão do jogador Thiago Mosquito?

    Tão valente o Petraglia, quando ameaçado pelos maiores clubes do país, enfiou o rabo entre as pernas e além de ter que admitir o aliciamento de Thiago Mosquito, então no Vasco (não oficialmente mas numa mesa de reunião com outros dirigentes), teve ainda que assinar um pacto de que não vai mais aliciar jogadores.

    Como o clube da Baixada é um morde-e-assopra dos infernos, a diretiva então, ameaçou também boicotar o São Paulo.

    Explicando.

    Desde 2005, o CAP acusa sem rodeios o São Paulo de querer aliciar jogadores do clube, seja do elenco principal ou das divisões menores. O CAP sempre se comportou como a vítima da situação até tomar gosto pelo “crime” e, assediar o então promissor jogador Thiago Mosquito, anos depois, embora digam que o clube faz isso direto com os clubes do Paraná – e aqui, não tem santo nesta história, já aconteceram de vários lados, jogador saindo da Vila Capanema e indo parar na Baixada, entrando no Alto da Glória vindo da Baixada, enfim, um inferno.

    Voltando a questão de 2005 em diante.

    Dagoberto teria sido um dos “encarregados” a procurar jogadores do CAP, insatisfeitos com o modo como o clube do Joaquim Américo é administrado.

    ===============

    Bola dentro do Palmeiras com Damiani

    Quanto ao Palmeiras, Erasmo Damiani, que hoje parece ser o responsável pelas divisões de base do clube, precisa ter o apoio do clube. Um dos projetos dele é montar uma rede especializada de olheiros e garimpadores de talento. Ao invés do clube alviverde perder tempo em negociatas com Kleber (segundo o fofoqueiro do Perrone, vai saber o que essa Sonia Abrahao da bola disse que é verdade, neste assunto) e dar poder demais ao Brunoro, deveria valorizar o Damiani, que fez um trabalho ótimo no Atlético-PR e no Figueirense.

    E na boa, até quando vai durar as ações ilícitas de José Geraldo de Oliveira em Cotia? Vamos ter que esperar até abril de 2014, quando o mandato de Juju Cachaça se encerra?

    Houve um boato de que ele estaria com olho grande em Xerem. O Flu, não esperou pra ver e, blindou suas principais promessas, tendo que gastar um dinheiro desnecessário por causa deste boato.

  13. NELSON SOUZA Says:

    voce precisa saber do Dr Mario Gimenes , que é medico dessa mesma mafia. ele num vai nunca no clube e ganha muita grana. esse é mais um do esquema. coloca estudante pra atendê a gente e é o dono dos negocio no clube

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: