Palmeiras empata com Grêmio e se complica no Brasileirão

Apesar de muita luta, mesmo com um jogador a mais desde o início do jogo, o Palmeiras, de maneira até injusta, apenas empatou com o Grêmio, sem abertura de contagem, no Pacaembu.

Resultado este que deixa o clube em situação cada vez mais desesperadora.

Somente o Verdão jogou futebol na primeira etapa, mantendo por todo o tempo a posse de bola, atacando, enquanto o Grêmio apenas se defendeu.

Aos 6 e 8 minutos, Barcos e Artur bateram duas bolas perigosas ao gol do adversário.

Para facilitar a vida palestrina, o sempre desinteligente Kleber acertou Henrique com o cotovelo e foi justamente expulso.

Mesmo assim, embora o tempo todo no setor ofensivo, o Palmeiras encontrou grandes dificuldades para ultrapassar o setor defensivo armado por um temeroso “pofexô”.

Aos 26 minutos, João Vitor pegou boa sobra, de primeira, mas a bola desviou e amorteceu para o goleiro.

Onze minutos depois, Barcos deu grande passe para João Vitor, na esquerda, que bateu mal e desperdiçou.

Na sequencia, o boêmio jogador deu lugar a Maikon Leite, na tentativa de Felipão acelerar o ataque de sua equipe.

Artur acertou grande batida, aos 41 minutos, que passou raspando o ângulo esquerdo adversário.

A única chance do Grêmio, perigosa, aconteceu quando Zé Roberto foi lançado dentro da área, deu belo drible de corpo no goleiro, bateu cruzado, mas Thiago Heleno salvou com a coxa.

E o Palmeiras voltou pressionando ainda mais no segundo tempo.

No primeiro minuto, Corrêa levantou bola na área, Thiago Real tentou alcançar, não conseguiu e a bola quase enganou o goleiro.

Thiago Real, novamente, no lance seguinte, aproveitou-se de grande jogada de Barcos e bateu, perigosamente, à direita da meta.

O Grêmio assustou aos 10 minutos, quando Zé Roberto arrancou de maneira espetacular pela esquerda, Mauricio Ramos salvou o gol e a bola sobrou para Anderson Pico, que bateu para fora.

Treze minutos e Maikon Leite, na pressão, arriscou de fora da área, mas o goleiro Marcelo fez grande defesa.

Thiago Heleno acertou voleio, da intermediária, e Marcelo, novamente, defendeu bem.

Embora com evidentes deficiências técnicas, enfim o Palmeiras jogava com o coração na ponta da chuteira, demonstrando raça e desejo de vencer.

Aos 32 minutos, Marcelo espalmou para escanteio batida cruzada de Mazinho.

O tempo passava e o Palmeiras, precisando do gol, se desesperava, a ponto de João Vitor, no banco, levar amarelo por reclamação.

Barcos entrou driblando na área, aos 40 minutos, e bateu tentando encobrir o goleiro, mas a bola, caprichosamente, bateu no travessão.

E não deu.

Com a perda de mais dois pontos dentro de casa, o Palmeiras terá agora que jogar o que não jogou ainda, nas próximas partidas do Brasileirão, para evitar a repetição de um vexame que, acreditava, jamais voltaria a acontecer.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.