Advertisements
Anúncios

Onde está o dinheiro de Tevez ?

Publicamos, recentemente, a informação de que Carlitos Tevez esteve vinculado ao Corinthians até julho/2009.

Diferente da versão oficial amplamente divulgada pela diretoria alvinegra.

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2009/10/13/msi-negociou-marcelo-mattos-com-o-corinthians/

Um verdadeiro escândalo.

Mas a situação é ainda pior se levarmos em consideração que Tevez foi liberado, com a anuência do Corinthians, para o Manchester City – outra equipe dominada por Kia Joorabchian – por 29 milhões de Euros.

Os indícios de lavagem de dinheiro são evidentes.

Outro fator que me chama a atenção é a recusa de Andres Sanches de romper o contrato com a MSI – formalmente – na justiça.

Do outro lado, a empresa de Kia também se calou, pouco se importando em perder o dinheiro que alegam ter investido no clube.

O discurso de que o contrato não tem mais validade por descumprimento de clausulas, além de não ser verdadeiro, é um insulto à inteligência de qualquer pessoa razoavelmente esclarecida.

Partindo do princípio lógico de que o Corinthians, segundo o acordo, teria direito a 20% sobre qualquer atleta negociado pela MSI, concluímos que deixaram de entrar cerca de 5,8 milhões de Euros nos cofres alvinegros.

Este assunto foi abordado pelo conselheiro Rubens Gomes que, em recente reunião do CORI, questionou Andres Sanches sobre o fato dele ter mantido – em sigilo – o vínculo do argentino no Corinthians, além de ter assinado a liberação para Kia Joorabchian.

Nervoso, o presidente corinthiano negou a ação, mas recusou-se a apresentar a documentação sobre o caso, evidenciando ainda mais o que foi publicado por este espaço.

Alguém lucrou com toda essa história.

Com certeza, não foi o Corinthians.

Quem arcará com este prejuízo ?

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

19 comentários em “Onde está o dinheiro de Tevez ?”

  1. Paulinho, procede a informação que tive, de que o Tevez estaria descontente com sua situação no Manchester e que ele quer voltar ou Pro Corinthians, ou ir pro Boca Juniors???

  2. OLHA CARA, SE O TEVEZ ESTA DESCONTENTE MARCANDO GOLS DO JEITO QUE ESTA PELO MANCHESTER CITY, O ROBINHO MERCENÁRIO JÁ TERIA COMETIDO SUICIDIO QUANDO ESTAVA LÁ.
    O ARGENTINO É UM DOS MAIS VALORIZADOS DO FUTEBOL INGLES PORQUE GASTARIA DE VOLTAR PARA O CLUBE EM QUE TORCEDORES CRIMINOSOS TENTARAM AGREDILO JUNTAMENTE COM SEUS FAMILIARES.

  3. Muito descontente,é titular absoluto e idolatrado pela torcida e seu salario(milhonario)cai td dia 5!!!!É muita saudade da ZL

  4. Cara, vc é mané mais bem informado do mundo!!!!!
    Vc deveria mandar curriculo pra substituir o James Bond!!!!

  5. Cérebro é que vi num site essa informação, mas duvidei exatamente pelo que vc falou, mas onde tem fumaça tem fogo não é msm, não custa investigar.^^ Mas vlw pela informação!!!

  6. Mais uma grande “jogada” da atual diretoria…
    Paulinho, o que achou da declaração do Andres , que diz que vai quitar todas as dívidas do Corinthians até o fim do mandato?

  7. OAB: parecer sobre Lei da Anistia é equívoco e legitima tortura

    Site do TERRA

    O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, afirmou neste sábado, em nota, que a Procuradoria Geral da República cometeu “um equívoco” ao dar parecer contrário à revisão da Lei da Anistia, de 1979. Para Britto, se a tortura cometida durante a ditadura militar for considerada como crime político, o País estará “legitimando os torturadores de ontem, de hoje e de amanhã”.

    Proposta pelo presidente João Baptista Figueiredo, a Lei da Anistia livrou da punição as pessoas que cometeram crimes em oposição à ditadura. No entanto, o texto também protegeu torturadores do regime militar. Para a OAB, autora da argüição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF), é necessária uma interpretação mais clara da lei. A entidade pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a anistia não seja estendida a agentes públicos acusados de homicídio, desaparecimento forçado, abuso de autoridade, lesões corporais, estupro e atentado violento ao pudor contra opositores ao regime político da época.

    “Isso é muito ruim para o Brasil. Temos que compreender que tortura é um crime gravíssimo. O Brasil subscreveu vários tratados internacionais que condenam os crimes de tortura. Se consideramos o crime de tortura um crime político, perdoável, vamos estar legitimando os torturadores de ontem, de hoje e de amanhã. Eles ficarão livres, leves e soltos para cometer esse crime contra a humanidade”, disse o presidente da OAB.

    Para Britto, o Estado tem o dever de punir todos os torturadores. Não tenho a menor dúvida de que o Ministério Público errou no parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal, quando não considerou a tortura como crime de lesa-humanidade. “Espero que os ministros do STF compreendam o seu dever histórico punindo o torturador de ontem, para que não justifique a tortura de hoje”, disse.

    Em parecer divulgado neste sábado, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirma que a Lei da Anistia “foi resultado de um longo debate nacional”, ressaltando a participação da OAB. Na avaliação dele, desconstituir a anistia seria “romper com o compromisso” feito no contexto histórico do fim da ditadura.

  8. Unimed e Palmeiras se acertam. E o futebol perde

    Por Erich Beting às 06h37

    Temos discutido muito por aqui, criando algumas rusgas entre os mais apaixonados, valores e resultados sobre os patrocínios no futebol brasileiro. Nesta sexta-feira, o Palmeiras confirmou um patrocínio com a Unimed para o uniforme de Muricy Ramalho (veja a matéria da Máquina do Esporte clicando aqui). Sim, a mesma Unimed que chegou a ser anunciada para o calção alviverde em 2009, mas cujo negócio não foi concluído porque o contrato do patrocínio principal com a Samsung, como revelado neste blog, não permitia o acréscimo de nenhuma marca no uniforme palmeirense.

    O curioso é que o namoro entre Palmeiras e Unimed continuou até chegar a esse desfecho. Patrocínio no uniforme do treinador, uma brecha dentro do acordo que existia com a Samsung (que paga R$ 15 milhões ao ano pela exclusividade no uniforme do time, um valor excelente para o Palmeiras quando da sua assinatura, no início de 2009). E o que há de diferente nisso?

    Absolutamente nada. No máximo, a certeza de que mais uma propriedade está prontinha para ser explorada pelos clubes, revelando não uma virtude, mas uma fraqueza da gestão do marketing no futebol brasileiro de hoje. No final das contas, o acerto entre os dois é uma perda para o futebol brasileiro.

    Mais uma vez um clube só soube vender exposição de marca para um patrocinador. Poderia ser Palmeiras, XV de Piracicaba ou o Íbis. O nome do time é o de menos. O buraco é mais embaixo.

    Desde que o Corinthians anunciou a contratação de Ronaldo, começou a lotear seu uniforme e conseguiu, com isso, aumentar os valores recebidos pelo patrocínio, que o mercado entrou numa espécie de exuberância pelo patrocínio no futebol. Só que esse patrocínio é visto, apenas, como uma exposição de marca na camisa. Nada além disso. O que joga lá para baixo o verdadeiro motivo que levaria uma empresa a investir no esporte.

    Altos índices de audiência, grande exposição em toda a mídia, repercussão nacional quando da assinatura de um contrato. Tudo isso, sem dúvida, justifica muitas vezes uma empresa decidir aportar alguns milhões de reais no futebol. No Brasil, em que temos uma situação quase que única na TV aberta mundial (alta audiência concentrada numa única emissora, que detém os direitos de transmissão dos principais campeonatos do país), isso é um prato feito para que a camisa de um clube se transforme numa segura fonte de investimento, mesmo com valores na casa das duas dezenas de milhões ao ano!

    Estar com a marca na camisa de um clube significa, pelo menos, 90 minutos de exposição durante as partidas, sem falar nas imagens de treinos, entrevistas e toda a overdose de cobertura do futebol na mídia brasileira. Sendo assim, investir na camisa de um clube é uma alternativa para a empresa que não quer comprar intervalos comerciais nos principais programas da Globo. Para quê anunciar no Jornal Nacional durante 30 segundos se, duas horas depois, ficarei com a minha marca estampada na cara de todo mundo por 90 minutos?

    Essa é a lógica que permeia muitas das decisões de patrocínio no país.

    Só que apostar nisso, que é o que os clubes de futebol no Brasil têm feito hoje (desde os queridinhos da mídia Corinthians e Flamengo até equipes em divisões inferiores), é subestimar demais a força que o futebol tem como produto. E pode-se dizer, ainda, que é também a alternativa mais simples de gerar receita para o clube sem grandes esforços, sem precisar lançar mão de um departamento de marketing de fato, que seja atuante, que conheça o clube e, mais ainda, o seu torcedor.

    Não seria mais interessante para a Unimed e para o Palmeiras, em vez de fazer um acordo para estampar a marca no uniforme do Muricy, trabalhar um projeto que não envolva a exposição do logotipo da empresa? Já que se trata de uma companhia de seguros, por que não criar um plano exclusivo para o torcedor palmeirense, em que parte da receita obtida com o plano vá diretamente para os cofres do clube? Ou, então, porque não mudar o modelo e fazer a empresa pagar um valor anual ao clube e, em troca, tem o direito de contar com os jogadores em convenções da Unimed? Ter uma palestra sobre trabalho em equipe com o mesmo Muricy?

    Tudo isso é possível de se fazer. Vai gerar receita ao clube, talvez mais ou menos do que os R$ 1,5 milhão que será pago – e do qual metade para o treinador. Sim, é isso mesmo. Mais ou menos. Não dá para se saber ao certo. E por que isso?

    Exatamente porque os clubes, com raríssimas exceções, não trabalham o conceito básico de gestão de uma empresa, que é conhecer o máximo possível o seu cliente. No Brasil, ainda discute-se qual a maior torcida, mas não quem é o torcedor de cada clube. Essa é a chave para a resposta de quem pode, de fato, ganhar mais dinheiro com patrocínios e ações com empresas.

    Dá muito mais trabalho ter dentro do clube um departamento de marketing que se esforce em saber quem é o torcedor, quais são os seus hábitos de ida ao estádio, de compra de produto oficial, de assinatura do pay-per-view do campeonato, etc. É muito mais fácil lotear a camisa e oferecer apenas exposição em mídia para uma empresa interessada em aparecer na TV.

    Mas será que tudo isso traz retorno para o clube e para a empresa? A Hypermarcas tem um propósito interessante no Corinthians. Aparecer o maior número possível de vezes e como uma empresa que faz juz ao seu nome, com várias marcas. Para isso, o loteamento que se transformou o uniforme do Timão atende ao propósito. Mas diversas empresas “sofrem” com essa febre de exposição na qual se transformou o patrocínio no futebol brasileiro.

    Com tanta marca na camisa, quem se lembra qual foi o último patrocinador do seu clube? Até hoje, as pesquisas indicam que as grandes lembranças de marcas ligadas ao futebol são aquelas mais duradouras. Parmalat, Petrobras, Kalunga, Unimed e LG sempre lideram o ranking de marcas mais lembradas no patrocínio esportivo. Em comum, o fato de que elas foram empresas que perduraram na camisa de clubes com grande exposição na mídia por pelo menos sete anos.

    Só que, já desde os anos 90, pouco se faz no país para dar ao patrocinador mais do que essa exposição.

    Durante 25 anos Flamengo e Petrobras estiveram juntos. Com tantos anos de parceria, nunca foi lançado um simples cartão de fidelidade para o torcedor abastecer nos postos da empresa. Ambos poderiam ganhar com isso. A cada real gasto num posto BR com o cartão do clube, cinco centavos seriam destinados para o Flamengo.

    Falando assim, parece simples de se fazer. Mas para montar um projeto desse, é preciso um departamento de marketing que não se resuma a um gerente e dois estagiários, como acontece na maioria dos clubes (entre aqueles que tem um departamento de marketing).

    Muitas vezes a imprensa adora dizer que o Barcelona se dá ao luxo de não ter patrocinador e bancar todo aquele clube maravilhoso e vencedor com o dinheiro dos seus sócios. Mentira. O Barcelona tem mais de 50 patrocinadores, que bancam as contas do clube. São empresas que têm diversos outros benefícios não ligados à exposição da marca. Só que são mais de 50 pessoas hoje trabalhando no departamento de marketing do clube para buscar essa receita, inclusive com um responsável para olhar apenas o mercado brasileiro!

    Enquanto isso, por aqui, os clubes ainda acham que investir em marketing é perda de tempo. Mas acreditam que pagar R$ 20 mil por mês a um lateral-direito reserva é um bom negócio… Com esse dinheiro, hoje, seria possível montar o maior departamento de marketing de um clube de futebol no Brasil. E isso, sem dúvida, poderia trazer ainda mais receita para o clube. Mas, para isso, tem de ter trabalho. Jargão, inclusive, que é exaustivamente repetido no meio do futebol.

  9. Robinho só não foi para o São Paulo por dinheiro e por tempo de contrato…

    BLOG DO COSME RÍMOLI

    R$ 1.800.000,oo.

    Um milhão e oitocentos mil reais a cada trinta dias.

    Esse era o salário de Robinho no Manchester City.

    Para jogar no Brasil ele exigiu, pelo menos, R$ 1 milhão.

    Não é especulação.

    Os dados são da diretoria do Sâo Paulo.

    A versão do lado tricolor.

    Juvenal Juvêncio garantiu aos dirigentes do Morumbi que o jogador só não foi atuar no Morumbi por falta de acerto financeiro.

    Fechar com o atacante pelo valor que acertou na Vila Belmiro colocaria em risco toda a política financeira do clube.

    Até em relação a jogadores consagrados como Rogério Ceni.

    E de acordo com dirigentes são-paulinos, Robinho não se dobrou à exigência de um acerto até dezembro deste ano.

    Não houve essa romântica escolha pelo clube em que nasceu, o Santos.

    Muito pelo contrário.

    Só aceitou ficar na Vila Belmiro até o dia 4 de agosto porque o presidente Luís Álvaro assegurou que ele receberá o que salário que deseja.

    Para os são-paulinos, os números são exatos: R$ 1 milhão.

    Ou seja: o salário será mais do que o dobro dos R$ 400 mil que chegaram até a imprensa por parte de dirigentes santistas.

    Por isso a resistência do presidente santista em falar valores ou quem vai bancá-lo.

    “As empresas que estão por trás do acordo ainda não querem se manifestar”, diz o dirigente.

    Mas qual empresa não gostaria de ser apontada como responsável pela volta de Robinho à Vila?

    Na verdade tudo foi muito rápido e Luís Álvaro ainda está buscando parceiros para ajudarem a pagar o caro jogador.

    Por enquanto, o Santos banca.

    O novo presidente santista insiste no ‘amor de Robinho’ ao Santos.

    Não diz que venceu a disputa com o São Paulo no dinheiro.

    Repete a versão do coração, da saudade, na poesia…

    E na segunda-feira da apresentação do jogador na Vila Belmiro, o presidente quis aquecer os torcedores antes dos aplausos a Robinho.

    Haverá um show do Charlie Brown Júnior.

    Jogadores do passado santistas já foram convocados para render homenagem a Robinho.

    Muitos deles com dificuldades financeiras.

    Não vale nem citar nomes para não constranger ídolos eternos do Santos.

    Mas eles estarão lá para dar boas-vindas ao milionário, no exato sentido da palavra, atacante santista.

    Será tratado como o filho que foi para a Europa, sofreu e agora volta ao aconchego do lar.

    Tudo muito romântico.

    Não fosse o futebol uma atividade profissional normal.

    Os empregados vão onde lhe pagam mais.

    E é exatamente esse o caso de Robinho.

    Por mais glórias que o Santos tenha.

    Apesar de ter sido o berço do maior de todos, Pelé.

    O uniforme branco que chama atenção no mundo todo.

    Robinho voltou para garantir uma vaga na Seleção, já que não estava jogando no Manchester por não se aplicar nos treinos.

    E, sem ingenuidade, para continuar a ganhar um dos maiores salários pagos a jogadores brasileiros em todos os tempos.

    O amor vai só até certo ponto.

    A partir de agosto, depois da Copa do Mundo, ele voltará a buscar o R$ 1.800.000,00 em outro clube.

    Bem longe da Baixada Santista…

  10. O presidente do CORI não é o Roque Citadini ?
    Como paladino da verdade que ele se julga ser, não deveria ter NO MÍNIMO mais presença, mais participação ante esta questão, não acha Paulinho?

  11. ***REFLEXÃO DE ANDRADE NETO***

    CAROS CONVIVAS DO BLOG, VENHO A LUME DECLARAR QUE O MÊS DE JANEIRO DE 2010 DECANTA UMA NOVA VIDA A TODOS O BRASILEIROS.

    SIM, CAROS CONVIVAS.

    EM JANEIRO DE 2010 ALGUNS DENTRE OS MILHARES DE ANÔNIMOS QUE HUMILDEMENTE ENCHIAM A MINHA CAIXA DE MENSAGENS ELETRÔNICA COM PALAVRAS DE FORÇA, DE ENCORAJAMENTO E DE FÉ RESOLVERAM NOBREMENTE QUE HAVIA CHEGADO A HORA DE IRROMPER O EXÉRCITO DA VERDADE.

    E TODOS, A PARTIR DE ENTÃO, SENTIRÃO O VERDADEIRO PODER DA ESPADA DA JUSTIÇA, DA HONRA E DO DESTEMOR.

    FATALMENTE, A PARTIR DE ENTÃO, A VITÓRIA NOS AGUARDA.

    É QUESTÃO DE TEMPO.

    CONFESSO QUE, ANTES DISSO, EM DETERMINADOS MOMENTOS FRAQUEJEI.

    PODE PARECER QUE EU ESTEJA ACIMA DESTA QUALIFICAÇÃO, MAS, AFINAL, EU TAMBÉM SOU UM SER HUMANO.

    A MAIORIA DAQUI SABE QUE JÁ DESISTI UMA VEZ DE TUDO.

    UMA LUZ, NÃO OBSTANTE, ME ALUMIOU CERTA FEITA, E PASSEI A OUVIR AS SEGUINTES DOCES PALAVRAS: “ANDRADE, QUO VADIS?”

    PERCEBI IMEDIATAMENTE QUE SE TRATAVA DO MOMENTO DE VOLTAR E DE TOMAR A MINHA PRÓPRIA CRUZ EM DEFESA DA MORAL E DO APÓSTOLO DA VERDADE, O PERIODISTA PAULO CEZAR, AQUELE QUE NOS ABRIU OS OLHOS A TODOS.

    FRANCISCO TERRA, JÔNEI, HELDER, CERQUEIRA BORGES, SEVERIANO CASTRO, DOUTOR SEMPRÔNIO E ANDRADE NETO SÃO AGORA SETE EM APENAS UM.

    E TODOS CAPITANEADOS PELO BOM PERIODISTA.

    A ÁRVORE FRUTIFICOU, E VIU ELE QUE ERA BOM.

    AQUELE QUE AINDA PROCURAR RESISTIR, SE SENTIRÁ INDEFESO, ACUADO, NÃO RESTANDO OUTRA OPÇÃO A NÃO SER FUGIR, COMO CLÁUDIA VÊNUS E OS DEMAIS DEMÔNIOS QUE ESTE ESPAÇO LÍDIMO INFESTAVAM O FIZERAM.

    QUEM NÃO ESTÁ CONOSCO, ESTÁ CONTRA NÓS. OS INDIFERENTES TRATEM DE SE CONVERTER O MAIS BREVEMENTE POSSÍVEL.

    A HORA É CHEGADA.

    É ANDRADE NETO QUE DIZ.

    HOJE SOMOS MUITOS, AMANHÃ SEREMOS TODOS.

    ANUNCIO AINDA QUE VOLTAREI AO MEU ANTIGO DÍSTICO LATINO, POIS PERCEBI QUE A VERDADE NÃO APENAS ATRAI O ÓDIO.

    A VERDADE VENCERÁ.

    ANDRADE NETO, VERITAS VINCIT.

  12. Meu Caro é simples! Ou está na Salamandra (grupinho sol) ou está na Braskem ( Antes chamada de O.P.P. que por sinal fica em camaçari e tem cavalos no interior de SP e RS)
    0 que o Lula ajudou e esta ajudando!!!! Quem vai ter coragem de perguntar prá o Sr. Andrés E OUTROS???

  13. Precisamos perguntar ao Rubão sobre o Moradei.
    Deste assunto o Rubão entende como ninguém. O caso Moradei atá hoje esperamos explicação.
    Fala aê Rubão!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: