Advertisements

A histórica façanha do Liverpool

Numa desempenho histórico, o Liverpool, que perdeu o primeiro jogo da semifinal para o Barcelona, na Espanha, por três a zero, virou tudo na Inglaterra, assinalando os necessários quatro gols que colocaram-no em mais uma final de Champions League.

Motivados pela necessidade de golear, os ingleses disputaram os 25 minutos iniciais de maneira alucinante, gerando grande problemas para a defesa espanhola.

Nestes, aos 06 minutos, Jordi Alba recuou errado, a bola sobrou para Mané servir a Henderson, que chutou cruzado, Ter Stegen defendeu e, no rebote, Origi abriu o marcador.

O Liverpool, nos minutos seguintes, quase ampliou o placar diante dum setor defensivo do Barça que se confundia tamanha era a movimentação adversária.

Porém, a partir da metade da primeira etapa, Lionel Messi começou a aparecer mais para o jogo, e, consequentemente, o equilíbrio se fez presente.

O argentino, em diversas conclusões e nos passes espetaculares aos companheiros, criava ótimas oportunidades para o Barcelona, mas Alisson, sempre bem colocado, impedia o empate.

Ainda assim, com o Barça mais atuante, o Liverpool era sempre perigoso quando conseguia encaixar algum ataque.

No segundo tempo, logo aos 5 minutos, Messi deixou Suarez na cara do gol, mas Alisson, novamente, salvou os ingleses.

Quando o equilíbrio parecia vigente, em dois minutos a história do jogo mudou, com Wijnaldum, que acabara de sair do banco de reservas, assinalando dois gols, aos 8 e 10 minutos, aproveitando-se de duas bobeadas espanholas em bolas cruzadas na área.

O Barcelona entrou em parafuso e o Liverpool, ensandecido, atacou ainda mais.

Messi tentou diminuir, aos 22, mas Alisson defendeu.

Aos 33 minutos, o milagre, da maneira mais inusitada possível: escanteio pela direita, todos os jogadores do Barcelona desatentos, talvez esperando o apito do árbitro, mas, de maneira inteligentíssima, o garoto Alexander-Arnold bateu rasteiro para Origi, sozinho, desviar para o gol.

Quatro a zero impossíveis conseguidos por uma dedicação emocionante dos jogadores do Liverpool.

No final, na base do desespero, o Barcelona tentou de tudo, mas pouco conseguiu ameaçar a meta adversária.

Liverpool e, provavelmente, Ajax, deverão realizar uma final de Champions de arrepiar.

Ao Barcelona fica a lição de que não há vantagem irreversível quando duas equipes de futebol tão espetaculares estão dentro de campo, nem mesmo se uma delas tiver o melhor jogador do mundo vestindo seu uniforme.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: