Advertisements

Reflita sobre estupro, se for homem

estupro

Do EL PAÍS

Por XICO SÁ

Por mais que você, homem sensível, diga que sente na pele, jamais sentirá o pavor de vislumbrar no beco a ameaça do estupro que ronda as mulheres no Brasil

Por mais que a gente se diga envergonhado, por mais que você, homem sensível, diga que sente na pele, por mais que esteja indignado e solidário, por mais que tente eliminar o machismo em atos e palavras, por mais que faça sua parte, por mais que não entenda a covardia e monstruosidade dos seus semelhantes, por mais que peça punição contra a barbárie na zona sul ou no Morro São José Operário, zona oeste do Rio de Janeiro… Jamais sentirá o pavor de vislumbrar no beco, na próxima esquina, a sombra do inimigo, a ameaça do estupro que ronda as mulheres no Brasil cada vez que o relógio corre 11 minutos. Por mais que você até arrepie os pelos, jamais sentirá na carne.

Por mais que você não entenda os machos que sempre buscam culpar as “vadias”, por mais que você condene o discurso na linha “Bolsomito”, por mais que você julgue importante ter mulheres nas equipes de governo, por mais que você vá à passeata feminista, por mais que você ache bizarro o ator Alexandre Frota — o piadista da cultura do estupro — em confraria com o ministro interino da Educação em Brasília… Por mais que você se ponha no lugar da vítima, nunca saberá o terror que se instala no cérebro como um pesadelo interminável.

Mea culpa

Por mais que você resolva deixar de ser reaça e retire o seu apoio aos projetos-de-lei homofóbicos do Congresso, aos projetos anti aborto etc. Por mais que você esqueça o passado de porco chauvinista. Por mais que você cresça e deixe de puxar os cabelos das meninas nos bares, festas e boates. Por mais que você saque e nunca mais caia na besteira de achar que existe “vadia para transar e santinha para o casamento”. Por mais que tudo isso seja um avanço, ainda é pouco, muito pouco, pouco mesmo para sentir o drama que apavora as mulheres no vagão do trem, na rua escura, no parque…

Advertisements

Facebook Comments

5 Responses to “Reflita sobre estupro, se for homem”

  1. Carlo Ponzi (@CarloPonzi) Says:

    Texto nojento, desonesto e ativista de esquerda! Todo mundo sabe que quem é contra o aborto e contra a ditadura homoafetiva, é totalmente a favor de pena de morte para estupradores! Quem defende estuprador é quem fala em ‘Cultura do Estupro’, querendo tirar a responsabilidade do criminoso e repassá-la para a sociedade, que em sua maioria é honesta!

    Outro ponto importante: Existem inúmeros casos de homens que sofreram estupro, querer classificar esse crime hediondo apenas as mulheres, só reforça o caráter PICARETA dessa narrativa ativista que só atende um lado politico!

  2. Luiz Carlos Luchetta Says:

    Esse fulano não vale o que come. É um escroto.
    Naumly Nemlerey.

  3. Carlos Napolis (@napoliscarlos) Says:

    Paulinho, conheço um pouco do seu viés jornalístico, mas concordar com a opinião do Xico nesse tema é decepcionante. Divulgar a “cultura do estupro” é boçalidade intelectual.

    http://sensoincomum.org/2016/05/29/nao-existe-cultura-de-estupro-existe-esquerdismo/

  4. Charlton Heslich Hauer Says:

    O Xico Sá vive pichando todas crianças, adolescentes, adultos e idosos do sexo masculino, todos os dias. Ou seja, ele vende o próprio sexo em troca de audiência da sociedade MISÂNDRICA e de aprovação das feminazis. Ele vive DEMONIZANDO todos os homens e meninos por aquilo que de errado faz uma minúscula parte desses homens. Ele faz o mesmo que Hitler fez com os judeus. Xico Sá é um MONSTRO MISÂNDRICO FEMINAZISTA ( = feminista)!

  5. Charlton Heslich Hauer Says:

    E você, Paulinho, que repercute matérias bizarras como essa, reflita você, se for homem:

    “A Conseqüência Final do Feminismo, Parte I”: http://sexoprivilegiado.blogspot.com.br/2013/10/a-consequencia-final-do-feminismo-parte-i.html

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: