Operadores de contrato do BMG com o Corinthians são indiciados por corrupção pela Polícia Federal

Ricardo Guimarães (presidente do BMG) e Kia Joorabchian

Ontem (29), a Policia Federal, no âmbito da ‘Operação Descarte’, realizou busca e apreensão na sede do BMG, afamado ‘Banco do Mensalão’, em Minas Gerais, e também em diversos outros escritórios ligados ao grupo, em São Paulo, Santana de Parnaíba, Vargem Grande Paulista, Jaguariúna, Nova Lima, Machado, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

As acusações são de sonegação, corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

O BMG, segundo a PF, tem como hábito fechar contratos por valor ‘X’ e pegar de volta, ilegalmente, percentual do que pagou ao parceiro, praticando, em alguns casos, a divisão desse montante com diretores de ambos os lados.

Recentemente, o grupo intensificou ‘investimentos’ no submundo do futebol.

Nesse contexto, a movimentação mais relevante é encontrada no Corinthians, em que, há anos, circula dinheiro do BMG em contratos de empréstimos, patrocínios e demais negócios, alguns realizados com o Coimbra/MG, clube administrado pelo banco e, segundo fontes do mercado, utilizado para inscrever jogadores ligados ao iraniano Kia Joorabchian, parceiro do presidente da instituição financeira, Ricardo Guimarães, e também do mandatário do Timão, Andres Sanches.

Na operação de ontem, a PF indiciou como operadores das práticas ilícitas: Márcio Alaor de Araújo, vice-presidente do Banco BMG, e Marcus Vinícius Fernandes Vieira, diretor jurídico do banco.

Os dois negociaram o contrato com o Corinthians.

Na época do Mensalão, em 2012, Ricardo Guimarães foi condenado a sete anos de prisão e Marcio Alaor de Araujo a cinco, porém, ainda assim, e por razões óbvias, seguiram atuando nas transações do BMG.

https://esportes.estadao.com.br/noticias/geral,pai-do-diretor-do-bmg-tambem-esta-entre-os-punidos-do-mensalao-imp-,951960

Poucas horas após a operação da Polícia Federal, o BMG afastou, somente por decisão judicial, os apontados operadores dos esquemas.

Patrocínio do Corinthians com BMG é de R$ 12 milhões; clube se explica | LANCE!

Luis Paulo Rosenberg, Andres Sanches, Ricardo Guimarães e Marcio Alaor de Araújo

Corinthians e BMG: a mentira tem perna curta e não é marketing | by Pedro Henrique Brandão | Medium

Marcio Alaor de Araújo e Luis Paulo Rosenberg

Marcio Alaor de Araújo e Ricardo Guimarães

25.jpg

Marcio Alaor de Araújo

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.