Advertisements

Nelsinho Piquet, impecável, vai para o pódio no GP da Alemanha.

O GP da Alemanha foi emocionante.

Hamilton, o inglês voador, fez grande prova e venceu com justiça.

Mas o show foi de Nelsinho Piquet.

Foi emocionante vê-lo no pódio.

Ao lado de Felipe Massa, fato que não acontecia há 17 anos, desde que Senna e Piquet estiveram lado a lado em 1991.

Com equipamento inferior, Piquet foi ajudado pela sorte, realizou sua única parada da corrida minutos antes da entrada do Safety-Car, e demonstrou competência ao segurar a 2ª colocação até o final.

Manteve sua Renault com performance acima do normal.

Seu companheiro de equipe, Alonso, foi apenas o 11º colocado.

Felipe Massa chegou na 3ª colocação e conseguiu um bom resultado em um final e semana que a Ferrari não rendeu bem.

Na largada ele teve dificuldades para manter sua posição com um ataque muito forte de Kovalainen.

As McLarens voaram na Alemanha.

Até a metade da prova tudo corria normalmente, com distâncias longas entre os primeiros colocados e poucas alternativas de prova.

Até que o forte acidente de Tino Glock mudou todo o panorama.

Os carros se juntaram, Nelsinho Piquet saiu do pelotão de terás para as primeiras colocações e a corrida ganhou em emoção.

A Ferrari acertadamente chamou Massa para os boxes, enquanto a McLaren errou em não trazer Hamilton.

Deu sorte porque mesmo com a manobra correta, o carro da Massa não rendia o esperado.

Faltando 10 voltas o líder era Nelsinho Piquet.

O inglês voador era o terceiro, mas corria como um alucinado.

Ultrapassou Felipe Massa e duas voltas depois passou por Piquet.

Venceu a prova e assegurou a liderança isolada do campeonato.

Raikkonen ficou em sexto lugar e comprovou o final de semana ruim da Ferrari, que foi salvo, em parte, pelo bom desempenho de Massa, que assegurou o pódio.

Barrichello levou uma fechada de Coutard e abandonou a prova.

O campeonato continua aberto.

Hamilton e Massa são os favoritos.

 

Confira a classificação completa do GP da Alemanha:

1. Lewis Hamilton (ING/McLaren) – 1h31min20s874
2. Nelsinho Piquet (BRA/Renault) – a 5s586
3. Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 9s339
4. Nick Heidfeld (ALE/BMW) – a 9s825
5. Heikki Kovalainen (FIN/McLaren) – a 12s411
6. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) – a 14s403
7. Robert Kubica (POL/BMW) – a 22s682
8. Sebastian Vettel (ALE/Toro Rosso) – a 33s299
9. Jarno Trulli (ITA/Toyota) – a 37s158
10. Nico Rosberg (ALE/Williams) – a 37s625
11. Fernando Alonso (ESP/Renault) – a 38s600
12. Sebastien Bourdais (FRA/Toro Rosso) – a 39s111
13. David Coulthard (ESC/Red Bull) – a 54s971
14. Giancarlo Fisichella (ITA/Force India) – a 59s093
15. Kazuki Nakajima (JAP/Williams) – a 1min00s003
16. Adrian Sutil (ALE/Force India) – a 1min09s488
17. Jenson Button (ING/Honda) – a uma volta

Não completaram a prova:
Rubens Barrichello (BRA/Honda)
Mark Webber (AUS/Red Bull)
Timo Glock (ALE/Toyota)

Facebook Comments
Advertisements

10 comentários sobre “Nelsinho Piquet, impecável, vai para o pódio no GP da Alemanha.

  1. Rogério

    Tinha certeza absoluta que iriam arrumar um desculpa para o Massa. Ele foi ultrapassado porque se posicionou errôneamente na pista. Já está na hora de parar de passar a mão na cabeça do menininho chorão e trata-lo como um piloto limitado. Quanto “sorte” atribuida ao Piquet, lembre-se que o ssafety-car entrou para todos. Sorte é a união da competência com a oportunidade. O Massa teve a oportunidade de chegar na frente do Hamilton e assumir a liderança, mas faltou competência. Não adianta dizer que o carro do Hamilton era melhor, Massa estava em uma Ferrai e não em uma Renault, que alias também chegou a sua frente!

  2. Hilton Biller

    Piquet teve muita sorte combinada com frieza, enquanto Hamilton literalmente ensinou Massa como se ultrapassa um carro na pista, fora a aula que deu nele.

    Quando as coisas se resumem no braco, na tecnica e na habilidade pessoal dentro do cockpit, a Globo nao tem poder algum !!

    Parabens Piquet, que venha Senna na Toro Rosso em 2009 (Ferrari 2011 no lugar de raikkonen) e Alonso no lugar de Massa na Ferrari em 2010 !!

  3. M Alexandre

    Rogerio aprenda uma coisa: Ninguém segura um carro que é 1.5 seg mais rápido atras, ninguém faz mágica, e Massa sabia disso e o Piquet tb, os 2 sabiam que poderiam fechar a porta 1, 2 vezes mas era questão de tempo para o Hamilton passar os 2, a diferença de rendimento era enorme. E se o Felipe e o Piquet ficassem brigando com o Hamilton perderiam tempo em relação ao Heidfeld e o Kovalainen, os 2 agiram certo na minha opinião!!!

  4. Cláudio Leite

    Sempre vejo posts aqui idênticos aos do blog do Birner.

    Vocês escrevem em conjunto ou alguém cola de alguém sem dar os créditos ?

    Paulinho: De uma olhada nas pessoas que trabalham lá. Tem um tal de Paulinho…que por acaso sou eu…

  5. Leao

    Parábens Nelsinho. Mas que foi sorte foi. Caiu no colo dele a segunda posição. Vamos ver se ele terá braço nas próximas corridas. O Alonso ficou com dor de cotovelo. Mas querer comparar o Nelsinho e o Massa com o Alonso é forçar a barra. Em dois anos o Alonso senta na Ferrari E adivinha no lugar de quem? O Schumacker disse que só se aposentou para não ver o amigo Massa desempregado. Será que o Raikkonen vai ter de se aposentar? Mesmo tendo mais carro que o Massa, o Hamilton deu um baile na ultrapassagem.

  6. Marcos Rogério Cabral

    Para variar, o sãopaulino Massa amarelou contra o futuro campeão Lewis Hamilton….

  7. Felipe dos Santos Souza

    É evidente que o 2º lugar de Nelsinho teve boa dose de sorte. Nas CNTP, ele ficaria na frente de Alonso, mas apenas chegaria na zona de pontuação.

    Agora, é como dizia Nelson (o Rodrigues, não o Piquet pai): sem sorte, nem se chupa um picolé. E, de mais a mais, é como já li por aí: se Nelson teve sorte, teve também a competência de, ao se ver com o 2º lugar na mão, ter calma e serenidade para apenas tocar o carro e não errar. Algo raro, num piloto jovem. É só lembrar de Vettel, que esteve às portas do pódio no Japão, ano passado, mas acabou sucumbindo à chuva (OK, sei que teve aquele negócio do Hamilton quase ter passado o safety-car, mas…).

    Além disso, o pódio de Hockenheim dá bela aliviada na situação do brasileiro dentro da Renault, que chegou a sentir o bafo demissionário em seu cangote. Mostra que, tendo bom carro, ele pode brigar com a BMW para pegar as sobras de Ferrari e McLaren. E, pelo menos, ele nunca cometeu deselegâncias como a que Alonso cometeu hoje, que só fazem aumentar a fama de “llorón” que ele tem – injusta, a meu ver.

    Massa? OK, poderia ter ido melhor, mas vale lembrar que a Ferrari sempre foi pior que o time de Ron Dennis durante o fim de semana. E tem mais: campeonato não se ganha só chegando na frente, mas também somando pontos. Piquet pai não me deixa mentir: ganhou o tri em 87 com três vitórias, mas sempre constante na temporada.

    Continuando assim, ganhando quando pode ganhar e pontuando sempre, o marido da Rafaela permanece na briga pelo troféu…

  8. pedro geraldo

    Paulinho, não sou fã do massa, mas atitude dele, de recepcionar nelsinho no pódio, e de citá-lo na entrevista coletiva,me comoveu. acredito que no esporte e na vida, educação e respeito fazem a diferença, e demonstram o nível de caráter do cidadão. os futebolistas, dirigentes, jornalistas e torcedores, deviam aprender com a atitude do piloto.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: