Advertisements
Anúncios

Jogadores de Futebol e o amor pela favela

Notícias dão conta de que, numa favela do Rio de Janeiro, o jogador Bernardo, do Vasco, foi espancado, torturado e somente não morto por ingerência doutros atletas, Wellington Silva, do Fluminense e Charles, do Palmeiras, que também “festejavam” por ali.

A história contada é de que o vascaíno teria se envolvido com uma das garotas do chefe do tráfico local, que ordenou sua execução.

Por conhecerem as pessoas da favela, Welington e Charles conseguiram, implorando, salvar a vida do amigo.

A grande questão que se levanta desse episódio, além da inaceitável barbaridade, é saber o que três atletas de futebol, de relativa fama e bons salários faziam num local como esse.

Sem falso moralismo, favela é a imagem do inferno na terra, local em que as muitas pessoas de bem que lá sobrevivem sonham em abandonar, quando puderem, e que é adequado apenas para esconder a criminalidade.

Gente de dinheiro, e com fama, tem poucos motivos para frequentar lugar como esse, e a grande maioria o faz para se meter em situações erradas.*

Até visitar parentes, embora compreensível, torna-se uma aventura perigosa.

Para ajudar a comunidade há meios e intermediários que podem perfeitamente conduzir alguma ação.

Favela, hoje em dia, simplificando, é lugar de bandido, habitado por gente de bem, sem recursos para morar em local melhor.

Que são obrigados a aguentar essa gente, calados, por medo, que fingem ter respeito para evitar consequências piores.

Simples, sem hipocrisia.

Os clubes, Vasco e Fluminense, nesse episódio, além de outros, noutros tantos, tem a obrigação de questionar seu jogadores sobre os motivos de frequentarem ambiente claramente criminoso.

E, a desculpa habitual, de ter crescido no lugar ou ter amigos antigos, não pode também ser aceita pelos dirigentes.

Afinal, novamente sem hipocrisia, certamente os tais “amigos” prefeririam muito mais descer o morro e serem convidados a frequentar as novas moradias daqueles que se deram bem do que esperar pelas visitas dos mesmos.

A não ser que tenha droga na jogada, o que, por si, explicaria muita coisa.

Em tempo: este jornalista mora na Zona Leste de São Paulo, em região que não difere muito da citada no texto, e sabe muito bem do que está falando.

*Corrigido

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

49 comentários sobre “Jogadores de Futebol e o amor pela favela

  1. O Bernardo foi sequestrado por se envolver com a mulher do traficante, só não foi morto por conta da “fama” do jogador e possíveis problemas pra comunidade leia-se venda de drogas, a mulher em questão tomou 5 tiros na perna e no hospital disse que foi vitima de bala perdida

  2. Boicote à Máfia Russa, para isso, Boicote às Drogas, para Boicotar o Corinthians.

    É do conhecimento de muitos a relação do Corinthians com a Máfia Russa ao servir de lavagem de dinheiro. Esse dinheiro que é ilegal e, provida das mais diversas práticas ilícitas, incluindo o tráfico de drogas.

    Então ao usar as drogas estamos financiando o Corinthians.
    Portanto não consuma Drogas.
    Não consuma o Corinthians.

    Participe do nosso evento.

    BOICOTE

    curta a nossda página no facebook
    http://www.facebook.com/pages/BOICOTEAqui-%C3%A9-Corinthians/524075277638612

  3. Acho que favela do rio diferente das de s.paulo, lá eh mais aceita, mas o jogador, faz aquela linha bad, tatuadinho, metido a machão, pegador de galinha, amigo de traficante, curtidor do pior da noitada

  4. Paulinho, seu discurso será facilmente taxado de reacionário pela hipocrisia dos politicamente corretos, mas condiz perfeitamente com a realidade brasileira.
    Sou seu fã.

  5. No ponto!!!

    Carlitus Disse:
    abril 26, 2013 às 11:04 am
    Sairam da favela, mas a favela continua dentro deles.

  6. Não generaliza Paulinho. Sou morador da ZL também. Moro no Tatuapé onde não há local que se quer faça lembrar onde o jogador quase foi executado. A infra estrutura aqui é ótima, duas estações do metro, três shoppings, parques municipais, bons restaurantes. Nem sei onde vc mora, pode até ser comparado com uma favela, mas não toda zona leste.

