Advertisements
Anúncios

Uma alternativa para o Brasil

eduardo campos marina

Por EDUARDO CAMPOS

Dois movimentos políticos que agiam na defensiva notaram que sua aliança transformaria a estratégia em possibilidade de ofensiva

O olhar atento à história recente do Brasil leva à conclusão de que os ciclos políticos coincidem com a ascensão, envelhecimento e substituição dos partidos no poder. A ausência de renovação impõe uma dinâmica de obsolescência das legendas.

Nos anos 1980, o MDB/PMDB foi vetor principal da redemocratização. Uma década depois, o PSDB cumpriu a tarefa de matar a hiperinflação e construir os alicerces da estabilidade econômica. No período seguinte, o PT, apoiado nos pilares da democracia e da estabilidade, pôde comandar um ciclo de inclusão.

Todas essas forças operaram apoiadas nas conquistas das etapas que as precederam, ainda que muitas vezes as tentações da política peçam a negação retórica do passado. Mas essa negação não resiste à análise. Sem 1985 não haveria 1994, e sem 1994 não haveria 2002.

Sem democracia, não haveria como o país superar um impeachment; sem estabilidade, não seria possível distribuir renda.

Toda força política momentaneamente hegemônica sofre a tentação de enxergar-se como o ponto final do bonde da história. Mas é ilusão. Hoje, por exemplo, assistimos ao enorme desejo de que se abra um novo ciclo na política brasileira.

É disso que tratarão as eleições do próximo ano. Como superar a velha política para que o poder possa ser mobilizado na construção do novo, na pavimentação dos caminhos necessários e possíveis para alcançar outro patamar –eis a questão.

Precisamos remover o velho arranjo político, ou nenhuma agenda inovadora será viável.

Cada um por sua própria estrada, o Partido Socialista Brasileiro e a Rede Sustentabilidade vinham tateando em busca do novo.

O PSB, que governa seis Estados e mais de 400 cidades, estava empenhado em construir gestões democráticas, inovadoras e sérias, lutando para valorizar a função primeira do Estado: servir à sociedade. A Rede, procurando compreender e reunir a imensa energia represada nas aspirações dos jovens, nas preocupações com o bem-estar das gerações futuras, na busca obsessiva por uma economia renovada e mais democrática.

Certamente teriam convergido num eventual segundo turno, se as circunstâncias perversas da política brasileira não tivessem antecipado esse desfecho. Quando alguns imaginaram que poderiam represar completamente o rio da história, foram surpreendidos pela água que jorrou das frestas do dique, até derrubá-lo.

Eis por que a convergência entre o PSB e a Rede Sustentabilidade aconteceu com tamanha e surpreendente naturalidade. Porque já eram dois vetores de uma única inquietação: romper com estruturas fossilizadas para abrir caminho ao futuro.

O desenvolvimento sustentável é a releitura contemporânea mais próxima do socialismo democrático.

Dois movimentos políticos que agiam taticamente na defensiva, lutando para sobreviver em terreno desfavorável, notaram que sua aliança transformaria a estratégia em possibilidade de ofensiva.

O Brasil, infelizmente, acostumou-se a debater eleições como se se resumissem a pesquisas, tempo de rádio e TV e palanques estaduais. Mas a política é muito mais do que isso. Sua beleza está em trazer para si o debate programático do futuro, sobre como romper as amarras da inércia, e avançar.

Pretendemos contribuir para que o processo eleitoral supere a tentação da mediocridade, para que os eleitores sejam contemplados com uma opção consistente, transparente e sincera, que lance luz sobre deficiências e aponte caminhos para atender as exigências da sociedade.

Como dissemos ao selar nossa aliança, a luta da sociedade brasileira tem alcançado importantes conquistas: a redemocratização, a estabilidade econômica, a redução das desigualdades sociais. A única forma de aprofundá-las é avançar. Por isso, unimos forças para apresentar ao Brasil uma alternativa.

EDUARDO HENRIQUE ACCIOLY CAMPOS, 48, economista, é governador de Pernambuco desde 2007 e presidente nacional do PSB desde 2006

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

25 comentários sobre “Uma alternativa para o Brasil

  1. Eduardo Campos é mais um dentre a maioria dos políticos corruptos e corruptores deste pais; em não acreditando, pesquisem o passado recente desta cobra criada!

    Se liguem

  2. Pode ser uma alternativa…. Mas melhor q o 9dedos e sua gang basta saber escrever o seu proprio nome…..kkkkkkkk

    Mas ainds acho q a Dilma se reelegera

    E, um dia a casa caira !!!

    Pra desespero das meninas beijoqueiras q nao sobreviverao sem a ajuda do governo

  3. so espero que nao seja tarde demais afinal vcs nao virao a propagando petista em que eles colocam a bandeira vermelha na frente da bandeira do brasil ou seja querem implantar o comunismo no brasil 2014 o ano do golpe petista.

  4. esse sujeitinho aí é um reles collor repaginado e que tão tentando vender como “novo”, nada mais. e essa marina é outra que não vale nada (traiu o pt, traiu o pv e na primeira oportunidade que tiver vai passar a perna no collor repaginado).
    bela dupla de salafrários.

  5. Para acreditar nessa dupla ela precisa colocar no programa de governo:

    Corte de 90% dos cargos de confiança do gov. federal.
    Reduzir em 80% a máquina do estado.
    Reduzir para 5 no máximo 8 o número de ministérios,
    Reforma política imediata,
    Reforma tributária para antes de ontem,
    Reforma trabalhista tbm urgente!

    Caso contrário voto nulo desde a primeira eleição de fhc.

  6. Temos muitas alternativas diferentes. Há de se pesquisar muito para se decidir se votamos no grupo de ladrões, no de bandidos ou no grupo dos afanadores.

  7. Alternativa?
    No Brasil o eleitor é livre para escolher os ladrões pelos quais prefere ser roubado.

    Cansei de votar no “menos ruim”. Se tivesse que votar hoje minha “alternativa” seria, convictamente, voto nulo.

  8. Paulinho o que voce acha sobre ele?voce tem informacoes sobre ele?o brasil precisa de nova alternatica que seja confiavel.infelizmente, e muito dificil no brasil confiar em politico.

  9. O avô do Eduardo Campos ( o MIguel Arraes) dev estar se remoendo no túmulo, ao ver o no que o seu neto se transformou…
    Quanto a Marina, é uma comédia…..é só ver que está ao lado dela: os Setúbal ( Banco Itáu) o dono da Natura ( os caras que mais exploram as riquezas da Floresta Amazônica.kkk) o Ronaldfo Caiado, o Borhausem, etc…..
    Os caras não aprendem: NADA vai adiantar…Dilma será Reeleita, com folga…
    Tucanalhas: aguardem 2018, quando terão que enfrentar o LULA..kkkkkkkkkk

  10. Paulinho não aprende, depois de fazer campanha para o Kassab embarca na caravela de Eduardo Campos, aposto que não sabe absolutamente nada sobre a figura. O Collor foi eleito assim…

  11. Eduardo Campos: TRAÍRA, OPORTUNISTA, BAJULADOR, APRO-
    VEITADOR e QUINTA-COLUNA! Governou PERNAMBUCO por /
    meio de vultuosas verbas Federais e depois traiu seus benfeitores!!!
    Não tem importância: A História é implacável com os traidores! ÊLE
    NÃO PERDE POR ESPERAR! A MARINA É DO MESMO TIME, JO-
    GA O MÊSMO JOGO e ao FINAL o Eduardo presunçoso estará na /
    Lata do Lixo da História! Quem viver, verá!

  12. achar que Eduardo Campos é uma alternativa, é esquecer que ele faz parte do foro de São Paulo, que é dirigido pelo lula e fidel, e que impôs os candidatos do Uruguai, Venezuela, Bolívia e Equador, e tentou jogar fora a constituição do Paraguai para favorecer o foro!

  13. Em 89, com grande apoio da imprensa VIGARISTA desse país (globo, folha, estadão, veja et caterva), venderam um SALAFRÁRIO 171 como se fosse “o novo”. Sabemos como acabou. Hoje essa mesma imprensa SÓRDIDA, CANALHA E SEM-VERGONHA está tentando a mesma coisa com esse sujeito e esse escorpião chamado marina, uma carreirista e oportunista de marca maior, pronta a se vender por qq. carguinho. Mas não vão levar. O tempo vai se encarregar de revelar a verdadeira cara dessas 2 imundícies.
    PLAYBOYZINHO FALCATRUA NA PRESIDÊNCIA NUNCA MAIS.

  14. Putz que situação estão os baba-ovos tucanalhas, Aébrio e Eduardo Campos com Marina, Caiado, Borhausem, Banco Itaú….!!! Nem com macumba hein, vão gastar muita galinha preta na esquina, à toa!!!!

  15. Pra nao ver mais a cara do pinguco e da terrorista ate votaria nesses sujeitos, para ver a que situacao chegamos.

  16. Paulinho, como posso acreditar em um candidato que gasta R$ 348.023,66 para fazer 2 (dois) banheiros públicos do Zoológico do parque estadual de Dois Irmãos. Caramba com este dinheiro daria para construir mais de 20, você não acha? Essa política brasileira está totalmente corrompida e não há hoje um candidato em que se possa confiar. Abraços.

  17. Qualquer alternativa que inclua JORGE BORNHAUSEN não é alternativa, é mais um descalabro deste país.

  18. Você esta dando espaço para um politico que você não tem noção NENHUMA, ZERO de suas ações, pegue um avião e vá até Cabo de Santo Agostinho, PE 28, Comunidade do Gaibú, se você falar do Eduardo Campos, vai ser linchado, ELE NÃO RESOLVE OS PROBLEMAS DE GAIBÚ E QUER SER PRESIDENTE DO BRASIL?? SÓ SENDO BURRO E IDIOTA PARA APOIAR O COLLOR VERSÃO 2013!!

  19. Assim como Dilma e Aécio, Marina e Eduardo Campos também aceitarão doações de empresas privadas, especialmente empreiteiras, para suas campanhas. Logo são todos iguais. Não voto em partidos financiados por empresas. Chegam ao podem com o rabo preso. Defendem os interesses de seus financiadores, não de seus eleitores.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: