Coluna do Fiori

fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

“Aprenda a se posicionar na vida!

Porque quem curte ficar em cima do muro, só pra ver de que lado irá se dar bem…

Geralmente acaba levando chumbo dos 2 lados”.

Cissa Souza

——————————————————————-

STJD

Punição faz de conta

Corinthians poderá contar com o apoio de Petros em campo até que o processo referente à agressão ao árbitro Raphael Claus seja decidido pelo Pleno do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Punido com 180 dias de suspensão, o jurídico do clube recorreu e pediu efeito suspensivo. Após analisar o processo, o relator Gabriel Marciliano concedeu o pedido para que o atleta possa atuar até o desfecho do caso em ultima instância.

No recurso, a defesa alegou possibilidade de prejuízo irreparável caso não possa contar com o reforço do atleta na equipe. Previsto no artigo 53, 4º da Lei Pelé para punições acima de duas partidas ou 15 dias de suspensão, o relator Gabriel Marciliano concedeu o efeito.

CA-CBF

“Confio” que Sérgio Correa da Silva, presidente da CA-CBF, tenha tomado providencias sobre a pusilanimidade do árbitro Rafael Claus, quando do ato intencional e agressivo praticado por Petros

Lembrando: que parte da pusilanimidade deve ser dividida com:

  1. a) Marcio Luiz Augusto: árbitro assistente 02
  2. b) Leandro Bizzio Marinho: árbitro adicional-02
  3. c) José Claudio Rocha Filho: quarto árbitro,

Fiscais da metade do campo pertencente à equipe corintiana que deveriam avisá-lo

15ª e 16ª Rodada da Serie A do Brasileirão – 2014

Sábado 16/08

Corinthians 1 x 1 Bahia

Árbitro: Anderson Daronco (ASP-FIFA-RS)

Itens técnico/disciplinar

Iniciou amarrando o jogo, apitava choque de sombra com sombra, depois, se tocou e soltou,

– pouco a frente recuou, nesta toada, foi até o fim.

– Cartão Amarelo: três pros atletas do Bahia, um para Corintiano, corretamente aplicados

No todo; os representantes das leis do jogo não influíram no resultado

Nota

Mano Meneses, técnico do Corinthians, no mínimo, deveria ter sido chamado à atenção por seqüência de reclamações, contrariando determinações da arbitragem;

– neste ponto, o árbitro Anderson Daronco, vacilou

Domingo 17/08

Palmeiras 1 x 2 São Paulo

Árbitro: Péricles Bassols Cortez

Item Técnico

Não foi Pênalti – Explico

– Troca de bola dos palmeirenses em direção a meta do São Paulo, dado instante,

– a redonda sobra pro atacante Felipe Meneses chutar em direção a meta adversária,

– na seqüência, a bola assusta o são-paulino Edson Silva, batendo no seu braço;

– de imediato, Péricles Bassols, apontou a marca da cal

Item Disciplinar

Deveria ter excluído Rafael Toloi por excesso de faltas, duas violentas

Conclusão 

Quem tem padrinho não morre pagão

Cruzeiro 3 x 0 Santos

Árbitro: Leandro Vuadem (FIFA-RS)

Item Técnico

O primeiro gol do Cruzeiro sinalizado por Marcelo Moreno foi irregular, explico

– Seu consorte Ricardo Goulart que estava em posição de impedimento, mesmo não tocando, correu em direção à bola e ludibriou o goleiro santista

16ª Rodada – Quarta Feira 20/08

Internacional 0 x 1 São Paulo

Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)

Item Técnico

Duas maneiras de atuar, primeira etapa, até por pisada na sombra paralisava a contenda; na segunda etapa, algumas das jogadas faltosas, correram soltas

Erros Principais

1º – Bola no interior da área do Internacional, na disputa, ocorreu enroscada de braços entre Alex, defensor do Inter e Alexandre Pato, atacante do São Paulo; percebendo que não levaria vantagem, Alex deu uma de migué e, se lança ao solo, vendo o perigo de gol; de imediato o árbitro marca falta

2º – Pato chuta a bola em direção a meta, no interior área do Inter, um dos seus defensores, intencionalmente, desviou a redonda com o braço; o árbitro, nada marcou

Coritiba 2 x 0 Vitória

Árbitro: Dewson Fernandes da Silva (ASP-FIFA-PA)

Item Técnico

Acertou por ter marcado a penalidade a favor do Coritiba na segunda etapa da refrega, cobrada por Keirrison, convertida no segundo gol

Item Disciplinar

Sem Problemas

Política / Eleições

Lula: Antes e Depois do falecimento do candidato Eduardo Campos

1

Palavras do Federal Roberto Freire sobre Lula

“Para quem chamava Eduardo Campos de `Dudu trairá´, `novo Collor´, entre outras agressões impublicáveis, a aparição do ex-presidente Lula da Silva no programa eleitoral do PT, falando sobre o líder pernambucano tragicamente desaparecido, se supera a canalhice.”

2

             MARINA SILVA? CUIDADO!

Denunciar os terríveis malefícios prestados à Igreja Católica pela Teologia da Libertação (TL) faz parte dos deveres cívicos e religiosos que me impus desde que comecei a escrever para jornais, nos anos 80. A TL é uma versão comunista da teologia cristã, que serve ao comunismo e desserve á Igreja. Já levo 29 anos tratando, periodicamente, desse lastimável, mas necessário tema.

Passadas quase três décadas, não encontrei motivo para corrigir uma linha sequer do que escrevi a respeito, muitas vezes incluindo no rol das minhas execrações vastos setores da hierarquia da Igreja instalados na CNBB, em alguns de seus órgãos e em segmentos de sua assessoria. Esses setores, nos anos 80, estavam mais preocupados com promover o PT e suas pautas. Agora estão mais preocupados com proteger os efeitos políticos sobre o PT das estripulias que esse partido promove com cotidiana dedicação.

Pois foi nesse mal coado e azedo caldo de cultura, cozido em água benta, que se formou Marina Silva, a senhora acreana que a morte de Eduardo Campos traz à ribalta desta eleição. Cuidado! A fala mansa da ex-vice de Eduardo Campos não se harmoniza com a rigidez e o radicalismo de suas posições. O dever cívico de conhecê-las não se cumprirá ouvindo o meigo discurso eleitoral que vem por aí. Há informações muito mais precisas e irrefutáveis na biografia da candidata.

Seu primeiro alinhamento político deu-se com filiação ao Partido Comunista Revolucionário (PRC), célula marxista-leninista albergada no PT onde militou durante uma década. Foi fundadora da CUT do Acre e lá, filiada ao PT, conseguiu o primeiro de uma série de mandatos legislativos: vereadora em Rio Branco, deputada estadual, senadora em dois mandatos consecutivos.

Em 2003, no primeiro mandato de Lula, assumiu a pasta do Meio Ambiente, onde agiu como adversária do agronegócio. Sua gestão deu-lhe notoriedade internacional e conquistou ampla simpatia de organizações ambientalistas européias que agem com fanatismo anti-progressista em todo mundo, menos na Europa… Foram cinco anos terríveis para o desenvolvimento nacional.

No ministério, Marina travava projetos de infraestrutura, impedia ou retardava empreendimentos públicos e privados, aplicava a torto e a direito um receituário avesso às usinas, aos transgênicos, ao agronegócio, principal motor do desenvolvimento nacional e responsável pela quase totalidade dos superávits de nossa balança comercial.

Os pedidos de licenças ambientais empilhavam-se, relegados ao descaso. Empreendimentos eram cancelados por exaustão e desistência dos investidores.

Sempre irredutível Marina incompatibilizou-se com governadores, com os setores empresariais e com a então ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Foram cinco anos terríveis!

Quando se sentiu politicamente firme, largou a Igreja Católica, mudou-se para a Assembléia de Deus e para o PV. Depois, largou não sei que mais e se mudou para o projeto da Rede.

Mas isso não a fez menos alinhada com as trincheiras de combate às economias livres, ao agronegócio, e ao evangélico domínio do homem sobre os bens da Criação.

A ecomania de Marina Silva inverte a ordem natural nesse convívio, submetendo os interesses da humanidade às determinações que diz extrair do mundo natural.

No fundo, vestido com floreios ecológicos, é o velho ódio marxista à propriedade privada dos bens da natureza.

De um leitor, a respeito da animosidade de Marina Silva para com o agronegócio:

“Ela é uma praga de gafanhotos stalinistas reunidos numa pessoa só”.

____________

Por Percival Puggina. Artigo publicado em 16.08.2014

Finalizando

Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma

Joseph Politzer

—————————————————————–

Chega de Mentiras, de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-22/08/2014

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.