Advertisements

Demissão de Rosenberg seria acerto entre Andres Sanches e Paulo Garcia para aprovação das contas do Corinthians

Ontem (25), o presidente do Corinthians, Andres Sanches, demitiu um de seus aliados mais relevantes, o então primeiro ministro Luis Paulo Rosenberg, que mandava no marketing, estádio e também nas finanças alvinegras.

Há dúvidas, porém, se não se trata de um desligamento de fachada, diante do histórico de ambos, interligados por rabos conectados em imoralidades diversas.

A demissão, verdadeira ou não, se deu por conta de pressão do conselheiro Paulo Garcia, que teria condicionado este procedimento aos votos de seus subordinados (são dezenas de conselheiros) à aprovação das contas de 2018.

Sanches, acuado pelos péssimos resultados financeiros, não teve alternativa.

As declarações recentes, e desastradas, de Rosenberg à mídia, apontadas como decisivas ao afastamento, apenas emolduraram o que já estava praticamente finalizado.

Aproveitando-se do momento, o também conselheiro Edgard Soares, de currículo desaconselhável, fez chegar a Andres Sanches suposta proposta para venda de naming-rights do estádio, sugerindo, porém, nos bastidores, que ele próprio passe a ser administrador do marketing do Timão, e, consequentemente, do estádio de Itaquera.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: