Advertisements

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.br Email: caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“Alguns preferem viver no conforto da mentira do que enfrentar o incomodo da verdade”

Pensamento de: Danilo Henrique

——————————————————-

Regimento eleitoral SAFESP foi e continua vilipendiado

Como o fiz durante a campanha eleitoral, volto a fazê-lo, para clarear e tentar convencer os associados votantes na chapa Aurelio/Regildenia, o que diz o:

Artigo 5° do Regimento Eleitoral

São fatores impeditivos de posse ou de permanência no cargo, Presidente e Vice Presidente, que tenham vínculo ou atuem no futebol profissional.

Ora!

Admitam a culpa de neles terem votado após alertas expostos neste espaço durante o andamento da campanha eleitoral.

Da

Posse até julho nada proporcionaram para os árbitros;

Contudo

Fortaleceram o vínculo indireto (Aurelio) por ter aceitado sugestão do presidente de federação indicando José Aparecido de Oliveira fora do quadro associativo desde que parou de arbitrar, como também, no capcioso e-mail enviado a CA-FPF, cuja resposta obriga os árbitros inscreverem-se no MEI (Microempreendedor Individual). Regildenia por ter atividade remunerada na CONMEBOL e FPF.

Mas

Frequentador contumaz dos imundos ventos circulantes das salas do prédio da FPF, notadamente: a sala presidencial.

Infidelidade

Dos dois para com associados é longínqua; explico:

Passados

Sete meses não cumpriram o apalavrado de sindicar a gestão Arthur Alves Junior,

Recentemente

Descumpriram a legislação não convocando assembleia geral para aprovar ou desaprovar as contas ano 2019, igualmente, projetar para o ano 2020.

Para

Fortalecer meus presságios, Aurélio Sant’Anna Martins morador na cidade de Jacareí, licenciou-se objetivando disputar politico eletivo na próxima eleição.

Mesmo

Licenciado e não cumpridor do prometido Aurelio prossegue com o cascatear nos olhos e ouvidos dos eleitores da simpática cidade do vale paraibano.

——————————————————–

União dos Operários

Constituído no dia 01 de Maio do ano 1917, por membros das famílias Dotti e Carosi, junto a outros imigrantes italianos.

A primeira

Sede e campo de futebol localizaram-se no antigo Largo do Catumbi (contemporânea Praça General de Souza Melo) onde permaneceu do ano 1919 a 1939.

Todavia

As mutações dos arredores com expansões dos espaços das fabricas e comercio, junto a residências, incidiram gradativamente na transformação do local;

Fatores

Que animaram os componentes a encontrar espaço no terreno da Rua Manoel Ramos Paiva esquina com Avenida Ariston Azevedo,

Implantando

Ali o segundo campo de futebol e sede, permanecendo dos 1939 a 1961;

Ano

Que o poder municipal construiu a EMEI Professora Eldy Poli Bifone;

Conhecedores

Da existência do terreno na Rua Juvenal Gomes Coimbra, não hesitaram,

Habituados

A lutar pelo ideal, procuraram o dono do terreno, requerendo autorização para que o clube ali se instalasse,

Definindo

Que junto ao campo de jogo promoveriam diversas melhorias;

Consolidadas

E atualizadas ao longo dos anos com a coparticipação dos dirigentes sócios e simpatizantes altruístas,

Construindo

Campo de futebol gramado e cultivado com muito acalanto, arquibancada, ginásio esportivo, quadras de futebol de salão e futebol soçaite, recintos para confraternizações contendo churrasqueiras e vários aditamentos.

Referente

Ao futebol, a equipe União dos Operários Futebol Clube desde seu nascer enfrentou fortíssimos adversários dentro e fora de seu campo; palco que foi cedido,

Na

Segunda metade dos anos 1970 aos organizadores do evento “Desafio ao Galo” competido por times da várzea;

Criado

Pela TV Record no ano 1972, fundado por: Nilton Travesso e Antônio Augusto Amaral de Carvalho (Tuta) e produzido por Salvador Trédice;

Alguns

Dos narradores esportivos, comentaristas e repórteres de campo, que passaram ao longo do tempo no programa foram: Fausto Silva, Randal Juliano, Raul Tabajara, Joseval Peixoto, Samuel Ferro, Vital Bataglia, Alberto Helena Júnior, Tiago Leifert, entre outros.

Programa

Transmitido das 10h às 11h e 45 da manhã de cada domingo, abocanhando respeitável índice de audiência dos aficionados pelo futebol varzeano,

Conhecedores

Que maioria das equipes continha ex-profissionais e amadores com muita personalidade e condição técnica.

Nessa

Condição o União dos Operários montou suas competidíssimas equipes nas vezes que participou do Desafio ao Galo e Super Galo, como exemplo:

Foto

Dos integrantes da equipe participadora do Super Galo no inicio da década 1990

Alguns dos destaques: Sacy, Peru e Miltinho (Comissão técnica); Jogadores: Robson, Wander, Amaral (Defensor do Corinthians e Seleção Brasileira 1978), Di Brandão, Miguel (Goleiro do Juventus e Portuguesa), Daniel e Mauro. Comissão técnica: Sacy, Peru e Miltinho.

Disputado

No campo do CMTC Clube centrado na Avenida Cruzeiro do Sul depois de ter saído do campo do União dos Operários.

Intensivas

Disputas ocorreram e ocorre no campeonato interno, igualmente: no famoso rachão das quintas feiras à tarde.

Notando

Meu sincero agradecimento ao amigo Wander Cerejo sanando alguma dúvidas e gentileza de ceder o livro União dos Operários F.C. “Cem anos de história no futebol”

Escrito

Por Gerson Soares com prefação de José Eduardo Savóia;

Que

Explana com riqueza de detalhes e fotos o histórico do simpático e popular clube.

// // // // // // // // // // // // // // //

Aviso

Senhores dirigentes dos clubes amadores que queiram colaborar com este espaço deixem mensagens no site: http://blogdopaulinho.com.br, ou no whatsapp (11) 98402-3121, deixando número do celular para que eu possa dar retorno (lembrando que não se trata de matéria paga como ocorre noutros locais), ou seja, nada será cobrado, mas sim de conteúdo jornalístico com intenção de imortalizar a rica história das agremiações.

——————————————————-

Aviso nº 2

Não deixe de assistir, ao final da Coluna, a versão em vídeo de meus comentários, detalhando assuntos aqui tratados e abordando outros não inseridos na versão escrita.

——————————————————-

Política

Desastre anunciado

O quadro eleitoral americano parece confirmar as previsões para nossa política externa

Profissional de carreira que é, pode-se assumir que o embaixador brasileiro em Washington já cultive contatos com os democratas que provavelmente vão assumir junto com Joe Biden. Talvez áreas do governo como Economia, Infraestrutura, Agricultura, Minas e Energia, além das pastas militares, possam ajudá-lo. O pessoal da área internacional “pura” do atual governo só tem os números da turma ligada a Trump.

Se as eleições fossem hoje Trump estaria fora, e as relações do Brasil com Washington em precária situação. A opção preferencial pela pessoa do Trump feita por Jair Bolsonaro configura-se um desastre de proporções inéditas na história da nossa política externa. Não há exemplo de “alinhamento automático” tão mal conduzido. Mesmo na Guerra Fria o regime militar brasileiro levou nossos negócios em relação aos EUA de forma mais autônoma.

Cristalizaram-se nos últimos dias dois dilemas geopolíticos que se tornaram ainda piores devido ao apego de Planalto a Trump. O primeiro é o fato de que Joe Biden, o candidato democrata que hoje derrotaria Trump apresentou um ambicioso programa de recuperação econômica dos Estados Unidos baseado na “economia verde”, o que inclui a volta dos Estados Unidos ao Acordo de Paris (que o Brasil, macaqueando Trump, maltratou).

Procura jogar a ainda maior economia do mundo numa larga avenida de investimento em energias renováveis, novas tecnologias e provavelmente exercendo ainda maior pressão política e comercial sobre o Brasil e suas políticas ambientais. Biden não vai conseguir fazer o relógio voltar para trás, mas promete retomar muito do “multilateralismo” (“globalismo”, como preferem dizer os bolsonaristas) e restituir parte da importância de agências que Trump fez questão de tentar destruir, como as da ONU (em alguns casos, com implícita colaboração brasileira).

A outra questão geopolítica é a participação da gigante de telecomunicações chinesa Huawei na infraestrutura brasileira do 5G, uma decisão que se aproxima para legisladores e governantes brasileiros, e que já causa notável angústia. O ministro Paulo Guedes resumiu há pouco o problema: “o ideal seria deixar a competição progredir, americanos contra chineses, mas surgiu essa questão geopolítica”. Trata-se da cobrança para o Brasil seguir o mesmo caminho que o Reino Unido, que foi banir a gigante chinesa de telecomunicações.

O 5G vai colocar também a cúpula militar brasileira contra a parede. Nossos militares no momento celebram, e com razão, um entendimento com os americanos que promete aplainar o acesso a tecnologias de ponta na área de defesa. Mas os sinais vindos de Washington são inequívocos: parcerias estratégicas no campo de defesa vão depender do comportamento do Brasil em relação ao uso de tecnologia e equipamentos chineses.

Conter a China é um consenso entre republicanos e democratas nos EUA, com a diferença do mau humor em relação ao Brasil que se pressupõe inicialmente de uma administração democrata – que ainda por cima tem boas chances de conquistar nas urnas em novembro também o Senado. Boa parte do nosso governo acredita que a China precisa comer e não vai retaliar o Brasil, um de seus principais fornecedores de commodities agrícolas. É uma perigosa zona de conforto mental. A China tem condições de nos causar muita dor.

Na figura do general Hamilton Mourão, vice presidente e coordenador das políticas para a Amazônia, o governo brasileiro admitiu no Senado esta semana que a guerra das narrativas está perdida para nós, que o Brasil está na defensiva, e que precisa apresentar resultados ao mundo para “sair das cordas” (Mourão). O que deixa Bolsonaro diante de um problemão formidável de política externa pelo qual só pode culpar a si mesmo.

Jornalista: William Waack – Publicado no Estadão do dia 17/07/2020

——————————————————–

Finalizando

“O puxa-saquismo é o fundo do poço da alma de uma pessoa”

Adágio de: Aurilene Damaceno

———————————————————

Chega de Corruptos e corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-18/07/2020

Confira abaixo o programa “COLUNA DO FIORI”, desta semana.

Nele, o ex-árbitro comenta assuntos, por vezes, distintos do que são colocados nesta versão escrita:

*A coluna é também publicada na pagina http://esporteformigoni.blogspot.com

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: