Advertisements

Dez perguntas para o presidente do Palmeiras

Do blog do Torero

http://blogdotorero.blog.uol.com.br/

E eis as dez respostas do Presidente do Palmeiras.

1-) Caro Presidente, bom dia. Precisando de um estádio maior para sediar mais confortavelmente os jogos do Verdão, o Senhor confirma o início das reformas no estádio para início de agosto e término em 2010? Qual será a capacidade oficial? Obrigado

[Marco Clerris] [São Paulo, SP, Brasil]  

O Palestra Itália será um dos principais estádios do Brasil. O conceito será de uma arena multiuso, nos moldes dos principais estádios da Europa. Será a primeira Arena nos padrões FIFA das Américas, um motivo de extremo orgulho para todos os torcedores. E não é só isso. Será possível organizar grandes espetáculos musicais, artísticos e convenções empresariais, entre outros eventos. E, logicamente, para a torcida palmeirense, teremos o principal palco de futebol de São Paulo e talvez do Brasil. A Arena atenderá as exigências do caderno de encargos da FIFA no que diz respeito a conforto, comodidade para torcedores e imprensa. As obras no complexo devem começar ainda em julho e se estenderão por aproximadamente dois anos.  

2-) Presidente, o que o senhor acha de um espetáculo que começa às 21h50min, cujo espectador fica sob risco de frio e chuva e ainda põe o traseiro no cimento; que ainda por cima teve seu preço mínimo majorado para R$ 40,00, e concorre com atrações como cinema, teatro (que são em lugares abrigados, mais baratos e tem assentos muito mais confortáveis) e mesmo TV pagas (que transmitem o mesmo espetáculo)?

Paulo R. Filomeno] [Campinas, SP]  

Quanto aos ingressos, a Sociedade Esportiva Palmeiras entende que cobra valores compatíveis para o atual momento econômico não só do País, mas também do futebol brasileiro. É importante lembrar, nesta questão, que o torcedor palmeirense terá, em um prazo estimado de pouco mais de dois anos, o melhor estádio de São Paulo para assistir partidas de futebol. Não precisamos comparar atrações culturais com o futebol, pois não há necessidade de um torcedor deixar de ir ao cinema ou teatro para poder acompanhar o time de coração.

3-) É mesmo vantajoso fazer um acordo desses com a Traffic? De montar um time que serve de vitrine para negociações. Não é melhor começar a pensar os grandes clubes brasileiros como fim e não como meio de se chegar ao topo da pirâmide do futebol.

[Felipe Bandeira]

Quando a Sociedade Esportiva Palmeiras firmou a melhor co-gestão do futebol brasileiro (e talvez mundial), à época com a Parmalat, também surgiram dúvidas quanto à eficácia da parceria. Com o tempo, não só os palmeirenses, mas a imprensa em geral e demais torcedores, entenderam que ali se fazia uma união vencedora. Entendemos que o acordo com a Traffic é altamente positivo para o nosso clube.

4-) Presidente, parabéns pela sua administração. A maior vergonha do Palmeiras foi ser rebaixado para a Série B. A segunda maior, foi não ter participado do Mundial da FIFA 2000, lugar que tinha direito. Pergunta: Qual o verdadeiro motivo desta exclusão? Não seria possível de investigação, neste tema, a gestão de Mustafá?

[Marco Aurelio] [campo grande, ms, brasil]

A decisão sobre os participantes do Mundial de Clubes, que ocorreu no Brasil em 2000, aconteceu na semana que antecedeu a segunda partida da decisão da Libertadores 1999, que vencemos. Realmente o Palmeiras, por ter sido o campeão da Libertadores, poderia ser o representante brasileiro. Mas fomos indicados para o Mundial que ocorreria em seguida, na Espanha, que foi adiado pela FIFA.

5-) Presidente, o Marcos vai receber um busto no Palestra Itália, ao lado do Ademir da Guia, Waldemar Fiume e Junqueira? (Já ouvi que não poderia ocorrer, uma vez que ele já jogou em outro time, no começo da carreira. Mas, até aí, o Ademir jogou no Bangu).

[Paulo Domenico Rizzo]

O goleiro Marcos é um dos principais ídolos da história recente da Sociedade Esportiva Palmeiras e, tenham certeza, contará com todas as homenagens que um atleta de sua grandeza merece. O torcedor pode ter certeza que o Marcos terá o reconhecimento digno dos serviços prestados para o nosso clube. Ele ainda é um jogador, está na ativa, e no momento apropriado vamos estudar o caso com todo o carinho.

6-) Presidente: Primeiramente, parabéns pelo título paulista. Em segundo lugar, gostaria de saber quando o Palmeiras vai viabilizar para que o morador fora do estado de São Paulo torne-se sócio sem depender de um endereço no Estado para que se faça a cobrança, podendo, inclusive, o boleto ser impresso no site oficial do clube?

[Valdemagno Silva Torres] [Recife/PE/Brasil]

Esta é uma reinvidicação justa dos nossos associados do interior de São Paulo e de outras regiões do país. Trata-se de uma de nossas preocupações e, pode ter certeza, em breve teremos uma solução

7-) Caro Presidente, gostaria de saber como o Palmeiras passou a tratar suas categorias de base, após o acordo com a Traffic? O que notamos é que novos jogadores chegam e nenhum comentário sobre os nossos jovens é visto, aliado ao antigo problema do Vanderlei Luxemburgo de não trabalhar com jogadores de categoria de base. Hoje temos a Traffic, mas será que o futuro do futebol não está nas categorias de base e devemos ter sempre um olho voltado para elas? Saudações Palestrinas!

[Raphael] [São Paulo – SP]

Caro torcedor, permita-me discordar de sua opinião. Vários jogadores da nossa categoria de base fazem parte, atualmente, da nossa equipe. São vários os exemplos, como Wendel, Diego Cavallieri, Maurício, Bruno e David, por exemplo. Nossas categorias de base nunca receberam tamanha atenção. Estão previstos vários investimentos, ainda este ano, como a construção de alojamentos na Academia 2, em Guarulhos. Já fizemos um refeitório especial, supervisionado por nutricionista, fisiologista, assistente social e psicólogo. Firmamos convênio médico e odontológico para as categorias de base. Disponibilizamos, ainda,  curso profissionalizante de informática e temos convênio com um colégio.

😎 Presidente, primeiro gostaria de relatar um episódio depois complementar com uma pergunta. Sou do interior de São Paulo, e como estava com muita coisa pra fazer na semana do segundo jogo da final, não pude ir à São Paulo passar horas na fila pra comprar o ingresso. Quando soube da possibilidade de comprar pela internet (espaço VISA), já era tarde. Pra minha surpresa, a Mancha de Rio Claro anunciava em sua página no Orkut a venda de ingressos, inclusive para não sócios. Fui imediatamente para lá, onde me ofereceram ingresso por R$ 130,00 (o de R$ 40,00). Minhas perguntas são: Como pode o Palmeiras privilegiar as organizadas na distribuição de ingressos? O Palmeiras prefere esse tipo de torcedor (violento) em seus estádios? O Palmeiras tem conhecimento que as uniformizadas agem como cambistas? O Palmeiras tem medo desses bandidos? Porque não se possibilita a venda de ingressos (todos) pela internet? É pressão das organizadas?

[Marcelo] [Rio Claro – SP]

Parte das vendas de ingressos já é feita pela internet, para o espaço Visa. A nova Arena contará com a venda de ingressos com antecedência, para evitar filas e cambistas. Quanto aos torcedores dito organizados, não podemos discriminar ninguém. São palmeirenses que acompanham o time em todas as ocasiões, em diversos pontos do país.

9-) Quando o Serdan, da Mancha, agrediu o técnico que barrou seu filho no time infantil, foi dado um prazo de 90 dias para uma sindicância interna. Esses 90 dias já se esgotaram. Qual foi a conclusão da sindicância e as providências tomadas?

[Walter Camargo] [Santana de Parnaiba, SP, Brasil]

Encontra-se no Departamento de Sindicância do clube para novas análises.

10-) Quando afinal vocês conseguirão acabar com as torcidas organizadas para que pessoas de bem consigam voltar aos estádios, pois eu sou do tempo em que se podia ir ao estádio e voltar inteiro para casa

[Ivaldo] [são paulo-sp-brasil]  

Não podemos discriminar torcedores.  São todos palmeirenses, “comuns” ou “organizados”. Também sou do tempo em que as torcidas conviviam pacificamente no estádio, mas não podemos generalizar e ver apenas aspectos negativos nas torcidas organizadas. Quando há exageros, estes devem ser punidos nos termos da Lei.

Facebook Comments
Advertisements

22 comentários sobre “Dez perguntas para o presidente do Palmeiras

  1. Erasmo

    Mais uma pergunta para este senhor???

    Nuvem. No caso do gás no vestiário do São Paulo no Parque Antarctica, o Instituto de Criminalística vai confrontar o laudo de seus peritos com o que foi feito pelo 23º DP. É que o IC aponta como mais provável a substância ter vindo de fora. E a delegacia diz que alguém soltou de dentro.
    Fonte Folha de São Paulo

    E agora como fica o Delegado conselheiro????

  2. Denilson Martins

    Uma pergunta a este Sr. que preside o Clube Sujo e Racista.

    Porque o delegado do 23º DP, que disse que o gás veio de dentro do vestiário, é também diretor do Palmeiras?

    Por que assinaram um regulamento, abrindo mão do mando de campo, depois usaram o governador pra pressionar?

    Por que o Governador abriu mão de impostos devidos ao erário pela Fiat, para que esta patrocinásse o Sujo Palmeiras?

    Porque a WTorre usará grana do BNDES para reformar o covil dos Racistas?

  3. geraldo lina

    ERASMO. vai ser revelado, nao tenha duvida. NAO INTERESSA se tem DELEGADO CONSELHEIRO, SE TEM GOVERNADOR TORCEDOR querendo interferir e por panos quentes. a verdade jah comecou a aparecer. o que me chateia, eh que isso eh coisa do madureira mas que tem sido escondida pela diretoria do CLUBE PROSTITUTA ( que se vende por dinheiro de parceiro ), e ai meu amigo, vira tudo laranja podre, tudo lixo podre que cheira mal.

    SAUDACOES TRICOLORES
    CONQUISTADORES DO MUNDO NA BOLA E NA VONTADE
    ENCARE SE PUDER

    *** *****

  4. Justiceiro

    Gostaria de perguntar ao presidente se não tem jeito de ganhar do SPFC sem humilhá-lo. Eles ficaram muito chatos e histéricos depois do sacode que tomaram no Paulista. Agradeceria se o Palmeiras fosse mais bonzinho com a escória, para não ter que suportar tanto chororô depois.

    Grato.

  5. mauro

    Paulinho, vc não acha que está exagerando ao liberar comentários que acusam o Palmeiras de racismo e fascismo? A mesma política que você tem de não liberar todos os comentários não deveria ser aplicada a esses que só entram aqui para agredir e difamar?

  6. Salvador

    Você Paulinho vai continuar a permitir uma pessoa chamar um clube de racista????????????
    ATÉ QUANDO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Que nojo !!!!

  7. geraldo lina

    MAURO e SALVADOS, entendo que soh sao bloqueados os comentarios que criam polemica. o que tem sido dito nao eh novidade nenhuma, eh historico…

  8. Salvador

    Caro Geraldo Lina,
    Costumo não responder a idiotas, mas aqui vai.
    Antes de tudo, você deve coonhecer história para evocá-la como defesa.
    Depois, a acusação de 15 milh!oes de pessoas de racistas não soa engraçado como os apelidos das torcidas. Chamar torcedores de Bambis, Porcos, Gambás, é uma coisa. Acusar 15 milhões de serem criminosos é outra completamente diferente. Não é uma questão de ser palmeirense ou são-paulino. É uma questão de decência. Só isso.
    Quanto ao Paulinho, acho que ele tem obrigação de evitar esse tipo de absurdo em seu blog para tentar mantê-lo limpo. Tanto de imbecis como você quanto ao tal Denilson que extrapola para a ofensa quando podia brincar, provocar como qualquer torcedor faz.
    Atitudes como essa são igualmente violentas aos torcedores de organizadas tão combatidos pelo dono do blog. Daí a minha indignação pela falta de inteligência de quem comenta e de quem aprova comentários com tais acusação. Por isso, DECÊNCIA. A mesma que o blog diz que defende.

  9. Denilson Martins

    Uma das faces do Facismo, é a censura a verdades históricas.

    Ninguém deveria ser censurado por falar a verdade, só por falar a mentira.

    Tudo que o Clube Racista fala do SPFC, é mentira jamais provada, no entanto, o blogueiro libera,

    então porque deveria censurar a VERDADE histórica do Clube Racista e Sujo chamado Palmeiras?

  10. Denilson Martins

    Salvador, não respondo boçais hipócritas, mas aqui vai:

    Homofobia e discriminação também é crime.

    Sua torcida de 12 MILHÕES, pratica a discriminação, o preconceito, reduzindo a nossa torcida de 15 MILHÕES, a um gueto de gente inferior, ou peça sexualidade ou pelo caráter.

    Só que sujo, e racista, seu clube sempre foi, sempre foi cheio de esquemas, como gás, dinheiro do Facismo italiano, quebrou as indústrias Matarazzo, serviu de lavanderia pra Parmalat, e agora vende até o tutano pra gente que faz negociatas, além disso, firma contrato com empresa que lesou o patrimônio público pra fazer estádio.

    O governador faz acordo, negociando coisas públicas, em troca de patrocínio pra seu SUJO clube.

    Depois, dá a investigação do caso do gás, a um delegado que é diretor do clube RACISTA.

    Nada, nada, nada mesmo pode ser TÃO SUJO COMO O PALMEIRAS.

  11. Denilson Martins

    SEMPRE É BOM TRAZER ELEMENTOS COMPROBATÓRIOS DO QUE SE DIZ:

    “Era, porém, bastante significativo que o Palestra Italia só tivesse botado um preto no time depois de Pearl Harbour.

    Nao podia haver duvida que o Brasil, mais dia menos dia, ia entrar na guerra contra as potências do Eixo, uma delas a Itália. E o que explica a pressa da contrataçãoo de Og Moreira, preto de cabelo esticado, ja careca.

    Antes ninguem reparara nos times sempre brancos do Palestra. Talvez porque nao eram tao brancos. Ou eram brancos à maneira brasileira. E um pouco, quem sabe, à italiana, com os descendentes dos seus ‘Otelos’ e suas ‘Desdêmonas’.

    Pearl Harbour, assim, apressava o abrasileiramento do Palestra, ainda muito italiano. Fazendo, inclusive, questão de ser italiano. Como se isto o enobrecesse.

    Era a vaidade de raça que tornara possível o fascismo, o retorno a Roma, dona do mundo. E que justificava a invasão da Abissinia pela superioridade da raça branca sobre a negra.

    Os italianos do Palestra, quase todos enobrecidos no Brasil peto trabalho, tinham a fraqueza, bem forte nos novos ricos, pelos títulos de nobreza. Aqui a fonte de tais títulos tinha secado com a proclamação da República. Restavam as comendas. Como italianos, ou filhos de italianos, os palestrinos preferiam as da Italia. Dadas pelo Papa ou pelo Duce. Podiam, inclusive, ser condes.

    Daí a subserviência que demonstravam muitos deles, avidos de servir a Itália, ou ao fascismo, que Ihes podia retribuir com honrarias. Mesmo quando o serviço que deles se esperava fosse um desserviço ao Palestra.
    Pretendesse um clube brasileiro um jogador do Parque Antartica: todos os italianos do Palestra se ofendiam. Todos, italianos e brasileiros. Mais, porém, os italianos e filhos de italianos que, pela dupla nacionalidade, italianos eram. Ou se sentiam. Por orgulho de raça e de dinheiro.

    Bastava, contudo, um cIube italiano namorar um jogador do Palestra, para que, pelo menos os mais importantes italianos do clube do Parque Antárctica, mesmo os ja de comenda ao peito, se considerassem honrados. Como se um conde legítimo lhes pedisse a filha em casamento.

    Tudo isto, depois de Pearl Harbour, colocava o Palestra Itália numa delicada.

    O que passara despercebido até então, o racismo emigrado do clube do Parque Antartica, se não corrigido a tempo, apareceria como uma mancha capaz de deixar uma pecha de quinta-colunismo, não ao clube, mas aos que o dirigiam.

    (Filho, Mario – O negro no futebol brasileiro – 4ª edição – Rio de Janeiro – Editora Mauad, 2003 – p.231 e 232)

  12. Denilson Martins

    SEMPRE É BOM TRAZER ELEMENTOS COMPROBATÓRIOS DO QUE SE DIZ II:

    Pesquisa do historiador Alfredo Oscar Salun aponta que na época da entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, em agosto de 1942, Corinthians e Palmeiras foram forçados a expulsar cerca de 150 sócios de origem estrangeira, inclusive alguns de seus dirigentes. Os dois clubes estavam entre as entidades atingidas pela legislação repressora do Estado Novo, especialmente de 1941 até 1945, quando aumentou o rigor na vigilância da polícia política aos grupos estrangeiros e seus descendentes.

    Equipes mais populares da época, Palestra Itália (antigo nome do Palmeiras) e Corinthians atraíam grande número de torcedores de origem imigrante, muitos dos quais operários, caracterizando-os como times populares. “Quando o Brasil declarou guerra à Itália, Alemanha e Japão, a vigilância aos estrangeiros pela Delegacia de Ordem Política e Social (DEOPS) aumentou, devido a suspeitas de espionagem”, conta Salun.

    “No Palestra Itália, predominavam os italianos, e no Corinthians havia também italianos, além de espanhóis, alemães e até árabes”, explica o historiador, que pesquisou os efeitos das medidas de nacionalização para sua tese de doutorado no Núcleo de Estudos de História Oral (NEHO) na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

    Após a entrada do Brasil na guerra, o Conselho Nacional de Desportos (CND) baixou uma série de regulamentações para o esporte, em acordo com o projeto nacionalista do regime do Estado Novo (1937-1945). “Os clubes de futebol foram atingidos, tendo que expulsar dirigentes e associados estrangeiros, principalmente os ligados aos países do Eixo, rotulados como ‘Súditos do Eixo’.”

    Vigilância
    A desobediência às normas de nacionalização poderia levar ao fechamento dos clubes. “No caso do Palestra Itália, isso gerou RUMORES NÃO CONFIRMADOS de que dirigentes do São Paulo manobravam nos bastidores para tomar seu patrimônio”, relata Alfredo Salun. “Os boatos e a mudança de nome para Palmeiras, em 1942, tornaram o episódio marcante na história do clube e dos seus torcedores, ao contrário dos fatos ocorridos no Corinthians.”

    A aplicação das leis levou a destituição do presidente do Corinthians Manuel Correncher, espanhol de nascimento. “O clube conquistou vários títulos na gestão de Correncher, considerado uma figura folclórica, comparada a de Vicente Matheus”, conta Salun. “A presidência foi assumida por Mario de Almeida, interventor indicado pelo CND, que ocupou o cargo por alguns meses, até o clube escolher um novo presidente.”

    Em um clube é uma história conhecida e celebrada e no outro, silenciada e apagada”, destaca o historiador. Nesse aspecto, o pesquisador desenvolve um trabalho em História Oral, com torcedores, jogadores e dirigentes. “Esses clubes não foram os únicos na capital paulista que foram alvos da repressão, mas tinham maior torcida e prestígio.”

    Reuniões de diretoria dos dois clubes só eram feitas com autorização da DEOPS e a presença de um agente do órgão. “Os clubes também precisavam de permissão oficial para jogos fora de São Paulo, especialmente no litoral, devido a importância estratégica das regiões costeiras na Segunda Guerra Mundial.”

    Após as expulsões, Corinthians e Palmeiras realizaram uma “campanha de nacionalização” para atrair novos sócios, nascidos no Brasil. “A imprensa da época viu essa iniciativa como uma prova de patriotismo”, diz Salun. “Os estrangeiros expulsos começaram a retornar aos clubes após 1945, como reflexo do final da Guerra, de medidas liberalizantes adotadas pelo governo de Getúlio Vargas e o fim da perseguição à ‘quinta-coluna’, espiões e os ‘Súditos do Eixo’.”

    http://www.usp.br/agen/repgs/2007/pags/002.htm

  13. geraldo lina

    SALVADOR, responde agora meu camarada… to louco pra saber o que vc acha dos textos que o DENILSON MARTINS mostrou. eh mentira ???

  14. mauro

    Denilson, ninguém nega isso: “Bastava, contudo, um cIube italiano namorar um jogador do Palestra, para que, pelo menos os mais importantes italianos do clube do Parque Antárctica, mesmo os ja de comenda ao peito, se considerassem honrados. Como se um conde legítimo lhes pedisse a filha em casamento.” Pelo contrário, existe até hoje em muitos. Mas é diferente de você tomar isso como algo institucional, como política do clube. Esse sentimento de enobrecimento pela ligação com a Europa não é exclusividade do Palmeiras, está em toda elite brasileira (que ativamente procurou se branquear no início do século, inclusive importando italianos para isso).

    Daí a chamar o clube de racista vai uma distância ( e uma distorção e miopia seletiva) bem longa. Então, por a torcida da vila sônia hostilizar o ricky devemos assumir q o SP é um clube homofóbico? Ou devemos chamar toda a torcida de homofóbica só pq o seu JJ impede o ricky de sair do armário?

    É legal ir devagar com a coisa, fazer menos generalizações ao estilo veja e ter um pouco mais de respeito.

  15. marcos alexandre de lima

    presidente,se vocês quiser ser campeão brasileiro é so manter esse elenco.obrigado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: