Advertisements

Membro da FIFA debate com Junior denúncias do blog contra CBF E CBBS

No últimos dias, o Blog do Paulinho tem revelado os bastidores das tratativas entre CBF, CBBS, FPBS no intuito de seus dirigentes se locupletarem com o dinheiro de suas respectivas entidades.

Comprovamos, por exemplo, o desvio de parte do patrocínio da NIKE, além de alguns de seus produtos, para a conta de empresas do presidente da Confederação Brasileira de Beach Soccer, Marcos Fabio Spironeli.

Outros dirigentes também recebem uma espécie de “mensalinho”, e se calam sobre os abusos.

A CBF, como responsável pelo Beach Soccer no Brasil, designada que foi pela FIFA, responde também pelos atos realizados a lesar o esporte pela CBBS, indicada pela própria como parceira.

Para tal, executou trabalho de bastidores, sob ordens de Ricardo Teixeira, evidentemente não por razões “beneméritas”, para que o ex-árbitro Spironelli fosse alçado ao cargo máximo da CBBS, idealizando assim os ‘esquemas’ de desvio.

Fato é que as denúncias deste espaço chegaram ontem ao conhecimento da FIFA, que deve interceder na Confederação.

Por intermédio do Facebook, acompanhamos o pronunciamento do espanhol Joan Cusco, membro do Comitê de Beach Soccer da FIFA.

Espantado com a farta documentação exposta nas matérias, detonou o presidente Marcos Fabio Spironelli, embora tenha tentado defender a CBF e o ex-presidente Ricardo Teixeira, retirando da entidade o ônus de ter influenciado nas eleições da CBBS.

Diz ainda que foi o intermediário da ajuda da Nike, mas que acreditava na utilização dos recursos para o bem do esporte.

Pede, entre outras coisas, a saída de Spironelli, além de mudanças drásticas na CBBS.

Logo após, surgiu na conversa o maior jogador de Beach Soccer da história do Brasil, o ex-jogador do Flamengo, Junior, de tantas glorias e alegrias também no futebol profissional, titular que foi da maravilhosa Seleção Brasileira de 1982.

O agora comentarista de futebol disse ter disposição de ajudar na mudança da CBBS, desde que as coisas sejam feitas da “forma correta”.

Confira o que foi falado, logo abaixo.

JOAN CUSCO (FIFA)

Não posso deixar de comentar e esclarecer pessoalmente as últimas informações postadas no Blog do Paulinho.

Me preocupa o Beach Soccer, que eu tanto amo, e acima de tudo os jogadores, que vejo que dão tudo por este esporte e que merecem todo o meu carinho.

Em primeiro lugar, quero clarificar que o Sr. Marcos Spironelli foi eleito livremente pelas Federações Brasileiras de Beach Soccer, como previsto estatutariamente, sem qualquer interferência da CBF ou do Ricardo Teixeira.

Quem votou no Sr. Marcos Spironelli, decidiu depositar em suas mãos um cargo importante, que requer uma pessoa reta e de total confiança, valores que eu não encontro no Sr. Spironelli.

Em várias ocasiões o Presidente da CBBS demonstrou falta de profissionalismo e compromisso com os jogadores da Seleção Brasileira, os quais deveria apoiar, mais que ninguém.

Isto, para mim, foi um sinal de alarme.

Por isso decidi intervir e pedir à CBF que se implicasse e se comprometesse com o Beach Soccer, e me dediquei em conseguir um budget por parte da Nike para a CBF que, não hesitou um minuto em destinar este budget à sua equipe nacional Beach Soccer.

A minha dúvida consiste em saber se este apoio financeiro foi bem gerido pela CBBS e se quem devia ter beneficiado desta ajuda (a equipe nacional de Beach Soccer) de fato o foi.

A CBF já anulou o voto de confiança atribuído à CBBS e ao seu Presidente para gerir e representar o Brasil nas atividades relacionadas com o Beach Soccer.

Agora, as Federações Estatutárias devem fazer bom uso do seu poder e eleger um sucessor para o cargo de Presidente da CBBS que paute pelos valores de imparcialidade, confiança e honra, e que trabalhe em prol do esporte e não dos seus interesses pessoais.

Em Barcelona e em Zurich, sempre estamos do lado de quem trabalha de forma limpa e correta pelo bem do esporte.

JUNIOR

Caro Joan, nada do que está acontecendo me surpreende.

Já tinha avisado aos que ficaram quando me retirei em 2001 que o final infelizmente do esporte no Brasil seria esse.

Quando parei de jogar, tentei pegar a Federação do Rio para incrementar o esporte, e vi que não tinham nenhum interesse na evolução, a preocupação era somente com: Patrocinadores, torneios de grande porte, e principalmente subserviência dos jogadores aos desejos da Confederação.

Ainda bem que a 12 anos atrás deixei de conviver com “essa” gente!!!

O esporte só existe porque existem os jogadores, se unam, briguem pelos seus direitos porque esta é uma ótima oportunidade para uma reviravolta do Beach Soccer no Brasil.

Nós já fizemos a nossa parte lá em 1993, agora é com vocês. Boa sorte.

JOAN CUSCO (FIFA)

Grande Junior, ainda hoje falo que você e o jogador mais especial que jamais teve o esporte, mais essa é outra história.

Precisamos de você.

Na minha próxima viajem ao Brasil gostaria falar com você.

Temos muitos projetos.

No Brasil é um problema mais sério, a CBBS precisa um líder do esporte forte e honesto.

Não é admissível ter o paraíso do esporte e arruinar tudo em menos de 3 anos.

Falemos, você sabe de certo o respeito que eu tenho por você e os jogadores.

JUNIOR

Estarei sempre disponível para ajudar, da forma correta.

De outra maneira não conte comigo.

Me chame que conversaremos com prazer.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: