Advertisements

Quem acabará com a farra do ‘Jogo de Bicho’ no Sub-23 do Corinthians?

Coelho, Mané da Carne e Jaça

Clube contratou 33 jogadores durante a pandemia enquanto atrasava, em quatro meses, salários da equipe principal

Para acomodar o afamado bicheiro Jaça, responsável por trazê-lo ao Parque São Jorge e a ele associar-se em diversas estripulias, o presidente do Corinthians, Andres Sanches, recriou o departamento sub-23 no futebol alvinegro.

Ontem, o clube anunciou, mesmo sem ter dinheiro para quitar contas básicas e com dívida próxima de R$ 1 bilhão, a contratação do 33º jogador para a equipe.

Trata-se de Adriel Silva, que ‘jogava’ na expressiva 3ª Divisão do Japão, onde assinalou um gol em dezoito partidas !!!

Seus novos companheiros de clube são tão conhecidos e pouco produtivos quanto, o que leva o Timão a, desde algum tempo, figurar como ‘saco de pancada’ da categoria.

Ou seja, existem três times inteiros contratados para atender a demanda de jogadores encostados de diversos empresários, todos objetivando ‘maquiar’ o currículo para, no futuro, enganar os próximos otários.

Mas não são apenas os agentes que ganham.

O Sub-23 do Corinthians é tocado, e não poderia ser diferente, como se fosse uma banca de ‘Jogo do Bicho’, em que o clube – pagador de salários e demais despesas, além de ‘marca’ a ser envergonhada nas competições – age como apostador viciado, sabedor de que o vencedor, independentemente do resultado final, sempre será o bicheiro.

Há evidente, mas negada, conivência dos departamentos de base e profissional do Timão, gerenciados por aliados antigos de Andres Sanches.

Quem, entre os candidatos a presidente do Timão, terá coragem de passar o trator em cima dessa banca?

Duílio certamente não.

Gobbi, se atender ao discurso de seu vice, Ezabella, apenas trocará de banqueiro.

Maritan, que bajula a todos os demais, não tem voto, coragem, nem força para mudar.

Paulo Garcia é o ‘Centrão’ e não se meterá em confusão.

Augusto Mello, sempre que foi questionado sobre o assunto, elogiou a possibilidade do Sub-23 dar espaço aos garotos da base, mesmo que as coisas nunca tenham, de fato, funcionado dessa maneira no Parque São Jorge.

Trinta e três contratações para um time Sub-23, com o clube devendo, até outro dia, quatro meses de salários ao elenco de profissionais, em qualquer organização séria do planeta resultaria em inquérito policial e afastamento sumário do presidente.

Andres Sanches e Jaça
Jaça (diretor da base) e Mané da Carne (acusado de desviar e cooptar jogadores)
Osmar Stábile, Jaça, Wagninho e Ronaldo Giovanelli
Jaça e Nenê do Posto
Mané da Carne, Jaça, Rosenberg, (não identificado), Eduardo ‘Gaguinho Ferreira e Sheik
Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: