Advertisements

Sem alarde, Landim vai empurrando o Flamengo para areia movediça

Na última semana, o Flamengo tomou, com aprovação do Conselho Deliberativo, R$ 35 milhões em empréstimos do BRB, complicada instituição financeira que também é patrocinadora do clube.

Em abril de 2020, já havia recorrido ao mesmo expediente, no valor de R$ 50 milhões.

Meses depois, em setembro, foram mais R$ 90 milhões.

Ou seja, o BRB paga R$ 32 milhões ao ano para o Flamengo, mas, em apenas dez meses, a agremiação carioca tornou-se devedora de R$ 175 milhões à instituição.

O cheiro não é bom, assim como a explicação recente da diretoria rubronegra:

“O Flamengo continua saudável financeiramente e com todas as receitas previstas em seu orçamento”

“A gestão atual não abre mão, em hipótese alguma, da responsabilidade financeira, tão importante e que fez o Clube se destacar, até chegarmos ao momento atual”

A realidade, óbvia, é a de que os cartolas estão gastando mais do que arrecadam e, espertamente, estão alongando a dívida.

O procedimento, ideal apenas para manter a bolha que respalda grupos políticos e dá a falsa ilusão de saúde financeira, costuma passar despercebido nos anos iniciais, mas, diante da frequência de acúmulos de parcelas – conforme demonstrado desde 2020, em breve impactará em gestões futuras e, se não contido, acabará por levar o Flamengo a situações semelhantes às vividas nos tempos em que arrecadava no almoço para conseguir pagar o jantar.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: