Advertisements

Crise administrativa faz gestão do Corinthians se dividir em três grupos: Mario Gobbi pensou até em renunciar

As lambanças realizadas pelos dirigentes do Corinthians, recentemente, por ocasião do episódio em Oruro, deixou marcas na atual gestão que devem fazer diferença na política alvinegra.

A pressão foi tão grande que o presidente delegado Mario Gobbi entrou em atrito direto com os grupos que lhe dão sustentação, os “corinthianos obsessivos” e os “gaviões” do “Fora Dualib”.

Estes, ligados umbilicalmente aos “organizados”, estavam desesperados pela prisão do líder de todos, o detido Tadeu.

Gobbi ameaçou deixar o cargo e até debandar, novamente, para o outro lado da divisão de poderes, o grupo de Andres Sanches.

Por sinal, embora distante, de hábitos pessoais e “profissionais” que se assemelham mais ao do atual presidente, frequentador assíduo dos bancos da corregedoria da polícia, além da CPI que investigou crimes de policiais no DETRAN.

A questão é que depois da referida confusão, mesmo permanecendo no cargo, Gobbi tratou de dividir o grupo que o apoia, que já estava rachado com a turma do “apelido”, ligada a Sanches.

Uma guerra de foice pelo poder, e que só terá fim se o resultado da equipe dentro de campo conseguir abafar a realidade por trás das paredes do Parque São Jorge.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: