Advertisements

O estranho silêncio sobre a CPI do Pan

Por JOSÉ CRUZ

http://blogdocruz.blog.uol.com.br/arch2010-02-01_2010-02-28.html

Em junho do ano passado, o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) e o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) apresentaram requerimento para uma Comissão Mista de Inquérito no Congresso Nacional.

Objetivo: averiguar denúncias de abusos com o dinheiro público nos gastos dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. O tal de R$ 4 bilhões, até hoje com prestação de contas escondida.

Pressão

A pressão do Comitê Olímpico Brasileiro foi enorme e, de repente, parlamentares que apoiaram a iniciativa começaram a tirar suas assinaturas. Coisa de gente de duas caras, sem caráter, claro.

Passou o tempo, e de repente, ninguém mais falou sobre o assunto.

Nem os autores da proposta. Estranha desistência de quem bateu tanto, não é mesmo?

Coincidência

Coincidentemente, no dia 24 de julho de 2009, Valéria Alves Fernandes Dias foi nomeada para “Gerente de Projeto da Representação Estadual do Rio de Janeiro da Secretaria Executiva do Ministério do Esporte”.

E quem é Valéria Alves Fernandes Dias?

É sobrinha do senador Álvaro Dias, um dos autores da CPI do Pan que, desanimado, quem sabe, com a debandada do apoio dos companheiros, também não brigou mais pela causa.

Valéria, a propósito, era funcionária do Senado, mas acabou demitida, na leva que tirou de cena parentes de senadores.

Viagem

Quatro meses depois que assumiu o cargo no ministério, Valéria foi representar o Brasil na Soccerex, a feira mundial de negócios do futebol, em Joanesburgo, na África do Sul.

Está tudo registrado no Diário Oficial da União.

Escrevi ao senador Álvaro Dias para saber se ele havia influenciado na contratação da sobrinha pelo Ministério do Esporte, mas não obtive resposta.

Assim, sem CPI, e com os processos se arrastando no Tribunal de Contas da União devido a morosidade nas respostas dos envolvidos, o torcedor-contribuinte dos cofres públicos continua sem saber porque o Pan 2007 custou R$ 4 bilhões.

A dúvida sobre o uso da maior parte dos recursos cresce porque o Ministério do Esporte e o Comitê Organizador, que foi presidido por Carlos Arthur Nuzman, não tornam pública a prestação de contas.

Facebook Comments
Advertisements

8 comentários sobre “O estranho silêncio sobre a CPI do Pan

  1. Francisco Terra

    Dando seguimento à trilogia “Sua REALeza Belluzzo” aqui vai a parte 1 do compêndio.
    OBS.: devido às emoções pesadas, sigam as recomendações abaixo:
    – Leitura não recomendada à cardíacos, hipertensos e aos que sofrem de patologia da pleura pulmonar.
    – Leitura não recomendada àqueles que foram acometidos por tifose e/ou peste bubônica
    – Leitura proibida àqueles que foram atacados por Myotis nigricans

    PARTE 1: O PERFIL DO SALVADOR DA PÁTRIA

    Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo (Bariri, 29 de Outubro 1942) é um economista brasileiro.

    É considerado o maior discípulo de Ulysses Guimarães e braço direito na elaboração da Constituição Federal de 1988.
    É tido como um economista de grande trânsito em qualquer partido ou ala política. Devido à sua capacidade sempre atraiu investimentos aonde quer que estivesse.

    Formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo em 1965 e também estudou Ciências Sociais na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Ingressou no curso de pós-graduação em Desenvolvimento Econômico, promovido pela CEPAL/ILPES e graduou-se em 1969. Foi professor colaborador na Universidade Estadual de Campinas, onde doutorou-se em 1975 e tornou-se professor-titular em 1986. Entre 1974 e 1992 foi assessor econômico do PMDB e secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda (1985-1987), durante o governo de José Sarney. De 1988 a 1990 foi secretário de Ciência e Tecnologia do estado de São Paulo, durante a gestão de Orestes Quércia.

    É membro do Conselho Diretor da mantenedora da Fundação Escola de Sociologia e Politica de São Paulo e professor titular de economia da Unicamp. Foi chefe da Secretaria Especial de Assuntos Econômicos do Ministério da Fazenda (governo Sarney) e secretário de Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo (governo Quércia). É fundador da Facamp (Faculdades de Campinas). É presidente do Conselho Deliberativo do IPSO – Instituto de Pesquisas e Projetos Sociais e Tecnológicos. É membro do Conselho de Administração da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), além de consultor editorial da revista semanal Carta Capital. É ainda conselheiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

    É presidente do Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que opera a TV Brasil, pública. É presidente institucional do Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento, além de ser consultor pessoal de economia do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    Belluzzo também é o atual presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras, desempenhando um papel importante nos bastidores do clube desde que assumiu tal posição.

    Em 26 de janeiro de 2009 foi eleito presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras para o biênio 2009/2010.

    FRANCISCO TERRA. BRAÇO FORTE. MÃO AMIGA.

  2. Helder

    O KIA, DONO DO TIMÃO, VAI CONSTRUIR UM ESTÁDIO NOVINHO!

    MONUMENTO AO CRIME ORGANIZADO, FIQUE FELIZ!

  3. euclydes zamperetti fiori

    São todos farinha do mesmo saco, aproveitadores de ocasião, divulgam ser honestos + na realidade querem o seu, e nós:
    Top, Top.

    Acorda Brasil

    zamperetti fiori

    cidadão0 e,
    ex-árbitro de futebol

  4. Jônei, Um Justo

    Sabe, Paulinho, as falcatruas no futebol brasileiro parecem ser infindáveis!!!

    Primeiro o SPFC afirma que a reforma do Morumbi seria bancada exclusivamente com recursos da iniciativa privada. Cheios de empáfia os dirigentes e o prefeito denotaram prescindir do apoio público, mas agora tentam a todo custo socorrer-se do erário. Estão desesperados!

    É sabido que o BNDES não tem e nunca teve entre suas atribuições dar de mamar a times de futebol, entidades privadas que não possuem o mínimo compromisso com o interesse público mas tão-somente com o bem-estar de seu seleto número de aburguesados associados.

    Agora o time do Jardim Leonor tenta ardilosamente nos bastidores conseguir empréstimo direto do BNDES, já que nenhuma instituição bancária demonstrou interesse em participar de tão arriscado empreendimento.

    Não bastasse isso agora o Corinthians aproveita-se da delicada situação do SPFC e apresenta a enésima proposta de construção de seu estádio com o intuito de fazer sombra à candidatura do Morumbi.

    Sabe Paulinho, não sou contra o Morumbi, o SPFC ou o Corinthians. Sou contra a improbidade, o “jeitinho”, a troca de favores, o tráfico de influências, o “toma-lá-dá-cá”. Luto única e exclusivamente em benefício da verdade, da moral e da honestidade.

    Se o SPFC realmente conseguisse reformar o Morumbi com recursos próprios eu seria o primeiro a hastear a bandeira de sua candidatura e eventualmente compraria um camarote vitalício para assistir aos jogos do mundial.

    A construção do estádio corinthiano com verbas de origem duvidosa seria tão hedionda quanto a reforma do Morumbi como dinheiro público.

    Alguns seres de reduzida capacidade de raciocínio que freqüentam este blog, ao comparar as duas alternativas, chegam à conclusão de que “dentre os males, o menor”.

    Estão completamente equivocados, caro Paulinho! Ambas as opções são inaceitáveis e prontamente descartadas por qualquer ser humano que possua compromisso com a moral.

    O SPFC é acusado por alguns de ter construído seu estádio com dinheiro público e carrega essa mácula em sua história. Gostaria o Corinthians de levar a fama de ter construído seu estádio com dinheiro eventualmente oriundo de crimes?

    Paulinho, acredito que a única opção seja descartar a candidatura de ambos os estádios pelo bem da moralidade. Tanto o Morumbi quanto o “Maquetão” corinthiano apenas manchariam mais uma página da história do futebol brasileiro.

    A abertura da copa do mundo de 2014 deve sim ser realizada em solo paulista, locomotiva do Brasil, mas em outro estádio.

    Lanço agora a candidatura oficial do estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, para receber a abertura do mundial. Será uma excelente oportunidade para homenagearmos o povo sofrido do interior, a alma pura do “caipira” de pés vermelhos de barro, bom pai de família, e ao mesmo tempo glorificar a Associação Atlética Ponte Preta, fundada em 11 de Agôsto de 1900, no Dia do Advogado, há 110 anos.

  5. Pingback: O estranho silêncio sobre a CPI do Pan « Blog do Paulinho – cpi

  6. eu ja sabia

    REPAREM BEM

    o PAN FOI A CASA DA MÃE JUANA,TODO MUNDO ROUBOU DINHEIRO PUBLICO.

    O ENGRAÇADO QUE NINGUÉM VEM AQUI COMENTAR NADA

    CADE TODO AQUELE MONTE DE HIPOCRITAS QUE SÃO CONTRA
    O MORUMBI PQ SE SENTEM LESADOS .

    BANDO DE OTÁRIO
    FORAM ROUBADOS E ACEITAM MAS QUANDO É O SÃO PAULO
    TODOS FICAM INDIGNADOS SE FAZENDO DE PALADINOS DA JUSTIÇA

    QUE PALHAÇADA.
    NÃO PERCEBEM O QUENTO SÃO OTÁRIOS.

  7. Ribamar Corinthiano Bianchini

    eu ja sabia, o povo do estado de são paulo já arcou com as construções do Morumbi, do CT da Barra Funda e do CT de Cotia, agora você quer que o governo federal banque também as reformas do Morumbi também, como se o seu são paulo jf fosse um clube estatal, acha que quem é contra é otário e você que tipo de cidadão é? Deve ser mais um aloprado babaca, viu.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: