Advertisements
Blog do Paulinho

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“O homem é o único culpado da sua própria perdição”

Textos Islâmicos

———————————–

SAFESP sem sede

Recebi com estupor contato do ex-árbitro Benedito Martinho Correia de Oliveira (Benê) relatando que o juri171consulto teve a coragem de alugar a sede do SAFESP para empresa localizada na mesma rua do Sindicato.

José de Assis Aragão

A informação lhe foi repassada por outro ex-árbitro, José de Assis Aragão, que também estava indignado.

Constatação

Benê dirigiu-se ao SAFESP e constatou a presença de dois veículos estranhos ao Sindicato dentro da sede, assim como movimentações de adequações do agora locatário.

Estatuto estuprado

“O estatuto não permite esse tipo de negócio’, disse Benê em mensagem enviada à coluna.

BO e Assembleia Geral

Diante desse desrespeito escandaloso a todos os árbitros, não há solução que fuja da elaboração de um Boletim de Ocorrência com instauração de inquérito, promoção de ação judicial de reparação moral e material e, principalmente, Assembleia Geral para destituição dessa gente antes que não sobre nem mais o computador em que recente perícia constatou ser utilizado para frequência em sites pornográficos e de tráfico humano para possível escravidão.


OAB recontratou SAFESP para assumir arbitragem das disputas futebolísticas na Capital, Grande São Paulo e Baixada Santista

Nos anos antecedentes a gestão do juri171consulto havia número de sócios para garantir o compromissado com a OAB.

Atualmente

Se houver cinquenta sócios pagantes, coloco minha mão no fogo;

Assim sendo

Sou convicto que maioria dos escalados não são associados.

Desafio

Que o juris171consulto, vice e diretoria publiquem no site SAFESP nomes e número dos árbitros que se apresentaram e irão se apresentar para exercem a atividade nos jogos da OAB.


Confira abaixo o programa “COLUNA DO FIORI”, desta semana.

Nele, o ex-árbitro comenta assuntos, por vezes, distintos do que são colocados nesta versão escrita:

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.


12ª Rodada da fase classificatória da Série A do Paulistão 2022

Sábado 19/03

Ferroviária 2 x 0 Mirassol

Árbitro: Douglas Marques das Flores

VAR

Vinicius Furlan

Item Técnico

Deixou de marcar duas faltas e inverteu uma

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 defensores da equipe mandante e 02 para visitante

No todo

Desempenho normal dos representantes das leis do jogo

Domingo 20/03

Grêmio Novorizontino 0 x 1 Corinthians

Árbitro: Thiago Lourenço de Mattos

VAR

Danilo da Silva

Item Técnico

Sem dificuldades

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 01 para equipe mandante e 01 para visitante

///  ///   /// ///   ///   ///   ///   ///   ///

Quartas de Final da Série A do Paulistão 2022. Partida única: perdeu já era

Terça Feira 22/03

São Paulo 4 x 1 São Bernardo

Árbitro: Douglas Marques das Flores

VAR

José Claudio Rocha Filho

Item Técnico

1º – Acertou por ter determinado o seguir da contenda quando do encontro corporal normal ocorrido entre Matheus Salustiano defensor são-bernardense com oponente Eder.

2º – Corretamente determinou a sequencia do lance em que o atacante são-bernardense Davó gesticulando expressou que houvera sofrido penalidade máxima

No todo

Nos primeiros minutos quando exigido ficou oscilante; passado estes momentos, contando com a mudança da postura de parte dos rivais levou a contenda até o final, sem influir no resultado.

Realço

O desempenho técnico do assistente Daniel Paulo Ziolli, idem da assistente Fabrini Bevilaqua Costa (FIFA).

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 03 para defensores do Tricolor e 03 para Tigres defensores do Bernô

Vermelho: Correto depois do segundo amarelo para Paulinho Moccelin defensor são-bernardense.

Quarta Feira23/03

Red Bull Bragantino 1 x 0 Santo André

Árbitro: Raphael Claus (FIFA)

VAR

Thiago Duarte Peixoto

Item Técnico

Mesmo sem ter sido exigido, durante o transcurso da refrega, esteve distante dos lances e apatia.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 01 para mandante e 01 a visitante

Palmeiras 2 x 0 Ituano

Árbitro: Thiago Luis Sacarascati

VAR

Péricles Bassols Pegado Cortez

Item Técnico

1ª – Acertou por ter apontado a marca da cal no instante em que Cleberson defensor do Ituano, ergueu o braço para cortar trajetória da redonda vinda da cobrança de escanteio;

Penalidade

Batida por Raphael Veiga, transformada no primeiro gol alviverde.

2º – Corroborou com a assistente Neuza Ines Back (FIFA) quando da posição de impedimento do atacante palmeirense Breno no lance findado com a bola no fundo da rede

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 01 para Alviverde e 03 para Rubros Negros

Vaselinou

Ao retirar o cartão vermelho que houvera mostrado para o palmeirense Breno por ter revidado falta cometida pelo oponente Iago, e trocado pelo cartão amarelo; deveria ter expulsado os dois.

No todo

Desempenho pra lá de fraquíssimo do principal representante das leis do jogo.

Quinta Feira 24/3

Corinthians 1 x 1 Guarani no tempo normal.

Decisão por penalidades máxima

Corinthians 7 x 6 Guarani

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (FIFA)

VAR

Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Item Técnico

Trabalho normal. Disputa meia boca

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para mosqueteiros e 05 para buguinhos, Dentre estes: Daniel dos Santos Cerqueira, Auxiliar Técnico.

———————————-

Política

No MEC se usa o nome de Deus em vão para algo bem conhecido: roubalheira

Bomba cai no colo da bancada evangélica do Congresso, um dos pilares de sustentação do governo, e atrapalha as crenças éticas de uns e os negócios de outros

Como se vê, a política de “Deus acima de todos” no Ministério da Educação não tem nada de religiosa, ideológica ou mesmo partidária e eleitoral, o que já seria escandaloso. É muito pior. É o uso do nome de Deus em vão, para algo que tem um nome bem conhecido: roubalheira.

O ministro Milton Ribeiro, ele mesmo um pastor, terá muita dificuldade em apontar onde está, afinal, o interesse público na mediação de dois pastores, sem qualquer vínculo com o MEC, e sem o menor prurido, para rachar as verbas da pasta para as prefeituras.

Milton Ribeiro terá muita dificuldade em apontar onde está, afinal, o interesse público na mediação de dois pastores, sem qualquer vínculo com o MEC, e sem o menor prurido, para rachar as verbas da pasta para as prefeituras. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Depois de revelarem mais um gabinete oculto (ou do culto?) num governo cheio de gabinetes estranhos – paralelo, secreto e do ódio —, os repórteres Breno Pires, Felipe Frazão e Julia Affonso, do Estadão, agora nos trazem um áudio que explica tudo o que Ribeiro não consegue responder. Em entrevista gravada, o prefeito Gilberto Braga, de Luiz Domingues, no Maranhão, mostra o preço da bondade dos dois despojados pastores do gabinete oculto do MEC: R$ 15 mil de cara, para o projeto ter alguma chance, e um quilo em ouro depois, como recompensa pelo esforço para “ajudar” o município. Pela cotação atual, é mais do que R$ 300 mil. Nada mal.

Somando as revelações, o resultado é que a bancada evangélica foi a primeira a gritar por transparência e decência, jurando que não tem nada a ver com isso. Quem tem? O ministro, que participou de 19 reuniões com os dois pastores, que não são do seu staff? Ou o presidente Jair Bolsonaro, que é chefe do ministro e, no mínimo, conhece os dois ungidos?

O fato é que a bomba cai no colo da bancada evangélica do Congresso, um dos pilares de sustentação do governo, e atrapalha as crenças éticas de uns e os negócios de outros. Vamos ver no que vai dar, inclusive porque a oposição já se mobiliza por uma nova CPI, depois da devastadora CPI da Covid no Senado. E, com nossos repórteres a postos, muita coisa ainda está por vir.

Entre tantos desmanche, na cultura, na política externa, no ambiente, na saúde, o governo se esmerou na Educação, uma área chave em qualquer país, mas particularmente crucial no Brasil, com uma desigualdade social histórica que começa justamente nas escolas. O primeiro ministro mal falava português e era um peixe fora d’água, o segundo mal sabia escrever em português, gastava o tempo em guerrinhas ideológicas e queria prender os ministros do Supremo, o terceiro não chegou a assumir, depois das revelações constrangedoras sobre seu currículo e seus diplomas.

Assim chegamos ao pastor Milton Ribeiro, que começou dando uma entrevista — ao Estadão — dizendo que os jovens gays são frutos de “famílias desajustadas”. Já seria escandaloso na boca de qualquer educador, mas na do ministro da Educação foi o prenúncio do que Priscila Cruz, do Todos Pela Educação, atesta: “Ribeiro é o pior ministro do MEC da história”. Se a Priscila diz isso, quem sou eu para questionar?

Jornalista Eliane Cantanhêde. Publicado no dia 24/03/2022 na pagina A12 do Estadão

———————————-

Finalizando

Jesus andava com prostitutas e pecadores.

Os pastores modernos querem andar com políticos e patrocinadores.

Lucas Santos: Pensador

—————————————-

Chega de corrupção e cascatear em nome de Jesus

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-26/03/2022

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: