Advertisements

Time B do Corinthians: “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”

Fernando Alba, Sergio Alvarenga, Felipe Ezabella e Raul Correa da Silva

“Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”, é famoso ditado popular utilizado para exemplificar comportamentos hipócritas de determinadas pessoas.

O grupo “Corinthians Grande”, ex-Corinthianos Obsessivos, mantido financeiramente pelo ex-diretor Raul Corrêa da Silva, manifestou, em mídia social, preocupações à respeito da montagem do “Time B” alvinegro.

Lembrou que 26 atletas do clube estão emprestados.

Destes, onze com idade Sub-23, em tese, limite para montagem do elenco deste time “alternativo”.

Na mesma nota, o “Corinthians Grande” alerta:

“Em NENHUM momento esta equipe pode servir de apoio ou de barriga de aluguel para empresários”

“Esperamos também que o clube não invista na contratação de jogadores apenas para o Sub 23 – fato que, infelizmente, já está acontecendo”

Trata-se de enorme cara-de-pau.

Um dos líderes do grupo, o agente de jogadores e também dono de estacionamentos, Fernando Alba, tão presidenciável quanto Felipe Ezabella o foi nas últimas eleições, ocupou o cargo de vice-presidente (depois diretor) das categorias de base do Corinthians durante duas gestões, praticando exatamente os hábitos agora recriminados.

O “entra e sai” de jogadores da equipe B era tão grande que chegou-se ao escárnio da contratação, com salários de R$ 40 mil mensais, de um atleta com mais de 40 anos de idade, em meio a diversos indicados de empresários, muitos além dos 23 anos, à época, também prometidos.

Advertisements

Facebook Comments

1 comentário em “Time B do Corinthians: “faça o que eu digo, não faça o que eu faço””

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: