Advertisements
Anúncios

As “pedaladas” do Cruzeiro

Itair Machado

O leitor do Blog do Paulinho soube, desde antes da posse, que os novos dirigentes do Cruzeiro, em verdade, atuam como associados em transações de jogadores, por vezes explicitamente, noutras, por intermédio de terceiros.

A presidência, ocupada por Wagner Pires de Sá, não suja as mãos, mas permite que a lama invada a Toca da Raposa, restando saber por quais motivações.

Itair Machado e seus sócios, entre os quais o lamentável Ângelo Pimentel, dominam o departamento mais importante do clube, o de futebol, amparados na permissividade de um Mano Menezes que nunca se opôs à atuação nem sempre transparente dos agentes de jogadores (por muitos anos ajudou a vida do empresário Carlos Leite).

Não demorou para o caos financeiro aparecer.

Machado, em entrevistas, enganava o torcedor, não apenas desmentindo o que o mercado da bola confirma, mas também dizendo que o clube havia pagado R$ 100 milhões em dívidas no ano de 2018.

A verdade, demonstrada em balanço ao Conselho Deliberativo, é estarrecedora: a pendência cruzeirense, em vez de diminuir, cresceu em R$ 136 milhões, totalizando preocupantes R$ 520 milhões.

Os valores só não foram maiores porque a administração do Cruzeiro, em procedimento que faz lembrar as “pedaladas fiscais” que derrubaram uma presidente do Brasil, inseriu nas contas de 2018 os valores da venda de Arrascaeta, formalizada apenas em 2019.

Enquanto isso, em meio ao caos financeiro da agremiação, seus dirigentes apresentam estranha evolução financeira, principalmente Itair, que passou a quitar pendencias judiciais que antes empurrava com a saliente barriga.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: