Governo tem que obrigar clubes de “empresários” a comprovar origem de recursos para bancar jogadores

malaquias, carlos e neymar pai

Os empresários de futebol, ainda atordoados com a decisão da FIFA de retira-lhes a posse dos direitos financeiros sobre os atletas, desandaram a mentir, dizendo-se “tranquilos”, e que basta comprar um clube para resolver a questão.

A verdade é bem diferente.

Nenhum deles quer trocar o lucro fácil e não fiscalizado pela quase impossível tarefa de gerir uma agremiação sem história, torcedores e fonte oficial de recursos.

Se o Governo fiscalizar, como se deve, os clubes de “fachada” ligados a essa gente, nenhum deles sobrevive ao primeiro balancete.

Como justificar o pagamento de salários a tantos jogadores e treinadores caros – que terão que ser inscritos nesses locais – sem renda de partidas, dinheiro expressivo das televisões ou patrocínio relevante ?

É por isso que o lobby dos empresários, com anuência de alguns jornalistas, é pela lorota dos 51% dos direitos para os clubes e 49% aos intermediários, com o discurso de que “quem tem a maioria do percentual comandará o negócio”.

Não no mundo em que dirigentes sem remuneração precisam dos agentes para ratear a comissão paga pelo caixa dos clubes, quando, na verdade, deveria sair do bolso dos jogadores, verdadeiros contratantes dos “empresários”.

Os cartolas pagam, mesmo sabendo ser errado, esperando pelo retorno, que abre as portas da riqueza a todos os envolvidos.

Um Ministro do Esporte sério e uma Receita Federal atuante podem, se quiserem, agora apoiados pela FIFA, acabar de uma vez por todas com essa farra.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.