Solidário Corinthians vence favorito Santos na Vila Belmiro

Disputando uma partida fria, calculista, o Corinthians venceu o poderoso Santos, em plena Vila Belmiro, e deu um enorme passo rumo ao sonho da Libertadores.

E deve muito desse resultado não apenas à brilhante atuação do goleiro Cassio, mas também ao trabalho do treinador Tite.

Tivemos uma primeira etapa que pode ser resumida em dois lances claros de gol.

Aos 27 minutos, quando Sheik recebeu a bola de Paulinho, à esquerda, na entrada da área, teve tempo de ajeitar e bateu, como se cobrasse uma falta no ângulo esquerdo de Rafael, marcando um belo gol.

E aos 42 minutos, com Juan escapando pela esquerda e encontrando Elano, livre na área, que bateu para o gol, mas Fabio Santos, providencialmente salvou.

No mais, o Corinthians se portou melhor, muito mais a vontade no gramado, embora pouco criativo no ataque, enquanto o Santos, com atuações abaixo da média de Neymar e Ganso – muito mais de Ganso – marcava mal e sucumbia à ótima marcação da equipe de Parque São Jorge.

Na segunda etapa, o Santos voltou bem melhor, com o esforçado Borges no lugar do apático Elano.

A bronca de Muricy Ramalho fez com que Neymar entrasse no jogo e Ganso, mesmo claramente sem condições físicas, chamasse mais a responsabilidade.

Como resultado, o Santos atacou mais, e o Corinthians se defendia, tentando  encaixar o contra-ataque decisivo.

Aos 4 minutos, Ganso encontrou Jean dentro da áera, que ajeitou para Borges bater cruzado e Cassio, o nome do jogo, defender.

Um minuto depois, novamente Cassio defende após batida de Durval que ainda resvalou na trave esquerda.

Aos 10 minutos, Borges acerta cabeçada, após passe de Alan Kardec, que novamente para nas mãos de Cassio.

Só dava Santos.

E também, só dava Cassio.

Aos 31 minutos, logo após ter tomado cartão amarelo imbecil em jogada anterior, o descerebrado Sheik atingiu Neymar de maneira desnecessária e foi justamente expulso pela arbitragem.

Com um a mais, o Peixe partiu ainda mais para o ataque e, aos 34 minutos, Alan Kardec bateu cruzado para Borges e Neymar chegarem atrasado, com a bola cruzando toda a área.

Na cobrança de escanteio novo milagre de Cassio em batida forte de Juan.

Aos 36 minutos, após diversas manifestações de cafajestagens de torcedores que se dizem santistas, não apenas durante o jogo, mas também no dia anterior, de maneira estranha, acabou a luz na Vila Belmiro.

No retorno da partida, Tite fechou ainda mais a equipe ao tirar Alex e colocar o zagueiro Wallace.

O Santos, no desespero, alçou algumas bolas na áera, mas nada de prático conseguiu.

Agora, no Pacaembu, ao lado da Fiel, o Corinthians reverteu o favoritismo e tem tudo para, pela primeira vez em sua história, disputar uma final de Libertadores.

Mérito total do treinador Tite, que transformou uma equipe de jogadores comuns numa maquina de solidariedade e marcação.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.