    Paulinho: Falo da maior parte da Zona Leste, evidentemente nada a ver com Tatuapé… moro no Brás…

  7. A mídia diz que o Charles do Palmeiras também estava na festa/favela. Procede?

    Paulinho: Procede. Já até acrescentei no texto

  8. Que ridiculo!
    Então se ele foi na favela é porque foi fazer coisa errada???

    Eu moro no Tatuapé, e se vou em Itaquera, Guaianazes ou Cidade Lider visitar os parentes e amigos, então é pq estou fazendo coisas errradas? Então só eles podem me visitar o Tatuapé, e eu não posso ir até eles???
    Vc mora no Bras e só por isso acha que sabe o que está dizendo?
    Desde quando é só na favela que se encontra coisas erradas? Pro cara aí que falou que mora no Tatuapé, saiba que aqui tb tem ponto de tráfico de drogas, assim em todos os bairros de SP…

    Aí me vem o outro e me fala que é a realidade do Brasil… a realidade é que não importa o bairro, favela ou não… em todo lugar tem gente ruim… Hipocrisia é achar que só na favela tem gente e coisas ruins… inclusive o consumo de droga entre os playboizinhos é tão, ou maior do que na favela!

  9. ”Afinal, novamente sem hipocrisia, certamente os tais “amigos” prefeririam muito mais descer o morro e serem convidados a frequentar as novas moradias daqueles que se deram bem do que esperar pelas visitas dos mesmos.”

    Infelizmente por pessoas como vocês, pessoas de bem da favela são tratadas como marginais, sem saber o que ou de quem estão falando!
    Por isso muita gente deixa de visitar a outra pessoa no lugar em que ela está

  10. Ok, Paulinho.

    Creio ser pertinente sua dúvida, mas seu embasamento para mim é frágil.

    Considere o seguinte:

    Suponha você (sim, você mesmo) consiga ascender socialmente, e possa até sair com toda sua família da Zona Leste para algum lugar bem melhor em Sampa.

    Imagino que na ZL tu tenhas amigos, pois como você bem disse, há gente de bem por aí. E mesmo que não tenha, suponha que tivesse.

    Posso então concluir que na situação descrita neste post, você receberia seus amigos em sua suposta nova residência de muito melhor localização, mas nunca mais iria as casas dos amigos, na ZL, ainda que convidado?

    Com todo o respeito, se fosse amigo seu nesta situação, eu ficaria bastante constrangido.

    De novo: os questionamentos sobre a presença dos jogadores na favela é cabível. Porém associar que alguém que ascenda socialmente não deva jamais pisar em lugares mais desfavorecidos e passíveis de servirem de esconderijo de criminosos também é questionável.

    ainda considero o Blog como um de qualidade.

    Abraço!

    Paulinho: A questão é: óbvio que frequentar o local de origem seria sempre maravilhoso… Aqui em alguns bairros de Sp, até no meu, ainda da para fazer… mas em favelas, com todo o respeito, é arriscar a vida… alterei a frase no texto para me fazer entender melhor…

  11. Acho que você se empolgou um pouco!!
    Lá no Planalto, cidade projetada não é uma favela.

    MAS ESTÃO OS MAIORES MARGINAIS DO PLANETA!

  12. Um absurdo, uma prova de total ignorância. Comunidades não são infernos. Ainda que possam viver muito melhor, muitos são felizes e vivem em confraternização. Conheço pessoas que, inclusive, não deixariam suas casas para habitar a solidão de prédios e condomínios de áreas mais ricas.

    Dizer que nas favelas só tem “coisa errada” é a maior prova de falta de conhecimento e reprodução de discurso alheio que existe. Lamentável.

  13. PIOR Q O PRECONCEITO RACIAL,SÓ O SOCIAL, e gente aqui no blog mostrando a cara….vai entender né???

  14. Nossa, que bando de hipócritas aqui!
    Favela é lugar de bandido, SIM!
    Quem não sai de lá, é porque ou não conseguiu juntar dinheiro ou então está aliado à bandidagem!
    Alguém é louco de morar na favela tendo dinheiro?
    Paulinho está coberto de razão.
    Jogador de futebol NADA EM DINHEIRO!
    Esse Bernardo ganha (quando o Vasco paga…rsrsrs) 300 mil por mês.
    Se ele quiser festejar com seus amigos marginais, ele pode muito bem pagar uma van pra buscar todo mundo na favela e levar pra Barra da Tijuca. Ele pode fechar uma boate e colocar todos os seus amigos favelados lá.
    Vejam o exemplo do “Imperador”. Ele vai pra favela pra cheirar pó, pegar em armas e dar dinheiro pros bandidos.
    Como bem disse o paulinho, Favela é o inferno na terra, é a escória da sociedade, é o que há de mais podre.
    Quem tem condições de sair, SAI RAPIDINHO!
    Falsos moralistas!

  15. Ótimo texto. A mais pura realidade. Quanto ao jogador do Vasco deveria ser demitido. Tá com joelho estourado e vai se recuperar nesse tipo de lugar… A surra foi pouco.

  16. Descabido o post. Não tem o menor fundamento nada do que foi dito.
    Sim, qualquer um pode voltar pra seus locais de origem e ninguém tem nada com isso.
    Não, não é porque se vive em favelas que trata-se de um local perigoso, vimos hoje mesmo aqui em SP que uma dentista foi incendiada dentro da própria clinica, então fora das favelas não é perigoso?
    Não, não é por morar no Bras que o sr tem moral pra falar da ZL, o modo pejorativo que se coloca perante a ZL lhe faz achar que tem o direito de entender de tudo que acontece por lá.
    Sim, algumas pessoas citam bairros etc, como se houvesse alguma divisão de poderes ou de pudores entre eles, está errado, qualquer pessoa de qualquer bairro pode ser um marginal.
    FICO TRISTE AO VER TAMANHO PRECONCEITO SOCIAL SE ESPALHANDO PELA INTERNET DESSA FORMA.

  17. Belo texto que fala toda a verdade sobre este assunto, meus parabeens e estou de pleno acordo com vc.

  18. “André Rizek fala muita asneira na TV”

    Convenhamos, nenhuma empresa privada colocaria o nome dela no estádio do Corinthians por 400 milhões. Pelo contrário, o Esmolão ( Itaquerão ) representa uma das maiores sacanagens que os políticos fizeram com brasileiros e brasileiras. Duvido que tenha empresa do ramo da cerveja e outra da aviação querendo colocar o nome nessa pocilga de estádio.

    O que está acontecendo é a invenção de notícias falsas, espalhadas por pseudos jornalistas. Para que uma empresa pública possa terminar a sacanagem e colocar o seu nome por 400 milhões disfarçando uma extrema-extrema supervalorização dos naming rights do estádio do Corinthians. Um espaço em que com certeza uma empressa de aviação não colocaria o seu nome nem de graça. O espaço para colocar nome do estádio do Corinthians está mais sujo que pau de galinheiro.

    Esperamos que a imprensa chamada de João Sorrisão por alguns se resuma a apenas a ser João Sorrisão, sem adentrar a questão política do futebol. É duro ter que aguentar pseudos jornalistas se tornarem cúmplice dessa sacanagem que estão fazendo com brasileiros e brasileiros.

    participe da nossa página no facerbook
    http://www.facebook.com/pages/SOMOS-CONTRA-O-TIME-DO-GOVERNO/529127983805722

  19. Enquanto brasileiros supostamente bem esclarecidos, como é o caso do Paulinho, continuarem a ter uma visão de mundo tão ingênua, polarizada e elitista, o Brasil não sairá do lixo em que se encontra atualmente. Bairros afluentes e cidadãos de classe média e média-alta também são corruptos e cúmplices de toda uma conjuntura na qual o que é certo quase nunca acontece, com o porém de que nunca são punidos única e exclusivamente devido à sua situação financeira.

    Pra quem concorda com o lugar comum de que “Ciclano saiu da favela, mas a favela não saiu dele”, fica o convite para se inteirar a respeito do comportamento inapropriado de gente afluente quando está no exterior, por exemplo: telefone tocando durante exibição de musical na Broadway, preconceito racial e social fundamentado em mundo virtual, desrespeito às diversas normas e assim por diante.

    Como essa gente tem grana, ninguém fala nada. Não é mesmo, Paulinho?

  20. Eu leio o seu blog a tempos, mas nunca comentei.
    Seu texto está impecável, na verdade, é um tapa na cara desses politicos, artistas, ongueiros e “especialistas” populistas, hipócritas e politicamente corretos que dominam a chamada opinião pública.
    Gente, pelo amor de Deus, coloquem na cabeça de uma vez por todas que favela não é algo bom, muito pelo contrário, favela é ruim, não deveria nem existir, muito menos ser idolatrada por muita gente como a insuportavel Regina Casé.
    Infelizmente elas existem, o que significa que milhares de pessoas, a maioria pessoas de bem tem, não tem outra escolha a não ser viver em uma situação indigna a mercê de criminosos e sendo ridicularizadas pelos ditos progressistas que dizem defendê-los.
    Como foi dito no artigo, se um jogador tem parentes e amigos de bem na favela, por que não os convida para visitá-lo em sua casa, pagando o transporte dessas pessoas que tanto gosta?

  21. Paulinho, me desculpe mas agora vc falou merda comparando a zona leste de Sao Paulo com as favelas do rio de janeiro, a zona leste começa no Braz e vai até onde o vento faz a curva e volta, eu nasci no Belenzinho e nao vejo favelas la.

    Paulinho: Meu caro, falo evidentemente dos locais mais perigosos… o Belenzinho, ao lado do Brás, sei que é relativamente tranquilo

  22. Não tem jeito, por trás desses textos, o velho preconceito sempre aparece…!!! A favela faz mal para os olhos da “elite”…!!

  23. Quando trabalhava na Cia Tel de Sampa,fiz vários atendimentos no Paraisópolis e nunca foi importunado por ninguem. Pelo contrário,sempre fui muito bem tratado. É claro que tem gente ruim lá. Mas acho que as pessôas de bem,são a maioria. Infelizmente,nem todos tem o objetivo de sair dali. Mesmo tendo um bom emprego. É o tal de “comodismo”.
    Mas o lado ruim,repito,a minoria,domina através do medo. Por isso esse preconceito contra a favela.

  24. E quanto ao bernardo,não levou uma surra porque estava na favela. Levou uma surra porque foi mexer com mulher dos outros. Se fosse fora da favela,apanharia do mesmo jeito.

  25. Sem conhecer A, B ou C, posso lhe garantir, que o que ocorreu, foi em virtude do comportamento dos indivíduos participantes deste episódio. A mídia disse que foi por causa de mulher, mas se apurar com mais afinco, descobrirá muito mais caroço debaixo deste angu.

    Educação é tudo, na favela ou fora dela. Talvez, ele não tivesse a sorte de estar vivo, se fosse em uma boate regrada a drogas, frequentadas por granfinos e marginais.

    O filho do Carlinhos de jesus, não morreu em uma favela, ou eu estou enganado!!!

  26. O problema não é local só. É o fato de querer andar com pessoas que má indole. Existem muitas pessoas de bem em favelas, assim como na ZL, não importa onde. A questão é a falta de bom senso desses jogadores, que tem dinheiro mas não sabem o que fazer com ele. Pensam, então, que impressionando as pessoas de onde se inicialmente se originaram, serão admirados. Um exemplo: Adriano, o ex-jogador, alcoolatra em progresso. E não só ele. O Kléber vulgo “Gladiador”, que volta em meia vai procurar problemas e sai em fotos segurando armas e dando panca de “bad boy”. Há tantos exemplos por aí.

  27. Paulinho,
    Pelos relatos, o fato que aconteceu num domingo está relacionado a uma feijoada que ocorreu no domingo no complexo da Maré e da qual participou o Charles, o Welinton eo Bernardo. Depois que o Bernardo teria sido sequestrado junto com a namorada do tal traficante e passado por momentos de terror.
    “Festejavam” como todo ser humano tem direito, independente de ser num bairro como o complexo da Maré ou na Barra da Tijuca.

  28. Direito de ir e vir é inalienável. O clube não em nada a ver com o que o jogador faz em sua folga. Como se o que aconteceu com o Bernardo não pudesse ocorrer em um condomínio de luxo. Ou você acha que um corno da favela é menos vingativo que um corno do Morumbi?
    A questão aqui não é onde ele estava e sim o que ele fez. Se ele tivesse feito o mesmo com a mulher de um ricaço, dependendo da índole desse rico, ele poderia receber algum tipo de retaliação também.
    Nada a ver colocar favela no meio. Isso só demonstra preconceito. Afinal tem um monte de gente de grana que faz turismo em morro do Rio e nada acontece.

  29. Vi muitos comentários de pessoas falando bem e defendendo a vida na favela…fiquei com um remorso enorme pois devo ser muito mal agradecido pois são tantos os benefícios de se morar na favela que tenho certeza muitos trocariam de lugar facilmente comigo. Afinal de contas em que outro lugar encontramos: música de alta qualidade(funk) em um volume que não te permita conversar ou assistir nada dentro da sua casa, traficantes e usuários de drogas agindo livremente 24 horas por dia, gritarias e brigas intermináveis, uma infinidade de bares e igrejas evangélicas, lixo jogado pelas ruas já estreitas, motos roncando pra cima e pra baixo com escapamentos estourados infernizando a sua vida. Esta é a vida na favela, a realidade com a qual convivo diariamente e motivo pela qual trabalho arduamente para me livrar deste tormento. E alguns vem falar em solidariedade entre os moradores na comunidade… conversa mole..o ser humano se lixa um para o outro independente da classe social. Se pensar desta forma é ser reacionário não tenho o menor receio em me declarar um.

  30. assunto delicado … não é pq a pessoa é pobre ou mora em um lugar afastado que vai ser , bandido , porco ( no sentido de higiene ), brega ( como se veste o que ouve ) , ser sem educaçao etc..etc… o ser humano em sua maioria , é preconceituoso demais , a pessoa mora em determinado lugar ja é taxada de um monte de coisa …. mas o que falta mesmo é educaçao , trabalho com salário justo e mudança nas LEIS , sem isso cada dia que passa piora mais e mais …. Z/L na veia … VILA JACÚI S.M.PTA

  31. Essa “amante” de traficante aí deve apostar na loteria, mega-sena ou qualquer outra forma de jogo de azar o quanto antes!! Afinal, encontrar 5 balas perdidas na mesma perna é sinal de sorte!!

  32. Teve sorte o pé de pano, talarico do Bernardo, tomara que aprenda a não se envolver com mulher de traficante. Isso é resultado da fama desses boleiros, acham que podem tudo!

  33. Paulinho, o Bernardo é um energúmeno que destruiu a sua carreira mas não foi agora, foi bem antes. Vejamos, ele tem 4 filhos e é casado, o que estava ele a fazer no Complexo da Maré, deixando mulher e filhos em casa? A questão não é ser moralista mas o cara abusa, procura, depois, não adianta reclamar. Conheço todo o Complexo da Maré e é uma das áreas mais tensas do Rio de Janeiro. Não é uma área que desperte a especulação imobiliária, pelo menos ainda, então, está a margem na questão das famigeradas UPP’s. Era para lá que alguns governantes “jogavam” populações que viviam em áreas de risco na cidade do Rio, como por exemplo, aquele pessoal desalojado de outras áreas de risco assoladas por tempestades tropicais. A Nova Holanda, em Bonsucesso, que integra o Complexo da Maré, é uma destes “empreendimentos”. Aliás, é da Nova Holanda, em Bonsucesso, que no meio da década de 90, o Comando Vermelho arrebanhava jovens (meninos e meninas) para promoverem Arrastões na orla carioca, em especial no Arpoador.

  34. Só mesmo no Brasil favela é ponto turístico. Às vezes passo num lugar e é simplesmente insuportável o cheiro de esgoto que atravessa a favela (comunidade para os politicamente estúpidos). É um lugar indigno de qualquer ser humano viver mesmo que não tivesse bandidos. E pra quem acha que isso é preconceito, saia do conforto da sua atual moradia, compre um barraco e vá morar em uma.

  35. Paulinho, vc foi perfeito no seu texto. Sou carioca, nasci em Coelho Neto e fui criado em São Cristovão. Fazia atletismo no Vasco e passava todo dia na barreira do Vasco, favela conhecida. Hj moro em SP, perto do peri. Também rodeado de favelas e em TODAS vc pode entrar até certa “região” dali para frente, só “autorizado” ou com morador local. Agora, com a grana desses caras bem, mais bem acima dos moradores da favela da maré, não precisava irem lá, tem dinheiro para “mandar buscar” inclusive a mulher do traficante que, inocente que sou, ele não conheceu “lá”. Abraços.

  36. Pelo o que vejo nos comentários aqui, o que mais incomoda não é o acontecido e sim onde aconteceu, e vejo muitos mais incomodados ainda com fato de pessoas com dinheiro saírem dos seus condomínios de luxo para ir as favelas festejarem, enquanto muitos queriam fazer o caminho inverso.

    Não tem lógica na mentalidade burguesa

  37. O que é isso, pessoal???? o jogador só foi na favela buscar uma cocada boa……ou então um poquinho de maizena para fazer um bolo.kkkkkkkkkkkkkkkk

  38. um recado a hipocrisia,
    se gostasse de favela, estaria morando numa. os playboy que procuram uma favela, quase sempre é pra comprar droga sim…. vcs gostam de favela, ora, parem de usar fantasia e vão morar em uma.

  39. Procuro pessoas empreendedoras que tem contato com atletas em geral, para divulgação e comercialização de um produto importado recém chegado ao Brasil que serve para amenizar e tirar qualquer tipo de DOR, que esteja em qualquer parte do corpo. Além de outros benefícios oferecidos pelo produto. Contato: marcowebempreendedor@gmail.com.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: