Advertisements

Massacre palestrino

 

O Palmeiras venceu, de maneira incontestável, o Santos, no Parque Antártica.

Os primeiros trinta minutos da equipe foram de encher os olhos.

Trocas de passe perfeitas e movimentação de ataque que deixou a zaga do Peixe sem saber onde estava.

Keirrison e Cleiton Xavier deram espetáculo.

Foram dois a zero que poderiam ter sido, no mínimo, o dobro, tamanha a superioridade dentro de campo.

O primeiro saiu aos 15 minutos, em falha de Fabio Costa, que Edmilson completou de meia bicicleta.

Atordoada, a defesa do Peixe falhou aos 21 minutos e Fabio Costa cometeu pênalti em Keirrison.

Ele mesmo bateu e ampliou o placar.

O Santos deu sinal de vida apenas nos minutos finais, em que fez uma blitz na zaga palmeirense, e por pouco não diminuiu o marcador.

O segundo tempo começou com um gol relâmpago de Keirrison, aos 34 segundos, que em posição de impedimento pegou rebote de Fabio Costa e ampliou.

O Santos, sem alternativa, foi para o ataque.

A partida ficou equilibrada.

Após perder algumas oportunidades, Kleber Pereira, de peixinho, aos 17 minutos, diminuiu a vantagem palestrina.

Esperança santista que durou até os 39 minutos quando Cleiton Xavier lançou Lenny de primeira, que fintou Fabio Costa e deu números finais ao marcador.

Como joga esse Cleiton Xavier !

Vitória gigante, com futebol de primeira, da nova equipe palmeirense.

Facebook Comments
Advertisements

75 comentários sobre “Massacre palestrino

  1. Valdir Pugin

    Vida que segue! Entra ano, sai ano e a secular seita secreta dos três pontinhos continua determinando as vitórias do São Paulo! Lances rigorosamentes iguais, para o adversário não vale, para o queridinho da mídia vale. E a sampaulinada, surpreendentemente a maioria que visita este blog, se exulta!

  2. Ulisses Maia

    O Palmeiras está com um ótimo time e este time está motivado, assim como o Luxemburgo.

  3. geraldo lina

    queria saber se a MAQUINA de FALAR MERXX do BLOG, vai falar sobre a penalidade sobre o KEIRRISSON…

    ***(*) ******(*)

  4. Alexandre

    O Cleiton Xavier joga mujito.

    O Keirrison também.

    A experiência do Édmilson faz diferença.

    E o Luxemburgo, quieto, montou a melhor equipe dos paulistas.

    Vai ser difícil o Palmeiras não vencer o Paulista e seguir longe na Libertadores.

  5. DONIZETE

    CHUPA GERALDO LINA. VAI TE CATAR. COMEÇA A TREMER, SEU MANÉ. AFINAL O ATLÉTICO PARANAENSE, NÃO ESTÁ NA LIBERTADORES.

  6. ricardocubas

    E agora todos aqueles que diziam que o Palmeiras era a quarta força no Paulista. Olha que toda a imprensa falava isso. Mas agora, depois deste início arrasador ninguem mais lembra dos comentários e análises equivicadas que fizeram.

  7. Torcedor

    Queria saber se o Geraldo lima vai falar sobre o gol anulado do botafogo de ribeirao q seria o da virada.

    CHORAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!

  8. Weslley

    Impressionante, o post é sobre o clássico entre santos e Palmeiras e esse Valdir PUDIM cita o São Paulo em seu comentário, chega ser rídiculo a importância que eles dão para o tricolor.

  9. Ademar

    Paulinho,

    o tal de Luxa montou um time bom desta vez!! E os caras tão jogando bola!!!

    Abraços

    Feliz timão 2009

  10. Divanio

    O Santos está jogando um futebol patético, como é patético o cara que se diz técnico. Escala mal, faz o time jogar de forma covarde!!!!!!!!!!!!!
    Deram o penalti, pois a moça do Palmeiras pulou para fazer um paux de deux e o segundo da mesma moça, estava impedido! Mas isto não justifica a derrota vexatória!Fora Marcelo Teixeira e Márcio Fernandes!

  11. Ricardo Lopes - Original

    Aeeeeeeeeeeeeeeee Jegueraldo seu tonto, babaca SOU PALMEIRAS A M….; É GUERREIRA É MEU TIME É VENCEDOR

    È A TORCIDA É UM TERROR…SEU TONTO, TOMOU O REMÉDIO,…HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAH

    AEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE VAMOS GANHAR NO CAMPO E NO CARNAVAL… PALESTRA….CHUPA ALESSANDRO, CARLOS ALMEIDA JEGERALDO E AFICIONADOS DO TIME DAS PURPURINADAS…

    QUEREM JOGO NO PANETONE.QUEREM DAR;;UIIIIIIIIIIIIIIIIIII SOMENTE 10% DO ESPAÇO NAQUELA MER… DE ESTADIO ENTÃO ESTAMOS DENTRO…..

    AEEEEEEEEEEE JUVENAL SEU TONTO..MACUNHA LENHASOR DE BONSAI,
    LECO SEU TROUXA… CHAMA O GOLEIRO DE HOQUEI, VAI DAR DÓ….

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA BANDO DE GAZE…S HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    TA DOMINADO, TA TUDO DOMINADO…………..

  12. Ricardo Lopes - Original

    AQUI É PALESTRA…. CHUPA…CHUPA… QUEBRAMOS A PEIXADA NO MEIO…A FAMILIA TODA REUNIDA…AHAHAHAHAHHAHHAHAHAHAH

    CHUPA………CHUPA 100% 100% LIDER COM UM JOGO A MENOS…
    NÃO TEM PRA NINGUEM PALESTRA FUTEEBOL TOTAL…

    TA ME PROCURANDO BAM.. HAHAHAHAHAHA FUI…CENI ….TONTO..DAGOBERTO…TONTO…WAS…TONTO ALIAS QUEM É WAS…AQUELE DE DEMOLOLIU AS MENINAS HAHAHAHAHAHAHAHAHAH…VCS MERECEM… AS xxxxxxxx…TODAS REUNIDAS.

  13. Vincenzo Piccoli

    MAMA MIA 100% diz:”Enquanto o Palestra massacra o Santos com um show de bola da meninada,o juiz e seus assistentes precisam massacrar o Botafogo para os bambis ganharem,depois ainda reclamam da FPF.

  14. Divanio

    Do site daESPN:

    “Eu tinha que pular, senão ia me machucar. O árbitro tem que me ver pôr o pé para eu me machucar e ser pênalti?! Se eu deixo o pé parado, ele ia bater em mim e ia ser pênalti, mas eu ia me machucar”, contou o camisa 9 de Vanderlei Luxemburgo.

    Mesmo com a argumentação do protagonista da jogada, nem mesmo seu técnico tinha certeza se marcaria a penalidade. “Não sei dizer porque ainda não vi o lance na televisão. Não tenho essa informação. Mas o árbitro estava perto…”, disse o comandante do Alviverde.

    No Santos, porém, a revolta era grande, Fábio Costa deixou o campo no intervalo reclamando da arbitragem, afirmando que “na dúvida, é sempre contra o Santos”. Menos incisivos nas críticas, seus companheiros foram para o vestiário acreditando que o “erro” do árbitro Luiz Flavio de Oliveira foi decisivo.

    Keirrison, por sua vez, fez questão de dar apoio ao apitador. “O árbitro interpretou a jogada muito bem. Se eu deixo o pé parado, o Fábio Costa ia me machucar e ia ser pênalti do mesmo jeito”, reforçou o autor de dois dos quatro gols alviverdes na tarde deste domingo.

  15. Bruno

    só pra vc o terceiro gol estava impedido, só falta falar que o do botafogo de ribeirao tbm tava, e esse ultimo anulado.

  16. Alviverde/SP

    ESPERTO esse menino Keirrison, além de CRAQUE…certo, sr. Lina?????
    PELÉ tinha dessas ESPERTEZAS também…
    Com penalti duvidoso ou não, um BANHO de bola!!!

  17. Sérgio

    Paulinho, pelo menos de vez em quando comente o desempenho do técnico do Palmeiras também nas vitóarias, nem que seja só para disfarçar…

    Caso contrário, quando o time perder e você citá-lo nominalmente, colocando-o como o grande culpado, vai dar muito na cara a falta de imparcialidade para alguém que pretender ser jornalista.

  18. Marcos

    O SUPER VERDÃO é um super-time espetacular, magnífico, fantástico, brilhante, sensacional…… esse PALMEIRAS vai entrar pra história…..

    O desempenho é impressionante, não só os resultados obtidos. Lembra muito aquele super-time de 1996, pois apresenta um belo futebol, dá gosto de assitir esse futebol-arte de primeira, de um time que vence e convence com grande autoridade.

    Está de parabéns a excelente diretoria palmeirense, principalmente Belluzzo e Cipullo, além da comissão técnica capitaneada pelo melhor técnico de todos os tempos e os excelentes jogadores que integram esse elenco excepcional do Campeão do Século. E Marquinhos ( a principal revelação de 2008 ) nem estreou….. e ainda virão 3 reforços como já disse o excelente Dr. Cipullo……..

    O Palmeiras é o melhor time das Américas na atualidade e o principal favorito para os títulos do Paulistão e da Copa Libertadores!!!!!

  19. Marcos

    PALMEIRAS CAMPEÃO DO SÉCULO: RECORDE NO PAULISTÃO E RECORDE HISTÓRICO NA COPA LIBERTADORES, COMPETIÇÃO EM QUE DETÉM O MELHOR RETROSPECTO DENTRE TODOS OS TIMES BRASILEIROS!!!!!!!

    No Paulistão, o PALMEIRAS foi o último time a se sagrar campeão invicto, em 1972. Já se passaram 36 anos e de lá pra cá nenhum time conseguiu ser campeão paulista invicto, como a excelente equipe da Academia de 72.

    E olha que não foi por falta de time, pois o mesmo Palmeiras fez a melhor campanha da história do profissionalismo em 1996.

    Já na Copa Libertadores, após os dois jogos da 1ª fase, contra o Real Potosí, o Campeão do Século se converteu no time brasileiro com o melhor retrospecto geral.

    O PALMEIRAS é o time brasileiro com a maior quantidade de vitórias na história da Copa Libertadores, 69 vitórias, no total. É o time brasileiro que mais marcou gols, disparado, com os 244 gols. É o que mais jogou, no total, 130 jogos. É o que mais participou, no total, 14 edições da Copa Libertadores ( tantas participações se devem ao fato de ser octacampeão brasileiro, de ter 2 Copas Nacionais – 1998 e 2000 – e de ter se classificado em 4º lugar, na era dos pontos corridos, em 3 ocasiões, além do título sul-americano, obtido em 1999, o que lhe conferiu vaga na edição seguinte ). E é o que conseguiu maior saldo de gols, 89, no total. Na América do Sul, em 50 anos de Copa Libertadores, só 4 times conseguiram obter saldos de gols maiores do que o Verdão: River Plate, Boca Juniors, Nacional e Peñarol. O Palmeiras somou 231 pontos nestes 130 jogos, nenhum time brasileiro somou mais.

    Em suma, o CAMPEÃO DO SÉCULO, detentor de recordes absolutos em se tratando de futebol brasileiro, pode ampliar ainda mais tais recordes. Ainda está invicto, com 5 vitórias em 5 jogos no Paulistão e ainda pode ser tornar campeão invicto. E quanto à Copa Libertadores, os números, que são os melhores dentre os times brasileiros, podem ficar ainda melhores na 2ª fase, oportunidade em que o Verdão enfrentará LDU, Sport e Colo Colo.

  20. geraldo lina

    HUAHUAHUAHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUHA
    EH ATEH ENGRACADO ESSE CARNAVAL, e olha que eh soh um paulistinha com o time da TRAFFIC, ou seja:

    GOZXX COM O PXX DOS OUTROS.

    Como costuma dizer um internauta aqui do blog:

    Sabe como se faz o desodorante do MERETRICIO ?
    “Elas vao pegam a camisa cheia de mofo, a bandeira e o apito, saem na rua, fazem a festa e vao pro jogo. Depois quanto tomam ferro, tiram a camisa, enrolam a bandeira e poe embaixo do SOVACO”

    HUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUHAUAH

    DESODORANTE TRAFFIC, O DESODORANTE DO MERETRICIO

    o outro ZEH MANEH DO BLOG, vem me comparar KEIRISSON a EDSON.
    SACRILEGIO.

    a gente se fala na LIBERTADORES.

    8)

    ***(*) ******(*)

  21. geraldo lina

    GIULIANO, ganhou 1 e perdeu o MUNDIAL.

    HUAHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAU

    que eh mais ou menos como conseguir autorizacao dos pais da moca pra ir viajar com ela, mas quando chega lah, nao consegue os finalmentes.

    HAUHAUHAUAHAUHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUHA

    ELAS nao sao uma PIADA ???

    HUAHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUHAUAH

    Alguem ouviu barulho de fax ?

    HUAHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUHAUAH

    ***(*) ******(*)
    8)

  22. geraldo lina

    PAULINHO, dah um toque ai no MENINO DA PORTEIRA pra ele ir NO RAUL GIL, aqui nao rola MUSICA SERTANEJA NAO, ZEH MANEH !!!

    HAUHAUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUHAUHAHA

    faz como o LOLOH DAS CANDONGAS que lancou seu FUNK.

    HAUHAUHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHUH

    Comemorem o BI-CAMPEONATO PAULISTA.

    VOCES MERECEM.

    HUAHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUHAUAH

    8)

    ***(*) ******(*)

  23. ARTHUR AAT

    É MUITO CEDO PARA FALARMOS QUE
    O PALMEIRAS É O FAVORITO.

    AINDA É CEDO.

    A MELHORA DO LUXEMBURGO SE DEVE
    AS CRITICAS QUE RECEBEU E AS RÉDEAS CURTAS QUE AGORA TEM.

    O CLIMA POSITIVO SE DEVE AO FATO DE
    TERMOS UM NOVO PRESIDENTE
    ESPERADO POR TODOS.

    PORTANTO VERDÃO,
    FORÇA E GARRA SEMPRE !

  24. Alviverde/SP

    É…quando não se tem mais argumentos, começa-se a falar coisas sem fundamentos, não tem jeito mesmo…RSRSRSRSRS

  25. Osvaldo

    GERALDO(mota) Lina

    Não vi seu comentario sobre o gol do Botafogo que foi anulado, mas antes de comentar tire a bandeira da cara, e o mastro do…deixa pra la, apenas comente.

  26. DONIZETE

    O Juiz do clássico errou realmente. Deveria ter expulsado o Fábio Costa. Se o K9 não pula, nunca mais voltaria a jogar bola. E a regra do jogo tem sempre que proteger quem esta jogando bola e não quem dá botinadas. Certo Geraldinho ? Deixe de ser envejoso, pois isso é um sentimento que faz muito mais mal, a quem possue do que a quem é invejado.

  27. alessandro

    Em vez de comemorarem a vitoria com gol impedido e mais um penalti, preferem ficar falando do São Paulo…

    Isso só mostra a soberania TRICOLOR..

    Tudo isso me lembra 2006, o time do Leão Lobo com sete vitorias, o Marcinho falando que eram imbativeis… até pegar o São Paulo… resultado: tricolor 4 a 2…

  28. emygdio ribeiro do prado jr

    Puxa vida ,quanta emoção ,está igualzinho o ano passado ,no final não sobrou ninguem para contar a historia ,acabou o campeonato de preparação do brasileiro ,onde todos os times testam suas formulas ,e depois começa o campeonato propriamente dito que é o brasileiro e a libertadores ,e então é que vamos avaliar quem é melhor .

  29. geraldo lina

    DONIZETE, vai pra escola cara, TU EH MUITO BURRO !!!
    HUHAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHA

    ENVEJOSO EH SACANAGEM

    HAUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUHUAHA

    mais um ano que a FLORICULTURA faz a festa em janeiro e fevereiro, depois vira aquele VELORIO bem propicio ao CEMITERIO de TALENTOS que eh o MERETRICIO.

    EEEEEE CLUBE MEDIOCRE !!!

    HAUAIAHAIHAIHAIAHAIHAIHAIHAIAHAIHAIHA

    ***(*) ******(*)

  30. geraldo lina

    eh muito BLAH BLAH BLAH, mas a VERDADE sempre aparece.
    ai estah o placar dos erros de arbitragem no paulistinha.

    Do Lance.

    ***(*) ******(*)

    Placar de erros da arbitragem do Paulistão-2009
    09/02/2009 12:30

    LANCEPRESS!

    Torcer pelo seu time inclui discutir polêmicas de arbitragem. Para saber quem são os mais favorecidos e os mais prejudicados no Paulistão-2009, o LANCENET! cria um placar de erros do apito.

    Para não alimentar muita polêmica, no placar entram somente lances que não gerem dúvidas nem os que não influenciam no placar da partida.

    Placar dos erros de arbitragem: A FAVOR CONTRA
    CORINTHIANS 3 2
    PALMEIRAS 2 0
    SANTOS 1 1
    SÃO PAULO 1 1

    Critérios para contabilizar os erros:

    1. Marcação errada de impedimento que acabe em gol.
    2. Não marcação de impedimento na jogada que acabe em gol.
    3. Marcação equivocada de pênalti, falta ou escanteio que resulte em gol.
    4. Não marcação de pênalti claro.

    ***(*) ******(*)

    daqui a pouco a BRIGADA DA INVEJA vai discursar que o LANCE eh do SAO PAULO FC…

    PREVISIVEIS, ALEM DE IMBECIS

  31. geraldo lina

    DONIZETE GALOPEIRA, nao eh fita metrica, eh GRAFIA, ETIMOLOGIA, GRAMATICA qualquer coisa, mas nao eh fita metrica.

    Alias, pedir pra voce saber sobre essas coisas seria forcar muito seu TICO e seu TECO.

    TU EH BURRO PRA BARALHO.

    ***(*) ******(*)

  32. marco

    sou corinthiano mais tenho que admitir que o luxemburgo pra treinador, somente treinador é fera, mais quando ele quer misturar as coisas se atrapalha.

    penalti mal marcado, falta no fabio costa no primeiro gol, gol anulado do botafogo..

    comente paulinho

  33. Anderson Viana

    Rapaz, dificil viu. Não se pode elogiar o trabalho dos outros ou termos opinião contrária que somos bloqueados.

  34. Wagner

    Depois de marcar 7 gols no Santos em 3 jogos, eu não esperava muita recepção dos torcedores praianos para como Keirrison.
    Melhor observar como o goleiro santista tem se comportado. Com todo respeito, parece um louco.
    Mais ainda. Ficou claro que quando o Palmeiras abriu 2 x 0, tirou o pé. Senão…
    Por fim, o que os torcedores do Santos precisam entender é que a culpa não é somente do técnico. Eles acreditaram que o Santos tinha um bom time e agora resolvem mirar no treinador para culpá-lo pelos fiascos.

    Abraços
    Wagner

  35. Murilo Romulo

    Keirrison é jogador inteligente, não deixou o pé para não se machucar, por isso saltou. Poderia ter deixado e sofrer um pênalti escandaloso, mas a partir do momento que a ação do Fábio Costa obstrui a passagem do Keirrison e o prejudica, é falta. Portanto, tendo tocado ou não, é pênalti.

  36. Jones

    Corrigindo o tal Gerardo Lina, copa jipe não é mundial… o barulhinho do fax foi fundamental pra FIFA acabar de vez com a mentira do amistoso, tri o que mesmo? kkkk chupa, 92-93 virou abóbora, é intercontinental viu, vê se aprende…

    ou, se preferir (se é pra contar títulos não reconhecidos), engula o Palmeiras Primeiro Campeão Mundial, mto maior que a jipe… 8-1-1

    ps. favor publicar dessa vez Paluinho, estou falando algo proibido?

    abraço

  37. nelson

    Parabéns ao time do Palmeiras que na minha opinião é o melhor time de são paulo…e qto ao Santos..o que dizer…Um time apático, sem jogadas, sem jogadores de qualidade ou melhor temos o Madson, o Luisinho, o Leo, Rodrigo Souto e Kléber Pereira o restante do time são apenas figurações de nada apresentam ao time, são jogadores medíocres…
    Que venha a demissão M.fernandes antes que seja tarde….vamos sim tomar + goleadas perante a São Paulo e Corinthians ..a diretoria que fique esperta…VERGONHA NA CARA !!

  38. Marcos

    Existe um mentiroso aqui, que será devidamente desmascarado com estas duas matérias do tablóide são paulino:

    Publicada em 8/2/2009 às 22:11

    Palmeiras: placar de erros da arbitragem

    LNET! acompanha se o Verdão está sendo mais favorecido ou prejudicado no Paulistão-2009

    LANCEPRESS!

    Santo André 0 x 1 Palmeiras – Ribeirão Preto (20 de janeiro)
    – Erro a favor: Não houve

    – Erro contra: Não houve

    Palmeiras 3 x 0 Mogi Mirim – Ribeirão Preto (24 de janeiro)
    – Erro a favor: Não houve

    – Contra: Não houve

    Palmeiras 3 x 0 Marília – Palestra Itália (27 de janeiro)
    – Erro a favor: Não houve

    – Contra: Não houve

    Ponte Preta 2 x 3 Palmeiras – Campinas (1º de fevereiro)
    – Erro a favor: Não houve

    – Contra: Não houve

    Palmeiras 4 x 1 Santos – Palestra Itália (8 de fevereiro)
    – Erro a favor: Não houve

    – Contra: Não houve

    Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/PALMEIRAS/noticias/09-02-08/484223.stm?palmeiras-placar-de-erros-da-arbitragem

    Publicada em 26/1/2009 às 16:15

    São Paulo: placar de erros da arbitragem

    LNET! acompanha se o Tricolor está sendo mais favorecido ou prejudicado no Paulistão-2009

    LANCEPRESS!

    São Paulo 1 x 1 Ituano – Morumbi (21 de janeiro)

    – Erro a favor: Não houve
    – Contra: Não houve

    Portuguesa 0 x 2 São Paulo – Canindé (25 de janeiro)

    – Erro a favor: Não houve
    – Contra : Não houve

    Guarani 0 x 2 São Paulo – Brunco de Ouro (28 de janeiro)

    – Erro a favor : Não houve
    – Contra : Não houve

    São Paulo 0 x 2 Santo André – Morumbi (1º de fevereiro)

    – Erro a favor : Não houve
    – Contra : Não houve

    São Paulo 2 x 1 Bragantino – Morumbi (4 de fevereiro)

    – Erro a favor : Não houve
    – Contra : Não houve

    Botafogo 1 x 2 São Paulo – Estádio Santa Cruz, Ribeirão Preto (8 de fevereiro)

    – Erro a favor: No segundo tempo, o árbitro anulou um gol de Thiago Silvy por impedimento. Tira-teima mostrou que o jogador tinha condições legais.
    – Contra : Não houve

    Fonte: http://www.lancenet.com.br/clubes/SAO-PAULO/noticias/09-01-26/475121.stm?sao-paulo-placar-de-erros-da-arbitragem

  39. Marcos

    Caros amigos blogonautas, em dezembro de 2008, foi lançado um interessante livro chamado “ Palmeiras, o Alviverde Imponente ”, cujo autor é o famoso Orlando Duarte, um dos melhores jornalistas esportivos de todos os tempos.

    A obra, que, sobretudo, significa relevante legado sobre história do futebol, apresenta um capítulo para tratar da Copa Rio de 1951, o primeiro campeonato mundial de clubes, entre as páginas 113 e 119.

    Por ser extremamente elucidativo e objetivo, vou copiar aqui quatro trechos do texto sobre o Mundial de 1951.

    _____________________________________________________________________________

    O primeiro campeão mundial de clubes

    Se 1950 fora um grande ano para os palmeirenses, o futebol brasileiro não podia dizer o mesmo. Mesmo tendo hospedado a Copa do Mundo, o Brasil viu o prêmio perder-se na final – e de virada. Contra o Uruguai, no Maracanã, a nação inteira silenciou e chorou com aquele dolorosíssimo 2 a 1.

    Em grande parte para eliminar o desânimo que então se instalara, a CBD resolveu promover em 1951 um torneio internacional de clubes campeões, a Copa Rio, que seria na verdade o primeiro campeonato mundial de clubes. Primeiro, sim, pois não há outro modo de definir uma competição como aquela organizada pela CBD em 1951, sob a chancela da Fifa, entidade máxima do futebol, senão como o primeiro mundial de clubes.

    O então presidente da Fifa, Jules Rimet, enviou ao Brasil um representante para acompanhar a competição de perto: o italiano Ottorino Barassi, secretário geral da entidade e presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 1934, na Itália. Ou seja, não haveria nome mais confiável, experiente e próximo a Jules Rimet para organizar uma importante competição que envolvesse grandes campeões da Europa e da América do Sul.

    ………………………………………………………………………….

    Os oito times disputariam a chamada Copa Rio a partir de 30 de junho de 1951. Para que se tenha idéia da importância do evento, o campeonato paulista ficaria paralisado enquanto acontecesse o torneio, e a Asociación Uruguaya de Fútbol suspendeu seu campeonato para que o Nacional pudesse representar o país à altura.

    …………………………………………………………………………

    Na segunda-feira, O Globo destacava: “ Campeão dos campeões do mundo ”. E a Gazeta Esportiva estampava: “ Palmeiras, campeão do mundo ”.

    …………………………………………………………………………

    A Copa Rio foi enorme sucesso também em arrecadação. Só com a venda de ingressos, foram 11 milhões de dólares, valor extraordinário para a época. O campeão teve média de 71717 espectadores por partida, e a partida final levou 116 mil torcedores ao Maracanã. Assim, mesmo tendo sua sede a quase 500 quilômetros de distância de onde conquistara seu título mundial, o Palmeiras sentiu-se em casa no Rio de Janeiro. Os cariocas apoiaram e aplaudiram o time desde o início e deixaram clara a satisfação por uma vitória consagradora não apenas para a Sociedade Esportiva Palmeiras, mas para todo o Brasil.

    Em São Paulo, acompanhados do presidente Mário Frugiuelle, os jogadores foram recebidos por mais de 1 milhão de pessoas. A comoção tomou conta da cidade quando eles desfilaram por suas avenidas e travessas. Virou carnaval, aos gritos de: ” É campeão! “.

    _____________________________________________________________________________

    Realmente, nesta marcante obra, o jornalista Orlando Duarte nos apresenta diversos elementos que demonstram de forma clara a enorme importância do Campeonato Mundial de 1951 não somente para o Palmeiras, mas também para o próprio desenvolvimento do futebol brasileiro.

    Impressionante a média de 71717 torcedores por jogo. Qual time, em qual competição, apresenta média tão elevada assim???

    Ser recebido por 1 milhão de pessoas nas ruas de São Paulo, acho que nem sequer a Seleção Brasileira teve esta honra, nas vezes em que ganhou a Copa do Mundo.

    E a constatação já conhecida de que a FIFA teve total participação na organização do Mundial, em conjunto com a CBD, por intermédio de seu secretário geral, Sr. Ottorino Barassi, dentre outros aspectos inerentes àquela competição, levou o renomado jornalista, à mesma conclusão a que já havíamos chegado, expressa em outros comentários neste blog.

  40. Marcos

    PALMEIRAS: A TERCEIRA MAIOR TORCIDA, TAMBÉM NO ESTADO DO PARANÁ!!!!

    No Estado do Paraná, foi realizada a maior pesquisa de torcida de todos os tempos, com números impressionantes!!! Quase 102 mil entrevistados, em 68 cidades, em 9 meses de pesquisa!!!! Impressionante mesmo!!! Por isso, a margem de erro é de somente 0,5%, inferior às pesquisas tradicionais!!!!

    O resultado não chega a surpreender, pois o Palmeiras, que tem a terceira maior torcida do Brasil, tb conta com o terceiro maior contingente de torcedores no Paraná. Abaixo está o quadro geral das 4 maiores torcidas daquele Estado, segunda a excelente pesquisa:

    1º) Corinthians 12,5%

    2º) Atlético-PR 9,6%

    3º) PALMEIRAS 7,6%

    4º) Coritiba 7,5%

    Realmente, temos que constatar que é enorme e gigantesca demais esta torcida alviverde, que, a cada ano, fica ainda maior. No caso, o Palmeiras só fica atrás de um time do próprio Estado e da segunda maior torcida do Brasil, a do Corinthians. Incrivelmente, a nação alviverde consegue ser maior do que torcidas de dois tradicionais times paranaenses, Coritiba e Paraná Clube.

    Uma pesquisa tão ampla e tão bem feita somente poderia nos conduzir a estes números. Os quais vão ao encontro dos resultados da Timemania, loteria cujo espaço amostral é gigantesco, pois milhares e milhares de pessoas dela participam e que abarca praticamente todo o território nacional, sendo realizada de forma periódica e contínua. A Timemania ( a melhor e mais eficiente pesquisa de torcidas ) tb já havia provado que o Palmeiras tem mesmo a terceira maior torcida do Brasil.

    Com vcs, abaixo, a matéria do portal GloboEsporte.com, que nos traz esta marcante pesquisa, a principal do gênero, em termos de torcidas brasileiras.

    21/12/08 – 10h48 – Atualizado em 21/12/08 – 16h52

    Maior torcida do Paraná é do… Timão

    Levantamento da Paraná Pesquisas, com 101.981 entrevistas em 68 cidades de todas as regiões, aponta maioria corintiana no estado
    Gazeta do Povo Curitiba

    O diagnóstico no Paraná é de insanidade alvinegra. O estado possui um imenso “bando de loucos” – como se auto-intitulam os torcedores do Corinthians. A maior torcida do Paraná, com 12,5% da preferência total, pertence ao Timão.

    A liderança corintiana foi comprovada pela maior pesquisa já realizada sobre o tema na federação. De fevereiro a novembro deste ano, 101.981 pessoas foram entrevistadas em 68 cidades de todas as regiões. A margem de erro é de 0,5% para os resultados gerais, da região metropolitana e do interior. Na capital, ela sobe para 1%. O Atlético aparece como o segundo time de maior torcida no estado (9,6%), atrás do líder Corinthians (12,5%), enquanto o Coritiba é quarto estadual com 7,5%, depois do Palmeiras (7,6%). O Paraná, com 3,2%, é apenas o oitavo.

    – É uma pesquisa histórica de uma dimensão nunca vista. Os números são incontestáveis. Dificilmente se conseguirá na história fazer um levantamento com uma amostragem maior do que essa – diz o diretor da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo Lopes de Oliveira, instituto responsável pelos dados.
    Segundo Murilo, a pesquisa não foi influenciada por um momento específico pelo qual passavam os clubes.

    – Ela também não foi feita em um período pontual e pôde retratar desta forma vários momentos pelos quais os times passaram durante o ano – complementa ele.

    O apelo corintiano resigna a ambição de Atlético-PR, Coritiba e Paraná a disputas entre si, longe do sonho de reinar em primeiro lugar nos próprios limites. Fora de capital e cercanias, pouca penetração – bairrismo não existe quando o assunto é futebol.

    Entre os paranaenses, a vitória é rubro-negra. O Furacão vence o duelo com o Coritiba nos números gerais, em Curitiba e na região metropolitana. O Paraná é o terceiro na capital.

    O trio despenca na preferência à medida que se afasta das suas sedes – o interior se rende aos “forasteiros” paulistas, gaúchos e cariocas, com apreciação respeitável em todos os municípios.

    Há ainda núcleos consagrados de predileção, como a que a dupla Gre-Nal encontra na Região Sudoeste. Em Pato Branco, por exemplo, o carinho local por Alexandre Pato (nascido na cidade) formou até um consulado colorado, clube que revelou o atacante.

    Outra peculiaridade da pesquisa mostra que o Flamengo, líder isolado com a maior torcida do país, com 17% de simpatizantes (segundo dados de janeiro do Datafolha) não desfruta da mesma devoção por aqui. O time do Rio é apenas 6º colocado com 6,2%. São Mateus do Sul, União da Vitória, Paranaguá e Rio Negro são as únicas cidades que têm maioria flamenguista.

    Clubes Torcedores

    Corinthians 12,5%

    Atlético-PR 9,6%

    Palmeiras 7,6%

    Coritiba 7,5%

    São Paulo 6,5%

    Flamengo 6,2%

    Santos 4,3%

    Paraná 3,2%

    Fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL931178-9825,00.html

  41. Marcos

    Abaixo estão alguns jogos do Palmeiras, realizados na Europa, contra Atlético de Madrid, Real Madrid e Barcelona.

    O Palmeiras é o único time brasileiro que foi convidado pelo Atlético para jogar no estádio Vicente Calderón, pelo Real Madrid pra jogar no Santiago Bernabeu e pelo Barcelona pra jogar em seus dois estádios, o Les Corts ( onde o Palmeiras atuou em amistoso comemorativo dos 50 anos do Barcelona ) e o Camp Nou. Sem sombra de dúvida, este é um índice do enorme prestígio internacional do Palmeiras, o clube brasileiro mais conhecido no exterior.

    Contra o Atlético de Madrid ainda houve um em 1949, vencido pelo time espanhol, e um outro jogo, em 1969, que terminou em empate por 1 a 1 ( com vitória palmeirense nos pênaltis ), válido pelo Torneio Ramon de Carranza. Competição esta que viria a ser vencida pelo Palmeiras, não somente em 69, mas também em 74 e 75, transformando o alviverde no time brasileiro com mais títulos deste torneio, juntamente com o Vasco da Gama.

    ____________________________________________________________

    04/09/1974 – ATLÉTICO DE MADRID-ESP 0 x 1 PALMEIRAS-SP

    Estádio Vicente Calderón – Madrid – Espanha

    Atlético Madrid (Madrid/ESP): Reina, Melo, Eusébio, Adelardo (Leal), Capón, Herédia, Salcedo (Benegas), Iriarte (Alberto), Ufarte (Bezerra), Garte, Ayala

    Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Eurico, Luís Pereira (Arouca), Alfredo, Zeca, Édson (Jair Gonçalves), Ademir da Guia, Ronaldo, Leivinha (Fedato), César, Edu – Técnico: Oswaldo Brandão

    Gol: César (Palmeiras), 22 min primeiro tempo

    ____________________________________________________________

    31/08/1969 – REAL MADRID-ESP 0 x 2 PALMEIRAS-SP

    Estádio Ramón de Carranza – Cadiz – Espanha

    Árbitro: D´agostini

    Real Madrid (Madrid/ESP): Betancourt, Calpe, De Fellipe, Sanches, Pirri, Zoco, Velasques (Planeles), Fleitas (José Luís), Grosso, Amancio, Gento

    Palmeiras (São Paulo/SP): Chicão, Eurico, Baldochi, Minuca, Dé, Zé Carlos, Ademir da Guia, Copeu, Jaime, Cardoso (César), Serginho (Dudu) – Técnico: Rubens Minelli

    Gols: Zé Carlos (Palmeiras), 10 min primeiro tempo, Dé (Palmeiras), 22 min segundo tempo

    ____________________________________________________________

    31/08/1975 – REAL MADRID-ESP 1 x 3 PALMEIRAS-SP

    Estádio Ramón de Carranza – Cadiz – Espanha

    Árbitro: Alberto Michelotti (Espanha)

    Real Madrid (Madrid/ESP): Michelangelo, Uria, Del Bosque, Sol, Rubiñan, Breitner, Pirri, Amâncio, Santilliana, Netzer, Guerino (Martínez) – Técnico: Miljan Miljanic

    Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Eurico, Luís Pereira, Arouca, João Carlos, Édson (Didi), Ademir da Guia, Edu, Leivinha (Fedato), Itamar, Nei – Técnico: Dino Sani

    Gols: Edu (Palmeiras), 9 min, Itamar (Palmeiras), 16 min, 20 min, Breitner (Real Madrid), 39 min segundo tempo

    _____________________________________________________________

    31/08/1994 – REAL MADRID-ESP 3 x 2 PALMEIRAS-SP

    Estádio Santiago Bernabeu – Madri – Espanha

    Árbitro: Martín Navarrete (ESP)

    Real Madrid (Espanha): Canizales (Buyo), Quique, Ackorta (Milla), Hierro, Luís Henrique, Sanchis, Michel, Laudrup, Martin Vasquez (Amavisca), Alfonso (Butragueño), Zamorano – Técnico: Jorge Valdano

    Palmeiras (São Paulo/SP): Velloso, Cláudio, Tonhão, Cléber, Roberto Carlos (Gustavo), César Sampaio, Amaral, Zinho, Rivaldo (Flávio Conceição), Edmundo, Evair – Técnico: Vanderlei Luxemburgo

    Gols: Rivaldo (Palmeiras), 24 min, Zamorano (Real Madrid), 33 min primeiro tempo, Evair (Palmeiras), 7 min, Zamorano (Real Madrid), 22 min, Michel (Real Madrid), 42 min segundo tempo

    _____________________________________________________________

    27/11/1949 – BARCELONA-ESP 2 x 2 PALMEIRAS-SP – COMEMORATIVO DOS 50 ANOS DO BARCELONA

    Estádio De Les Corts – Barcelona – Espanha

    Árbitro: Barders

    Barcelona (Barcelona/ESP): Ramallets, Calvet, Curta, Sagrera, Gonzalvo III, Gonzalvo II, Canal (Navarro), Areitio, Seguer (Cesar), Marcos Aurelio, Manchon

    Palmeiras (São Paulo/SP): Lourenço, Turcao, Sarno, Mexicano, Túlio, Waldemar Fiúme, Harry, Cantotinho, Bóvio, Jair Rosa Pinto, Lima – Técnico: Ventura Cambon

    Gols: Gonzalvo II (Barcelona), 11 min, Canhotinho (Palmeiras), 21 min, Lima (Palmeiras), 26 min primeiro tempo, Bóvio (Palmeiras) (contra), 40 min segundo tempo

    _____________________________________________________________

    06/09/1969 – BARCELONA-ESP 1 x 2 PALMEIRAS-SP

    Estádio Camp Nou – Barcelona – Espanha

    Barcelona (Barcelona/ESP): Sadurni, Torres, Olivella (Ramoni), Eladio, Gallego, Zabalza, Rexach (Pellicer), Pereda (Zaldua), Bustillo (Marti Filosia), Fuste (Castro), Palau

    Palmeiras (São Paulo/SP): Chicão, Eurico, Baldochi, Minuca, Dé, Zé Carlos, Ademir da Guia, Copeu, Jaime, Cardoso (César), Serginho – Técnico: Rubens Minelli

    Gols: Ademir da Guia (Palmeiras), 35 min primeiro tempo, 4 min, Marti Filosia (Barcelona), 21 min segundo tempo

    _____________________________________________________________

    31/08/1974 – BARCELONA-ESP 0 x 2 PALMEIRAS-SP

    Estádio Ramón de Carranza – Cadiz – Espanha

    Árbitro: Kew

    Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Eurico, Luís Pereira, Alfredo, Zeca, Dudu (Édson), Ademir da Guia, Ronaldo, Leivinha, César, Toninho Vanusa (Edu) – Técnico: Oswaldo Brandão

    Barcelona (Barcelona/ESP): Sadurni, Rife, Torres (Marti Filosia), De la Cruz, Costas, Neeskens, Clares, Marcial, Cruyff, Asensi, Rexach (Juanito)

    Gols: Leivinha (Palmeiras) (pênalti), 14 min, Ronaldo (Palmeiras), 30 min segundo tempo

    _____________________________________________________________

    Resumidamente, podemos concluir que é impressionante como o Palmeiras sempre se destacou contra estas equipes, obtendo bons resultados no campo do adversário. E tb chama a atenção de que o Palmeiras é convidado por eles desde a década de 40, sinal de seu largo prestígio internacional, que vem desde tempos antigos.

  42. Marcos

    Após elucidativas constatações sobre relevantes fatos históricos do mundo do futebol, surgiu a idéia de levantar os supostos ” campeonatos mundiais ” e a legitimidade-validade de cada uma das competições classificadas desta forma.

    O único Mundial efetivamente reconhecido pela FIFA que possui o SPFC foi vencido de forma, no mínimo, estranha. Três gols anulados e um pênalti não marcado para o Liverpool, time inglês que não conquista um título de sua liga local há quase 20 anos. E que foi o mero 5º no Campeonato Inglês de 2005. Qual o valor real que possui uma ” conquista ” destas??? Bom, este é tema pra outros debates, que não cabe numa análise isenta e objetiva como esta. Então, a resposta, deixo com vocês, blogonautas. O fato é que, valendo o que vale, é o ÚNICO título mundial reconhecido pela FIFA que o SPFC pode ostentar.

    Até porque, a Copa Toyota não goza deste reconhecimento, conforme deixou bem claro o presidente da FIFA, Sr. Joseph Blatter. E mesmo que a Copa Toyota valesse como um ” mundial “, o fato é que a edição de 1993 ficou, indelevelmente, viciada, uma vez que a tradicional regra segundo a qual tal confronto deveria ocorrer entre o campeão da Copa Libertadores e o campeão da Copa dos Campeões da Europa foi, simplesmente, QUEBRADA. O campeão europeu de 1993 foi o Olympique de Marselha e não o Milan. Portanto, o time italiano não deveria ter participado do jogo no Japão. Este é mais um grave problema de legitimidade da edição de 1993.

    Por outro lado, ainda que a FIFA não tenha reconhecido, o Campeonato Mundial de 1951 tem total legitimidade. A decisão absurda e insensata da FIFA não tem razão de ser. As equipes participantes do Mundial de 1951 obtiveram o direito de participarem dela de acordo com critérios técnicos, ou seja, venceram as competições em seus respectivos países, no ano anterior. E havia representantes das principais potências futebolísticas da época, quando haviam sido realizadas apenas 4 Copas do Mundo, metade vencida pelos uruguaios e metade pelos italianos. Havia um time italiano, a Juventus, campeã italiana de 1950. Havia um time uruguaio, o Nacional, campeão uruguaio de 1950, e base da Seleção campeã da Copa, realizada no Brasil, naquele ano. O Brasil, potência emergente, também estava representado e por duas equipes: Palmeiras ( campeão paulista e do Torneio RJ-SP de 1950 ) e o Vasco ( campeão carioca de 1950 e base da Seleção Brasileira, vice-campeã mundial de 1950 ). Sem sombra de dúvida, um campeonato mundial, ainda mais tendo sido organizado pela CBD, com apoio da FIFA, cujo Secretário Geral, Sr. Otorino Barassi, se encarregou de efetuar a entrega da taça ao time alviverde, ao término da final, num Maracanã lotado. A Gazeta Esportiva, principal veículo da mídia esportiva então, estampou em sua capa, no dia seguinte à conquista: ” PALMEIRAS CAMPEÃO MUNDIAL “. Também houve boa repercussão nas imprensas uruguaia, italiana e francesa, conforme podemos facilmente verificar na internet. A façanha foi tão épica e marcante que chegou a ser criada uma marca de pinga pra homenagear a brilhante conquista alviverde de 1951: a Caninha 51!!! Sim, é isso mesmo: podem também chamar o Mundial de 1951 de “ Copa Caninha 51 ”!!! A famosa marca de cachaça só existe por causa do título mundial de 1951, como forma de homenageá-lo.

    Superada totalmente a discussão infrutífera ( infrutífera porque, dados os elementos disponíveis para debate, a conclusão chega a ser óbvia ) sobre a validade do Campeonato Mundial de 1951, passemos a analisar outras competições, importantíssimas, das quais participaram agremiações de grande relevo no cenário futebolístico internacional. Se uma competição sem reconhecimento da FIFA pode ser considerada ” mundial ” e se um participante desta mesma competição não precisa ter vencido nenhum título para garantir o direito de dela participar, então, a conclusão é que algumas outras competições, também poderiam ser consideradas como ” mundiais “.

    Competições como a Copa Ramon de Carranza, das quais participavam times como Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid. Ou a Copa Euro-América, em que eram protagonistas times como Borussia Dortmund, Hamburgo, Sttugart.

    Finalizando esta linha de raciocínio, conclui-se que, por ter vencido 3 Copas Ramon de Carranza ( 1969, 1974 e 1975 ) e 2 Copas Euro-América ( 1991 e 1996 ), além do Campeonato Mundial propriamente dito ( em 1951 ), o Palmeiras pode ser considerado até HEXACAMPEÃO MUNDIAL.

    Abaixo, estas competições são mostradas com mais detalhes.

    ____________________________________________________________

    TROFÉU RAMON DE CARRANZA 1969

    Equipes participantes: Palmeiras, Real Madrid, Atletico de Madrid e Estudiantes de La Plata. Semifinal: Palmeiras 1(3)x1(2) Atletico de Madrid. Final: Palmeiras 2×0 Real Madrid.

    30/08/1969 – PALMEIRAS 1 x 1 ATLETICO DE MADRID ( na disputa de pênaltis, PALMEIRAS 3 x 2 ATLETICO DE MADRID )

    Estádio Ramón de Carranza – Cadiz – Espanha

    Palmeiras ( São Paulo/SP ): Chicão; Eurico, Zé Carlos, Bendecchi, De Minuca, Copeu, Jaime, Cardoso, Ademir, Serginho, César. Técnico: Rubens Minelli.

    Atletico de Madrid ( Madrid/Espanha ): Zubiarrain; Melo, Jayo, Calleja, Irureta, Eusebio, Ufarte, Luís, Gárate, Adelardo, Orozco (Salcedo).
    Gols: Cardoso, aos 8 minutos do primeiro tempo e Gárate 5 do segundo tempo.

    31/08/1969 – PALMEIRAS 2 x 0 REAL MADRID
    Estádio Ramón de Carranza – Cadiz – Espanha

    Árbitro: D´agostini

    Real Madrid (Madrid/ESP): Betancourt, Calpe, De Fellipe, Sanches, Pirri, Zoco, Velasques (Planeles), Fleitas (José Luís), Grosso, Amancio, Gento

    Palmeiras (São Paulo/SP): Chicão, Eurico, Baldochi, Minuca, Dé, Zé Carlos, Ademir da Guia, Copeu, Jaime, Cardoso (César), Serginho (Dudu) – Técnico: Rubens Minelli

    Gols: Zé Carlos (Palmeiras), 10 min primeiro tempo, Dé (Palmeiras), 22 min segundo tempo

    ____________________________________________________________

    TROFÉU RAMON DE CARRANZA 1974

    Equipes participantes: Palmeiras, Espanyol, Santos e Barcelona. Semifinal: Palmeiras 2×0 Barcelona. Final: Palmeiras 2×1 Espanyol de Barcelona.

    31/08/1974 – BARCELONA 0 x 2 PALMEIRAS

    Estádio Ramón de Carranza – Cadiz – Espanha

    Árbitro: Kew

    Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Eurico, Luís Pereira, Alfredo, Zeca, Dudu (Édson), Ademir da Guia, Ronaldo, Leivinha, César, Toninho Vanusa (Edu) – Técnico: Oswaldo Brandão

    Barcelona (Barcelona/ESP): Sadurni, Rife, Torres (Marti Filosia), De la Cruz, Costas, Neeskens, Clares, Marcial, Cruyff, Asensi, Rexach (Juanito)

    Gols: Leivinha (Palmeiras) (pênalti), 14 min, Ronaldo (Palmeiras), 30 min segundo tempo

    01/09/1974 – ESPANYOL 1 x 2 PALMEIRAS

    Estádio Ramón de Carranza – Cadiz – Espanha

    Árbitro: Alberto Michelotti (Espanha)

    Español (Espanha): Borja, Ramos, De Felipe, Molinos, Uchôa, Ortiz, Sansona, Cuesta, Amiano, Maranhão, José Maria

    Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Eurico, Luís Pereira, Alfredo, Zeca, Édson, Ademir da Guia, Ronaldo (Fedato), Leivinha, César, Toninho Vanusa (Edu) – Técnico: Oswaldo Brandão

    Gols: Leivinha (Palmeiras), 21 min, José Maria (Espanyol) (pênalti), 27 min primeiro tempo, Luís Pereira (Palmeiras), 36 min segundo tempo

    ____________________________________________________________

    TROFÉU RAMON DE CARRANZA 1975

    Equipes participantes: Palmeiras, Real Madrid, Dinamo de Moscou e Real Zaragoza. Semifinal: Palmeiras 1×0 Real Zaragoza. Final: Palmeiras 3×1 Real Madrid

    30/08/1975 – REAL ZARAGOZA 0 x 1 PALMEIRAS

    Estádio Ramón de Carranza – Cádiz – Espanha – Público: 30.000 pagantes
    Árbitro: Lobo (PORT)

    Real Zaragoza (Zaragoza/ESP): Erugusto, Rico, Gonzáles, Rojo, Panes, Flanes, Arrua, Castellon, Rollar, Insfran (Porta), Lonzo

    Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Eurico, Luís Pereira, Arouca, João Carlos, Édson, Ademir da Guia, Edu, Leivinha, Mário (Itamar), Nei – Técnico: Dino Sani

    Gol: Ademir da Guia (Palmeiras), 5 min segundo tempo

    31/08/1975 – REAL MADRID 1 x 3 PALMEIRAS

    Estádio Ramón de Carranza – Cadiz – Espanha
    Árbitro: Alberto Michelotti (Espanha)

    Real Madrid (Madrid/ESP): Michelangelo, Uria, Del Bosque, Sol, Rubiñan, Breitner, Pirri, Amâncio, Santilliana, Netzer, Guerino (Martínez) – Técnico: Miljan Miljanic

    Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Eurico, Luís Pereira, Arouca, João Carlos, Édson (Didi), Ademir da Guia, Edu, Leivinha (Fedato), Itamar, Nei – Técnico: Dino Sani

    Gols: Edu (Palmeiras), 9 min, Itamar (Palmeiras), 16 min, 20 min, Breitner (Real Madrid), 39 min segundo tempo

    ____________________________________________________________

    COPA EURO-AMÉRICA 1991

    Equipes participantes: Palmeiras, Corinthians, Sttutgart e Hamburgo. Palmeiras 2×0 Sttutgart. Palmeiras 2×0 Hamburgo ( ficha técnica não disponível ).

    31/01/1991 – PALMEIRAS 2 x 0 STUTTGART

    Estádio Ronaldo Junqueira – Poços de Caldas – Minas Gerais / MG – Brasil
    Árbitro: Ângelo Antônio Ferrari (BRA)

    Palmeiras (São Paulo/SP): Ivan, Odair, Toninho, Aguirregaray, Albéris, Galeano, Betinho, Erasmo (Marques), Ranielli, Jorginho (Fred), Marcelo – Técnico: Dudu

    Stuttgart (Stuttgart/ALE): Immel, Shafer, Frontzeck (Tremmel), Schnalcke, Hartmann, Buchwald, Sammer, Basualdo, Buch, Fritz Walter, Kastlel (Kramelier)
    Gols: Betinho (Palmeiras), 14 min, 42 min segundo tempo

    ____________________________________________________________

    COPA EURO-AMÉRICA 1996

    Equipes participantes: Palmeiras, Flamengo e Borussia Dortmund. Palmeiras 1×1 Flamengo. Palmeiras 6×1 Borussia Dortmund.

    25/01/1996 – FLAMENGO 1 x 1 PALMEIRAS-SP

    Estádio Plácido Aderaldo Castelo – Castelão – Fortaleza / CE – Brasil
    Árbitro: Francisco Dacildo Mourão de Albuquerque (CE)

    Flamengo (Rio de Janeiro/RJ): Sérgio, Índio (Alcir), Jorge Luís, Ronaldo, Lira, Mancuso, Márcio Costa, Djair (Marques), Rodrigo, Romário, Gláucio (Sávio) – Técnico: Joel Santana

    Palmeiras (São Paulo/SP): Velloso, Gustavo (Wagner), Sandro, Cléber, Júnior (Elivélton), Galeano (Magrão), Amaral, Cafu, Rivaldo, Müller, Luizão (Ósio) – Técnico: Vanderlei Luxemburgo

    Gols: Romário (Flamengo), 38 min, Rivaldo (Palmeiras), 46 min segundo tempo

    22/01/1996 – PALMEIRAS 6 x 1 BORUSSIA DORTMUND

    Estádio Plácido Aderaldo Castelo – Castelão – Fortaleza / CE – Brasil – Horário: 22h45
    Árbitro: Marcos Brasil

    Palmeiras (São Paulo/SP): Velloso, Gustavo, Sandro (Cláudio), Cléber (Tonhão), Júnior, Galeano, Cafu, Ósio (Elivélton), Rivaldo, Müller, Luizão (Wagner) – Técnico: Vanderlei Luxemburgo

    Borussia Dortmund (Alemanha): Debert, Schimdt, Sammer, Krustok, Reuter, Freund, Moller (Oit), Reinhardt (Volters), Itterlich, Riddle (Herrlinch), Chapuisat (Iretshok) – Técnico: Ottmar Hitsfeld

    Cartões amarelos: Müller (Palmeiras), Reinhardt, Reuter, Sammer (Borussia Dortmund)
    Gols: Rivaldo (Palmeiras) (pênalti), 24 min, Luizão (Palmeiras), 42 min primeiro tempo, Iretshok (Borussia Dortmund), 8 min, Rivaldo (Palmeiras), 24 min, Cafu (Palmeiras), 34 min, Rivaldo (Palmeiras), 39 min, Elivélton (Palmeiras), 43 min segundo tempo

  43. Marcos

    O PLACAR GERAL DAS DECISÕES INDICA UMA GRANDE GOLEADA ALVIVERDE CONTRA O TIME DE JARDIM LEONOR – PALMEIRAS 6×3 SPFC

    Amigos blogonautas, tendo-se em vista que ” torcedores ” do time sem data de aniversário, a saber, o time dos vira-casacas ( conforme o livro Veneno remédio – o futebol e o Brasil – página 36 ), andam publicando, indevidamente, equivocado histórico das decisões entre o Palmeiras e tal agremiação obscura, venho, por meio desta mensagem, resgatar a verdade e a realidade histórica dos fatos.

    Ao longo da história, o Palmeiras e o time dos vira-casacas sem aniversário se enfrentaram em 9 jogos decisivos, ou seja, que decidiram títulos. Em outras palavras, em 9 oportunidades, os dois times se enfrentaram numa situação em que, ao final destas partidas, um dos dois se tornaria campeão. Abaixo, está a relação de todos eles, sendo que o Palmeiras ganhou 6 e a agremiação menor ganhou apenas 3 títulos após tais confrontos.

    1) Palestra Itália 1×0 SPFC – Campeonato Paulista de 1933

    2) Palestra Itália 4×1 SPFC – Campeonato Paulista de 1940

    3) Palmeiras 3×1 SPFC – Campeonato Paulista de 1942

    4) SPFC 1×0 Palmeiras – Campeonato Paulista de 1946

    5) Palmeiras 1×1 SPFC – Campeonato Paulista de 1950

    6) SPFC 1×0 Palmeiras – Campeonato Paulista de 1971

    7) Palmeiras 0x0 SPFC – Campeonato Paulista de 1972

    8 ) SPFC 2×1 Palmeiras – Campeonato Paulista de 1992

    9) Palmeiras 0x0 SPFC – Campeonato Brasileiro de 1973

    Em suma, o Palmeiras ganhou sobre o SPFC o Campeonato Brasileiro de 1973 e os Campeonatos Paulistas de 33, 40, 42, 50 e 72. O inverso aconteceu em 46, 71 e 92. Então, o placar geral das decisões indica uma boa goleada alviverde: Palmeiras 6×3 SPFC.

    É importante destacar duas decisões: 1971 e 1942. Em 1971, o SPFC ganhou graças a um gol legítimo que foi roubado do Palmeiras, tantas vezes comentado e reprisado nos programas esportivos. O título paulista de 1971 faz jus às tradições são paulinas de ganhar sempre com roubo e ajuda da arbitragem; portanto, podemos dizer que este de 1971 é o típico título são paulino. Por outro lado, a decisão do Paulista de 1942 foi a primeira partida em que o ex-Palestra Itália fez com o seu novo nome, Palmeiras. Nesta, o Palmeiras ganhava por 3 a 1 e poderia ampliar o placar, pois iria cobrar um pênalti. Foi quando o SPFC FUGIU de campo, pra evitar a humilhação de uma goleada. À época, a fuga covarde do time sem aniversário foi amplamente satirizada e, de forma bem humorada, relacionada ironicamente com a sua sigla, a qual, devido ao fato inusitado, passaria a significar “ Somos Pernetas Fugimos de Campo ”.

    Notamos, ao menos, uma melhora, ainda que precária, na condição moral desta agremiação. É que, em 16 de março de 2008, este mesmo time apanhou de 4 a 1 ( inclusive, com direito a sofrer gol de pênalti nos momentos finais ) deste mesmo Palmeiras e, mesmo levando baile e tomando “ olé ”, permaneceu em campo até o apito final.

    PS: E se aparecer alguém pra contestar as verdades históricas que estão relacionadas acima, fica registrado que as informações referentes aos confrontos decisivos Palmeiras x SPFC foram extraídas do livro “ A História do Campeonato Paulista ”, da Publifolha, cujos autores são Valmir Storti e André Fontenelle. Ou seja, está tudo comprovado documentalmente, segundo a melhor obra acerca do tema.

    ABAIXO, ESTÃO AS FICHAS DE ALGUMAS DESTAS FINAIS HISTÓRICAS, INCLUSIVE O JOGO ROUBADO DE 1971

    08/12/1940 – PALESTRA ITÁLIA 4 x 1 SÃO PAULO – CAMPEONATO PAULISTA
    Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – Pacaembú – São Paulo / SP – Brasil
    Árbitro: Elpídio Fiorda
    Palestra Itália (São Paulo/SP): Gijo, Carnera, Junqueira, Carlos, Oliveira, Del Nero, Luizinho, Canhoto, Etchevarrieta, Lima, Pipi – Técnico: Caetano de Domênico
    São Paulo (São Paulo/SP): Pedroza, Juarez, Squarza, Felipelli, Lola, Orozimbo, Mendes, Jofre, Hemédio, Remo, Paulo
    Gols: Pipi (Palestra Itália), 13 min, Etchevarieta (Palestra Itália), 44 min primeiro tempo, 8 min, Luizinho (Palestra Itália), 31 min, Hemédio (São Paulo), 44 min segundo tempo

    20/09/1942 – PALMEIRAS 3 x 1 SÃO PAULO – CAMPEONATO PAULISTA
    Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – Pacaembú – São Paulo / SP – Brasil – Público: 55.913 pagantes – Renda: 231:239$000
    Árbitro: Jaime Janeiro Rodrigues
    Palmeiras (São Paulo/SP): Oberdan, Junqueira, Begliomini, Zezé Procópio, Og Moreira, Del Nero, Cláudio, Waldemar Fiúme, Villadoniga, Lima, Echevarrieta – Técnico: Armando Del Debbio
    São Paulo (São Paulo/SP): Doutor, Piolin, Virgílio, Lola, Noronha, Silva, Luizinho, Waldemar de Brito, Leônidas, Remo, Pardal – Técnico: Vicente Feola
    Expulsão: Virgílio (São Paulo)
    Gols: Cláudio (Palmeiras), 19 min, Valdemar de Brito (São Paulo), 23 min, Virgílio (São Paulo) (contra), 43 min primeiro tempo, Echevarrieta (Palmeiras), 14 min segundo tempo

    27/06/1971 – PALMEIRAS 0 x 1 SÃO PAULO – CAMPEONATO PAULISTA
    Estádio Cícero Pompeu de Toledo – Morumbi – São Paulo / SP – Brasil – Horário: 16h00 – Público: 103.887 pagantes – Renda: Cr$ 913.196,00
    Árbitro: Armando Marques (SP)
    Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Eurico, Luís Pereira, Minuca, Dé, Dudu, Ademir da Guia, Edu, Leivinha, César, Pio (Fedato) – Técnico: Mário Travaglini
    São Paulo (São Paulo/SP): Sérgio, Forlan, Jurandir, Arlindo, Gilberto, Édson, Gérson, Pedro Rocha (Carlos Alberto), Terto, Toninho Guerreiro, Paraná – Técnico: Osvaldo Brandão
    Cartões vermelhos: Fedato, Eurico (Palmeiras)
    Gol: Toninho Guerreiro (São Paulo), 6 min primeiro tempo

  44. Marcos

    O PLACAR GERAL DAS DECISÕES INDICA VANTAGEM ALVIVERDE SOBRE O TIME DO PARQUE SÃO JORGE – PALMEIRAS 7×6 CORINTHIANS

    Amigos blogonautas, é sabido que o Dérbi ( Palmeiras x Corinthians ) é o principal clássico do futebol brasileiro, conforme já atestaram o famoso site FootBallDerbies.com e também um dos principais veículos de comunicação do mundo, a rede norte-americana CNN. Fato que, evidentemente, não causa surpresa a qualquer pessoa que esteja minimamente familiarizada com o futebol.

    O Dérbi é capaz de levar públicos vultosos às arquibancadas, mesmo se a partida em si não é decisiva. Foi assim em 1989, em partida de fase meramente classificatória do Campeonato Paulista, quando mais de 102000 assistiram à vitória alviverde por 2 a 0. Idem em 1993, quando ambas as equipes já estavam classificadas para a fase semifinal do Paulistão, ocasião em que cerca de 93000 torcedores presenciaram a vitória corintiana por 3 a 0. E também em 2008, em partida da 1ª fase do Campeonato Paulista, quando cerca de 49000 torcedores assistiram ao triunfo palmeirense, pelo placar mínimo, com gol do Mago Valdívia.

    Pois bem, feitas estas observações introdutórias, passemos ao objeto deste comentário, os clássicos envolvendo Palmeiras e Corinthians que decidiram títulos, ou seja, aqueles que, ao seu término, iriam indicar um dos dois como campeão da competição em disputa. Palmeiras e Corinthians se enfrentaram em 13 jogos decisivos finais que decidiram títulos. Em outras palavras, em 13 oportunidades, os dois times se enfrentaram numa situação em que, ao final destes, um dos dois se tornaria campeão. Abaixo, está a relação de todos eles, sendo que o Palmeiras somou 7 triunfos contra o Corinthians e este acumulou 6 sobre o Campeão do Século XX.

    TÍTULOS PALMEIRENSES OBTIDOS CONTRA O CORINTHIANS

    1) Palestra Itália 2×1 Corinthians – Campeonato Paulista de 1936

    2) Palestra Itália 3×1 Corinthians – Campeonato Paulista de 1938 – Edição Extra

    3) Palmeiras 3×1 Corinthians – Torneio Rio-SP de 1951

    4) Palmeiras 1×0 Corinthians – Campeonato Paulista de 1974

    5) Palmeiras 4×0 Corinthians – Campeonato Paulista de 1993

    6) Palmeiras 1×0 Corinthians – Torneio Rio-SP de 1993

    7) Palmeiras 1×1 Corinthians – Campeonato Brasileiro de 1994

    TÍTULOS CORINTIANOS OBTIDOS CONTRA O PALMEIRAS

    1) Corinthians 4×1 Palestra Itália – Campeonato Paulista de 1929

    2) Corinthians 4×1 Palmeiras – Torneio Rio-SP de 1942

    3) Corinthians 1×1 Palmeiras – Campeonato Paulista de 1954

    4) Corinthians 1×0 Palmeiras – Torneio Rio-SP de 1954

    5) Corinthians 2×1 Palmeiras – Campeonato Paulista de 1995

    6) Corinthians 2×2 Palmeiras – Campeonato Paulista de 1999

    Então, podemos verificar que o placar geral indica vantagem palmeirense por 7 a 6. Destas decisões, comentaremos, brevemente, quatro, sendo duas vencidas pelo Palmeiras ( 1974 e 1993 ) e duas vencidas pelo Corinthians ( 1954 e 1999 ).

    No início de 1955 ( pelo Paulistão de 1954 ), o Dérbi decidiu o famoso título do IV Centenário, intensamente comemorado e valorizado à época. Uma curiosidade marcante daquela partida que terminou empatada por 1 a 1 é que Palmeiras, de forma surpreendente, atuou com camisas da cor azul, ao invés do tradicional verde. O título de 1954 marcou o início de uma fila de títulos que somente mais de duas décadas depois.

    Em 1974, o Corinthians estava pra completar 21 anos sem conquistar o Campeonato Paulista e, novamente, encontrou o Palmeiras na final da competição. A partida, disputada num estádio do Morumbi lotado de corintianos, terminou vencida pelo Palmeiras, o que impediu que a fila alvinegra terminasse naquele ano.

    Em 1993, a situação já havia se invertido e quem estava na fila era o Palmeiras. Depois de ter perdido para o Corinthians na fase classificatória ( 3×0 ) e na primeira partida final ( 1×0 ), com a polêmica comemoração de Viola, imitando um “ porco ”, o Palmeiras chegou ao jogo final extremamente pressionado, necessitando de uma vitória no tempo normal e um empate na prorrogação. Conseguiu mais do que isso, fazendo 3 a 0 no tempo regulamentar e 1 a 0 na prorrogação, numa atuação de gala. Este é considerado por muitos palmeirenses como o título mais importante da história do clube.

    Em 1999, poucos dias após ter o Palmeiras vencido o título da Copa Libertadores, viram-se, novamente, frente a frente, os dois maiores times do Brasil, na final do Paulistão. Na primeira partida, extremamente polêmica, o Corinthians venceu por 3 a 0, com a tradicional ajuda do apito. Na segunda partida, com o título praticamente garantido, o placar apontava 2 a 2 quando o Edílson começou a fazer “ embaixadinhas ”, logo após ter feito o gol de empate. Foi o suficiente pra desencadear a maior “ batalha campal ” do futebol brasileiro das últimas décadas. Com a pancadaria generalizada, o árbitro resolveu dar a partida por encerrada e o Corinthians ficou com mais um título.

    Abaixo, disponibilizo as fichas técnicas de 4 destas partidas históricas.

    06/02/1955 – CORINTHIANS 1 x 1 PALMEIRAS – CAMPEONATO PAULISTA DE 1954

    Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – Pacaembú – São Paulo / SP – Brasil
    Árbitro: Esteban Marino (URU)

    Corinthians (São Paulo/SP): Gilmar, Homero, Alan, Idário, Goiano, Roberto Belangero, Cláudio, Luizinho, Baltazar, Rafael Chiarella, Simão – Técnico: Oswaldo Brandão
    Palmeiras (São Paulo/SP): Laércio, Manoelito, Cação, Nilo, Waldemar Fiúme, Dema, Liminha, Humberto Tozzi, Ney, Jair Rosa Pinto, Rodrigues – Técnico: Aymoré Moreira
    Gols: Luizinho (Corinthians), 10 min primeiro tempo, Ney (Palmeiras), 7 min segundo tempo

    22/12/1974 – PALMEIRAS 1 x 0 CORINTHIANS – CAMPEONATO PAULISTA 1974

    Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo – Morumbi, em São Paulo/SP
    Árbitro: Dulcídio Wanderley Boschillia
    Público: 120.522 pagantes pagantes.
    Gol: Ronaldo aos 24 minutos do segundo tempo.

    Palmeiras: Leão; Jair Gonçalves, Luís Pereira, Alfredo Mostarda e Zeca; Dudu e Ademir da Guia; Edu, Leivinha, Ronaldo e Nei.
    Técnico: Oswaldo Brandão.
    Corinthians: Buttice; Zé Maria, Brito, Ademir e Wladimir; Tião e Rivellino; Vaguinho, Zé Roberto, Lance e Adãozinho (Pita).Técnico: Sylvio Pirillo.

    12/06/1993 – PALMEIRAS 3 (1) x (0) 0 CORINTHIANS – CAMPEONATO PAULISTA
    Estádio Cícero Pompeu de Toledo – Morumbi – São Paulo / SP – Brasil – Público: 104.401 pagantes – Renda: Cr$ 18.154.900.000,00
    Árbitro: José Aparecido de Oliveira (SP)
    Palmeiras (São Paulo/SP): Sérgio, Mazinho, Antônio Carlos, Tonhão, Roberto Carlos, César Sampaio, Daniel Frasson, Edílson (Jean Carlo), Zinho, Edmundo, Evair (Alexandre Rosa) – Técnico: Wanderley Luxemburgo
    Corinthians (São Paulo/SP): Ronaldo, Leandro Silva, Marcelo Djian, Henrique, Ricardo Evaristo, Ezequiel, Marcelinho Paulista, Paulo Sérgio, Adil (Tupãzinho / Wílson), Viola, Neto – Técnico: Nelsinho Baptista
    Cartões amarelos: Roberto Carlos, Mazinho, Zinho, Edmundo (Palmeiras), Henrique, Marcelo Leandro, Ronaldo, Neto (Corinthians) – cartões vermelhos: Tonhão (Palmeiras), Henrique, Ronaldo, Ezequiel (Corinthians)
    Gols: Zinho (Palmeiras), 36 min primeiro tempo, Evair (Palmeiras), 28 min, Edílson (Palmeiras), 38 min segundo tempo, Evair (Palmeiras) (pênalti), 10 min primeiro tempo prorrogação

    20/06/1999 – PALMEIRAS 2 x 2 CORINTHIANS – CAMPEONATO PAULISTA DE 1999

    Estádio Cícero Pompeu de Toledo – Morumbi – São Paulo / SP – Brasil – Horário: 16h00 – Público: 59.700 pagantes
    Árbitro: Paulo César Oliveira (SP) – Assistentes: Válter José dos Reis (SP), Francisco Rubens Feitosa (SP)
    Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Arce, Cléber, Roque Júnior, Júnior, Rogério, Zinho, Alex (Agnaldo, depois Galeano), Evair, Paulo Nunes, Oséas – Técnico: Luiz Felipe Scolari
    Corinthians (São Paulo/SP): Maurício, Índio, Gamarra, Nenê, Silvinho, Rincón, Vampeta, Ricardinho, Marcelinho, Edílson, Fernando Baiano (Dinei) – Técnico: Oswaldo de Oliveira
    Cartões amarelos: Arce (Palmeiras), Rincón, Maurício, Marcelinho Carioca, Edílson (Corinthians) – cartão vermelho: Cléber (Palmeiras)
    Gols: Marcelinho Carioca (Corinthians), 35 min, Evair (Palmeiras), 36 min, 40 min primeiro tempo, Edílson (Corinthians), 29 min segundo tempo

    PS: As fontes são o livro “ A História do Campeonato Paulista ”, da Publifolha ( cujos autores são Valmir Storti e André Fontenelle ), os sites ” Palmeiras RFB “, ” Ponto Verde ” e RSSSF.

  45. Marcos

    Aqui está o ranking IFFHS dos times que mais vezes alcançaram o 1º no ranking periódico desta instituição. Do Brasil, somente o gigante Palmeiras conseguiu tal feito ( 4 vezes ), já do futebol argentino, dois times atingiram tal marca ( 6 vezes cada ), o River Plate e o Boca Juniors.

    Segue o ranking abaixo.

    1. Milan AC Italia 37

    2. Manchester United FC England 21

    3. Liverpool FC England 19
    FC Barcelona España 19

    5. Sevilla FC España 17

    6. Juventus FC Torino Italia 16
    Real Madrid CF España 16

    8. FC Internazionale Milano Italia 13

    9. AS Roma Italia 11

    10. FC Bayern München Deutschland 8

    11. AFC Ajax Amsterdam Nederland 6
    CA River Plate Buenos Aires Argentina 6
    CA Boca Juniors Buenos Aires Argentina 6

    14. Paris Saint-Germain FC France 5

    15. SE Palmeiras São Paulo Brasil 4
    Torino AC Italia 4

    17. Chelsea FC London England 3

    18. FK Crvena zvezda Beograd Jugoslavija 2
    Glasgow Celtic FC Scotland 2
    Valencia CF España 2

    21. SS Lazio Roma Italia 1
    Galatasaray SK İstanbul Türkiye 1
    Newcastle United FC England 1

    Fonte: http://www.iffhs.de/?bca384f02788705f94b40385fdcdc3bfcdc0aec28d6ed403

  46. Marcos

    O Palmeiras já foi convidado pelo Barcelona para uma partida no Camp Nou. E, diferentemente do Boca Juniors, não pipocou e venceu o Barcelona por 2 a 1. Acredito que o Palmeiras seja o único time brasileiro a ter jogado no Camp Nou e tb no antigo estádio do Barça, chamado ” Les Corts “.

    Em 1949, quando o Camp Nou ainda não existia, o Palmeiras foi convidado para um torneio comemorativo dos 50 anos do Barcelona. A partida terminou empatada por 2 a 2. Detalhe desta partida é que o técnico palmeirense da época era o mesmo que dois anos depois conquistaria o título mundial com o Palmeiras, contra a Juventus da Itália. Em 2008, Ventura Cambon foi ultrapassado pelo Vanderlei Luxemburgo em quantidade de partidas à frente do Palmeiras e este se tornou o segundo técnico que mais dirigiu o alviverde em todos os tempos.

    Confira abaixo as fichas técnicas destas partidas históricas:

    06/09/1969 – BARCELONA-ESP 1 x 2

    PALMEIRAS-SP – AMIST.INTERN./TROFÉU CIUDAD DE BARCELONA

    Estádio Camp Nou – Barcelona – Espanha

    Barcelona (Barcelona/ESP): Sadurni, Torres, Olivella (Ramoni), Eladio, Gallego, Zabalza, Rexach (Pellicer), Pereda (Zaldua), Bustillo (Marti Filosia), Fuste (Castro), Palau

    Palmeiras (São Paulo/SP): Chicão, Eurico, Baldochi, Minuca, Dé, Zé Carlos, Ademir da Guia, Copeu, Jaime, Cardoso (César), Serginho – Técnico: Rubens Minelli

    Gols: Ademir da Guia (Palmeiras), 35 min primeiro tempo, 4 min, Marti Filosia (Barcelona), 21 min segundo tempo

    27/11/1949 – BARCELONA-ESP 2 x 2 PALMEIRAS-SP – TORNEIO BODAS DE OURO – 50º ANIVERSÁRIO DO BARCELONA

    Estádio de Les Corts – Barcelona – Espanha

    Árbitro: Barders

    Barcelona (Barcelona/ESP): Ramallets, Calvet, Curta, Sagrera, Gonzalvo III, Gonzalvo II, Canal (Navarro), Areitio, Seguer (Cesar), Marcos Aurelio, Manchon

    Palmeiras (São Paulo/SP): Lourenço, Turcao, Sarno, Mexicano, Túlio, Waldemar Fiúme, Harry, Cantotinho, Bóvio, Jair Rosa Pinto, Lima – Técnico: Ventura Cambon

    Gols: Gonzalvo II (Barcelona), 11 min, Canhotinho (Palmeiras), 21 min, Lima (Palmeiras), 26 min primeiro tempo, Bóvio (Palmeiras) (contra), 40 min segundo tempo

  47. Marcos

    HISTÓRIA DAS COMPETIÇÕES NACIONAIS DO FUTEBOL BRASILEIRO

    A primeira competição nacional realizada no Brasil foi a Taça do Brasil de 1959. Tratou-se de autêntico ” Campeonato Brasileiro ” à sua época, uma vez que seu objetivo era indicar o melhor time brasileiro, o qual ganhava direito de participar da Copa Libertadores da América. O critério para se obter classificação para a Taça do Brasil era o desempenho nos Campeonatos Estaduais.

    A Taça do Brasil era disputada basicamente no formato ” mata-mata ” e, devido a isso, além de ter representado a origem do Campeonato Brasileiro pode ser considerada ainda como uma disputa do tipo ” Copa Nacional “, exclusivamente, devido à fórmula de disputa, uma vez que há comparações entre ela e a Copa do Brasil. A comparação, a rigor, não é tão procedente e se deve exclusivamente a dois fatores: fórmula de disputa e critério de qualificação segundo o desempenho em competição estaduais. Por outro lado, não é tão procedente tal comparação, uma vez que a Taça do Brasil representava a competição máxima do futebol brasileiro, destinada a apontar o melhor time do Brasil. Já a Copa do Brasil é apenas uma competição nacional que, embora seja também de extrema relevância, não pode ser considerada mais importante do que o Campeonato Brasileiro.

    Tanto é assim que a Taça do Brasil foi extinta em 1969 quando já se consolidava um campeonato nacional no Brasil. A Copa do Brasil foi criada em 1989 para ser uma competição nacional alternativa, não para substituir qualquer outra.

    Em 1967, surgiu a primeira competição nacional disputada segundo uma fórmula mais complexa, em que não havia o mata-mata típico da Taça do Brasil. Foi a primeira edição de um Campeonato Nacional do futebol brasileiro com o aspecto mais aproximado do atual. O dito ” Campeonato Brasileiro “, iniciou-se em 1967 com o nome de ” Torneio Roberto Gomes Pedrosa ” e mudou de nomenclatura diversas vezes. Em 1971 passou a ser chamado de ” Campeonato Nacional de Clubes “. Em 1974, Copa Brasil. E assim por diante, conforme poderemos ver no quadro sinótico que segue abaixo desta breve exposição. De qualquer forma, como as nomenclaturas são muitas, trataremos todos estes campeonatos sob a denominação única de “ Campeonato Brasileiro ”.

    Além da Taça Brasil que durou de 1959 a 1968 e da Copa do Brasil, de 1989 até os dias atuais, foi disputada entre 2000 e 2002 uma copa nacional denominada Copa dos Campeões, mais enxuta do que a Copa do Brasil e cujo critério de qualificação era mais rígido, já que o credenciamento era obtido mediante conquista de títulos estaduais e inter-regionais.

    Resumidamente, podemos dizer que já foram disputados no Brasil 76 competições nacionais ( considerando-se os dois módulos disputados em 1987 ) :

    10 Taças do Brasil ( 1959 a 1968 )

    43 Campeonatos Brasileiros ( de 1967 a 2008 )

    20 Copas do Brasil

    3 Copas dos Campeões

    Se formos levar em consideração a fórmula de disputa, podemos classificar as competições nacionais em Copas Nacionais e Campeonatos Nacionais. Copas Nacionais são disputadas basicamente no formato mata-mata. Campeonatos Nacionais são disputados em outras fórmulas que não exclusivamente o mata-mata.

    Campeonatos Nacionais – as 43 edições do Campeonato Brasileiro

    Copas Nacionais – as 10 edições da Taça do Brasil, as 20 da Copa do Brasil e as 3 da Copa dos Campeões

    Este critério apresenta o problema de se comparar a Copa do Brasil e a Taça do Brasil, conforme já exposto. Então, ao meu ver, o método mais adequado é equiparar a Taça do Brasil ao Campeonato Brasileiro iniciado em 1967. Teríamos o seguinte quadro:

    Campeonatos Brasileiros ( independentemente de fórmula e nomenclatura ) – 53 edições

    Copas Nacionais – 20 edições da Copa do Brasil e 3 da Copa dos Campeões

    Abaixo segue a relação de todas as competições nacionais já realizadas, incluídas todas as Copas Nacionais e cada nomenclatura referente a cada uma das 43 edições dos Campeonatos Nacionais já realizados

    CAMPEONATOS NACIONAIS ( e todas as suas nomenclaturas ):

    Torneio Roberto Gomes Pedrosa – 1967, 1968, 1969 e 1970

    Campeonato Nacional de Clubes – 1971, 1972, 1973 e 1974

    Copa Brasil – 1975, 1976, 1977, 1978, 1979 e 1980

    Taça de Ouro – 1981, 1982 e 1983

    Copa Brasil – 1984

    Taça de Ouro – 1985

    Copa Brasil – 1986

    Copa União – 1987 ( Módulo Verde ) e 1988

    Copa União ( Módulo Amarelo ) – 1987

    Campeonato Brasileiro – 1989

    Campeonato Brasileiro Série A – 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998 e 1999

    Copa João Havelange ( Módulo Azul ) – 2000

    Campeonato Brasileiro – 2001

    Campeonato Brasileiro Série A – 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2008

    COPAS NACIONAIS

    Taça do Brasil – 1959, 1960, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967 e 1968

    Copa do Brasil – 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2008

    Copa dos Campeões – 2000, 2001 e 2002

    A fim de apontarmos os times mais bem sucedidos nestas 76 competições nacionais já realizadas, faremos dois levantamentos. No primeiro, classifica-se a Taça do Brasil na categoria “ Copa Nacional ” ( em que pese não ser esta a posição defendida por mim ) e considera-se “ Campeonato Nacional ” apenas a partir da primeira edição do Torneio Roberto Gomes. Esta posição já foi defendida pelo jornalista Mauro Beting. No segundo, considera-se a Taça do Brasil na categoria de “ Campeonato Nacional ”, classificando-se como “ Copa Nacional ” apenas a Copa do Brasil e a Copa dos Campeões. Esta posição é defendida por Milton Neves e me parece ser a mais correta, seja pela inconveniência de se comparar a Taça do Brasil com a Copa do Brasil, como já vimos, seja pelo fato de que a interpretação de uma competição deva ser feita em conformidade com elementos históricos, que indiquem corretamente o seu valor, que deve ser o mais adequado possível para indicar com precisão a forma como encarada à época. A Taça do Brasil, por ser a competição nacional máxima, destinada a indicar o melhor time brasileiro, participante da Copa Libertadores, em que pese a fórmula de disputa ter sido similar à da Copa do Brasil, deve ser equiparada ao Campeonato Brasileiro. Por isso, acreditamos que a posição de Milton Neves seja a correta e discordamos de Mauro Beting.

    Na primeira situação, vemos o seguinte quadro:

    CAMPEONATOS NACIONAIS

    1º) Palmeiras 6 ( 1967, 1969, 1972, 1973, 1993 e 1994 )

    2º) Flamengo 5 ( 1980, 1982, 1983, 1987 e 1992 ) e São Paulo ( 1977, 1986, 1991, 2006 e 2007 )

    3º) Vasco 4 ( 1974, 1989, 1997 e 2000 ) e Corinthians 4 ( 1990, 1998, 1999 e 2005 )

    4º) Internacional 3 ( 1975, 1976, 1979 ) e Santos 3 ( 1968, 2002 e 2004 ),

    5º) Grêmio 2 ( 1981, 1996 ), Fluminense 2 ( 1970 e 1984 )

    6º) Atlético-MG 1 ( 1971 ), Atlético-PR 1 ( 2001 ), Bahia 1 ( 1988 ), Botafogo 1 ( 1995 ), Coritiba 1 ( 1985 ), Cruzeiro 1 ( 2003 ), Guarani 1 ( 1978 ), Sport 1 ( 1987 ).

    COPAS NACIONAIS

    1º) Santos 5 ( 1961, 1962, 1963, 1964 e 1965 ) e Cruzeiro 5 ( 1966, 1993, 1996, 2000 e 2003 )

    2º) Grêmio 4 ( 1989, 1994, 1997 e 2001 ) e Palmeiras 4 ( 1960, 1967, 1998 e 2000 )

    3º) Flamengo 3 ( 1990, 2001 e 2006 )

    4º) Corinthians 2 ( 1995 e 2002 )

    5º) Bahia 1 ( 1959 ), Botafogo 1 ( 1968 ), Fluminense 1 ( 2007 ), Sport Recife 1 ( 2008 ), Internacional 1 ( 1992 ), Juventude 1 ( 1999 ), Paulista 1 ( 2005), Santo André 1 ( 2004 ), Criciúma 1 ( 1991 ) e Paysandu 1 ( 2002 )

    No entanto, a mais adequada é a segunda posição que classifica a Taça do Brasil na categoria de Campeonato Brasileiro, o que, efetivamente, corresponde mais à realidade. Então, passamos a ter o seguinte quadro, que sintetiza de forma mais clara o histórico das equipes nestas 76 competições nacionais.

    CAMPEONATOS NACIONAIS

    1º) Palmeiras 8 ( 1960, 1967, 1967, 1969, 1972, 1973, 1993 e 1994 ) e Santos 8 ( 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968, 2002 e 2004 )

    2º) Flamengo 5 ( 1980, 1982, 1983, 1987 e 1992 ) e São Paulo 5 ( 1977, 1986, 1991, 2006 e 2007 )

    3º) Vasco 4 ( 1974, 1989, 1997 e 2000 ) e Corinthians 4 ( 1990, 1998, 1999 e 2005 )

    4º) Internacional 3 ( 1975, 1976, 1979 )

    5º) Grêmio 2 ( 1981, 1996 ), Fluminense 2 ( 1970 e 1984 ), Botafogo 2 ( 1968 e 1995 ), Cruzeiro 2 ( 1966 e 2003 ) e Bahia 2 ( 1959 e 1988 )

    6º) Atlético-MG 1 ( 1971 ), Atlético-PR 1 ( 2001 ), Coritiba 1 ( 1985 ), Guarani 1 ( 1978 ), Sport 1 ( 1987 )

    COPAS NACIONAIS

    1º) Grêmio 4 ( 1989, 1994, 1997 e 2001 ) e Cruzeiro 4 ( 1993, 1996, 2000 e 2003 )

    2º) Flamengo 3 ( 1990, 2001 e 2006 )

    3º) Palmeiras 2 ( 1998 e 2000 ) e Corinthians 2 ( 1995 e 2002 )

    4º) Bahia 1 ( 1959 ), Fluminense 1 ( 2007 ), Sport Recife 1 ( 2008 ), Internacional 1 ( 1992 ), Juventude 1 ( 1999 ), Paulista 1 ( 2005), Santo André 1 ( 2004 ), Criciúma 1 ( 1991 ) e Paysandu 1 ( 2002 )

    E num quadro geral, somando-se todas as 76 competições nacionais já disputadas, temos a seguinte situação:

    1º) Palmeiras – 10 títulos

    2º) Santos e Flamengo – 8 títulos

    3º) Grêmio, Cruzeiro e Corinthians – 6 títulos

    4º) São Paulo – 5 títulos

    5º) Vasco e Internacional – 4 títulos

    6º) Fluminense – 3 títulos

    7º) Botafogo, Bahia e Sport – 2 títulos

    8º) Atlético-MG, Atlético-PR, Coritiba, Guarani, Paulista, Santo André, Criciúma, Juventude, Paysandu – 1 título cada

    Conclui-se, portanto, em breve síntese, que das 76 edições de competições nacionais já realizadas, destacam-se Palmeiras e Santos como octacampeões brasileiros. O destaque principal, contudo, vai para o Palmeiras, por ser, além de octacampeão brasileiro, ainda bicampeão de Copas Nacionais, que lhe confere, no total, a liderança no quadro geral de títulos nacionais, com 10 conquistas.

    Com 8 títulos, o Flamengo divide a segunda colocação com o Santos, em que pese ser o time da Vila Belmiro octacampeão brasileiro e o time carioca apenas pentacampeão ( além de tricampeão das Copas Nacionais ).

    O Estado de São Paulo abriga 7 campeões nacionais ( Palmeiras, Santos, Corinthians, São Paulo, Guarani, Santo André e Paulista ). O Estado do Rio de Janeiro, 4 ( Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense ). São estes os maiores vencedores. Por outro lado, nenhum time da Região Centro-Oeste jamais ganhou uma competição nacional, qualquer que seja qual a edição. Na Região Norte, houve apenas um campeão nestas 76 edições ( Paysandu, Copa dos Campeões de 2002 ). E na Região Nordeste, houve apenas 4 conquistas ( metade vencida pelo Bahia e a outra metade pelo Sport Recife ).

    A rigor, nota-se ainda que a distribuição dos títulos nacionais por Estados e Regiões do Brasil poderia servir até mesmo de base para estudos em torno de temas como concentração de poder econômico, distribuição de riquezas e desigualdades regionais e a forma como estas situações interferem nas disputas esportivas.

  48. Marcos

    Aí está o meu comentário de tempos atrás, que posto abaixo, já ficou ligeiramente desatualizado, devido aos dois jogos do Palmeiras, válidos pela 1ª fase da Copa Libertadores de 2009.

    O Palmeiras já se consolidou, neste início de ano, como o time brasileiro com o melhor retrospecto geral na história desta competição. Nenhum outro tem mais vitórias do que o Palmeiras ( 69 no total ), nenhum outro jogou mais ( 130 jogos ), nenhum outro participou mais vezes ( 14 participações, sendo que a CBD tirou a vaga de 1970, conquistada em campo, portanto, o Palmeiras se classificou 15 vezes para a Copa ), nenhum outro marcou mais do que os 244 gols alviverdes, nenhum outro atingiu 89 gols de saldo como o Verdão e nenhum outro somou mais do que os 231 pontos obtidos pelo Campeão do Século.

    _____________________________________________________

    TABELA HISTÓRICA DA COPA LIBERTADORES: A DESTRUIÇÃO DE ALGUMAS INVERDADES PROPAGADAS PELA IMPRENSA ESPORTIVA

    No final do ano passado, a Conmebol, em seu site oficial, publicou a tabela histórica da Copa Libertadores, com todos os jogos, vitórias, empates, derrotas, gols ( contra e a favor ), e o aproveitamento de cada time. A classificação se dá em função da quantidade de pontos obtidos ao longo da competição. O link está abaixo e coloquei apenas os 50 primeiros por ser muito longa e para não ocupar tanto espaço com tal tabela.

    Pelos números que nos são revelados, podemos saber que o Palmeiras é o time brasileiro que mais marcou gols, na história da Copa Libertadores. E também é o alviverde campeão mundial de 1951 o time brasileiro com a maior quantidade de vitórias. Analisando-se o aproveitamento, a coisa muda um pouco, mas podemos notar que o Palmeiras tem aproveitamento superior, por exemplo, ao do Independiente, que conta com 7 conquistas da competição continental.

    O time brasileiro com melhor aproveitamento é o Cruzeiro. Depois, vem o Flamengo. Em terceiro lugar neste quesito está o Santos.

    Realmente, não foi à toa que a imprensa esportiva evitou e escondeu essa tabela que nos fornece a Conmebol. Ela ajuda a destruir alguns mitos muito propagados por ela.

    Vejam abaixo. No link, a visualização é melhor.

    Confederación Sudamericana de Fútbol / South American Football Confederation

    Tabla histórica de la Copa Santander Libertadores de América (1960-2008)
    Santander Libertadores of America Cup Historical Table (1960-2008)

    Nº Equipos País Partic. Títulos J G E P GF GC PTS %
    # Teams Count. Partic. Titles MP W D L GF GA PTS %

    1 River Plate ARG 29 2 285 142 69 74 468 305 495 57,89%
    2 Peñarol URU 37 5 303 141 68 94 477 351 491 54,02%
    3 Nacional URU 35 3 303 133 82 88 459 341 481 52,92%
    4 Boca Juniors ARG 21 6 212 112 49 51 331 202 385 60,53%
    5 Olimpia PAR 35 3 260 101 78 81 366 321 381 48,85%
    6 Cerro Porteño PAR 32 0 243 91 70 82 329 321 343 47,05%
    7 América COL 18 0 190 89 52 49 284 204 319 55,96%
    8 Colo Colo CHI 26 1 193 78 45 70 280 264 279 48,19%
    9 Bolívar BOL 25 0 187 76 39 72 286 279 267 47,59%
    10 Universidad Católica CHI 21 0 180 70 45 65 284 257 255 47,22%
    11 Universitario PER 25 0 191 63 57 71 236 262 246 42,93%
    12 São Paulo FC BRA 13 3 129 66 33 30 204 119 231 59,69%
    13 Independiente ARG 18 7 136 65 35 36 193 127 230 56,37%
    14 Barcelona SC ECU 21 0 179 61 47 71 215 228 230 42,83%
    15 Palmeiras BRA 13 1 128 67 24 37 237 154 225 58,59%
    16 Sporting Cristal PER 27 0 187 57 47 83 243 289 218 38,86%
    17 Deportivo Cali COL 18 0 142 59 28 55 204 180 205 48,12%
    18 Grêmio BRA 11 2 107 54 22 31 164 106 184 57,32%
    19 Cruzeiro BRA 10 2 94 56 15 23 181 102 183 64,89%
    20 El Nacional ECU 21 0 140 52 26 62 170 193 182 43,33%
    21 Atlético Nacional COL 14 1 117 45 31 41 151 141 166 47,29%
    22 Santos FC BRA 10 2 86 50 13 23 186 111 163 63,18%
    23 Liga Deportiva Universitaria ECU 13 1 115 45 28 42 167 157 163 47,25%
    24 Cobreloa CHI 13 0 105 39 33 33 135 121 150 47,62%
    25 Emelec ECU 18 0 139 41 27 71 152 217 150 35,97%
    26 Flamengo BRA 9 1 77 44 16 17 149 87 148 64,07%
    27 Vélez Sarsfield ARG 10 1 85 38 27 20 113 78 141 55,29%
    28 Estudiantes de La Plata ARG 9 3 71 39 13 19 98 65 130 61,03%
    29 Millonarios COL 14 0 88 34 22 32 129 116 124 46,97%
    30 Rosario Central ARG 10 0 75 35 18 22 130 98 123 54,67%
    31 Alianza Lima PER 20 0 132 32 26 74 131 225 122 30,81%
    32 Universidad de Chile CHI 14 0 95 33 20 42 125 144 119 41,75%
    33 San Lorenzo ARG 10 0 84 31 25 28 115 89 118 46,83%
    34 The Strongest BOL 17 0 105 33 19 53 127 195 118 37,46%
    35 CF América MEX 6 0 64 34 11 19 108 73 113 58,85%
    36 Internacional BRA 7 1 66 31 18 17 90 60 111 56,06%
    37 Guaraní PAR 10 0 85 28 25 32 111 117 109 42,75%
    38 Corinthians BRA 7 0 62 32 11 19 123 83 107 57,53%
    39 Racing Club ARG 6 1 56 28 14 14 94 61 98 58,33%
    40 Jorge Wilstermann BOL 15 0 93 26 18 49 105 187 96 34,41%
    41 Oriente Petrolero BOL 17 0 104 25 21 58 115 201 96 30,77%
    42 Atlético Junior COL 9 0 72 25 17 30 76 92 92 42,59%
    43 Unión Española CHI 8 0 63 22 20 21 72 79 86 45,50%
    44 Newell’s Old Boys ARG 5 0 54 21 21 12 60 54 84 51,85%
    CONMEBOL – Tabla Histórica Libertadores (1960-2008) 1 28/12/2008 23:35 GMT
    45 Vasco da Gama BRA 7 1 54 21 19 14 68 52 82 50,62%
    46 Libertad PAR 9 0 68 21 18 29 71 84 81 39,71%
    47 Defensor Sporting URU 10 0 69 16 25 28 64 86 73 35,27%
    48 CD Guadalajara MEX 4 0 40 19 9 12 58 43 66 55,00%
    49 Portuguesa FC VEN 8 0 52 15 17 20 51 71 62 39,74%
    50 Independiente Medellín COL 4 0 40 16 6 18 51 54 54 45,00%

    Nota/Note : para confeccionar esta tabla se le dio un valor de 3 puntos a cada partido ganado. / A 3-point value per match won
    was determined to draw this table
    Estadísticas/Statistics : Roberto Mamrud
    CONMEBOL

    Fonte: http://img.conmebol.com/csf/pub/articulo/2009/tabla_historica_libertadores_1960-2008.pdf

  49. Marcos

    Em relação ao IFFHS, o Palmeiras já alcançou o 1º lugar por 4 vezes, sendo o único clube brasileiro, até hoje, a ter conseguido tal façanha. Na América do Sul, somente Boca Juniors e River Plate ( 6 vezes cada um ) tb conseguiram atingir o 1º lugar no Ranking.

    Sobre o Ranking Anual, a respeito do qual, lamentavelmente, presenciamos um timeco comemorando 8º lugar, palmeirense só pode dar risada disso….. é que 8º é muito pouco pra quem já atingiu o 2º lugar, a posição máxima do futebol sul-americano em se tratando de ranking anual do IFFHS…..

    Inclusive, o Verdão Campeão do Século ganhou um troféu do IFFHS, por este feito espetacular e ímpar, que pode ser visto no link abaixo:

    http://www.sepalmeiras.com.br/fotosclube/fotos/f06.jpg

    E o Ranking Anual histórico que orgulha o futebol brasileiro está abaixo, com o correspondente link:

    1999 (Top 25)

    1. Manchester United FC England 361,0
    2. SE Palmeiras São Paulo Brasil 291,0
    3. Parma AC Italia 289,0
    4. FC Bayern München Deutschland 287,0
    5. SS Lazio Roma Italia 283,0
    6. Valencia CF España 253,0
    7. Chelsea FC London England 248,0
    8. Real Club Deportivo Mallorca España 239,0
    9. CA River Plate Buenos Aires Argentina 234,0
    10. FC Juventus Torino Italia 225,0
    11. Real Madrid CF España 221,0
    12. SC Corinthians Paulista São Paulo Brasil 219,5
    13. FC Barcelona España 218,0
    14. Club Atlético de Madrid España 214,0
    15. AC Fiorentina Firenze Italia 213,0
    16. Glasgow Rangers FC Scotland 206,0
    17. Galatasaray SK Istanbul Türkiye 202,0
    18. Arsenal FC London England 197,0
    19. Lokomotive Moscow Russia 195,5
    20. Club Nacional de Football Montevideo Uruguay 195,0
    21. CD América Cali Colombia 193,5
    22. Real Club Deportivo de La Coruña España 189,0
    Dynamo Kiev Ukraina 189,0
    CA Vélez Sarsfield Argentina 189,0
    25. CA San Lorenzo de Almagro Buenos Aires Argentina 188,0

    Fonte: http://www.iffhs.de/?6edbca388d8569d817285fdcdc3bfcdc0aec28df10

  50. Marcos

    COPA RIO 1951 – O 1º CAMPEONATO MUNDIAL DE CLUBES

    1ª FASE

    Palmeiras 3×0 Olympique Nice ( França )

    Palmeiras 2×1 Estrela Vermelha ( Iugoslávia )

    Palmeiras 0×4 Juventus ( Itália )

    SEMIFINAIS

    Palmeiras 2×1 Vasco da Gama

    Palmeiras 0×0 Vasco da Gama

    FINAIS

    Palmeiras 1×0 Juventus

    Palmeiras 2×2 Juventus

    Campanha: 4 vitórias, 2 empates e 1 derrota; 10 gols marcados e 8 sofridos.

    TIMES PARTICIPANTES

    GRUPO DO RIO DE JANEIRO

    Vasco da Gama – campeão carioca de 1950

    Sporting Lisboa – campeão português de 1951

    Austria Viena – campeão austríaco de 1950

    Nacional – campeão uruguaio de 1950

    GRUPO DE SÃO PAULO

    Palmeiras – campeão paulista de 1950 e do Torneio Rio-São Paulo de 1951

    Juventus- campeã italiana de 1950

    Estrela Vermelha – campeão igoslavo de 1951

    Olympique de Nice – campeão francês de 1951

    FICHAS TÉCNICAS DAS SEMIFINAIS

    1ª SEMIFINAL

    11/07/1951 – VASCO DA GAMA-RJ 1 x 2 PALMEIRAS-SP
    Estádio Jornalista Mário Filho – Maracanã – Rio de Janeiro / RJ – Brasil – Púb.: 42.992 (30.265 pagantes) – Renda: Cr$ 901.520,00
    Árb.: Edward Greigh (ING)
    Vasco da Gama (Rio de Janeiro/RJ): Barbosa, Augusto, Clarel, Eli, Danilo, Alfredo, Tesourinha, Ipojucan (Vasconcelos), Friaça, Maneca, Djair – Téc.: Otto Glória
    Palmeiras (São Paulo/SP): Fábio Cripa, Salvador, Juvenal, Waldemar Fiúme (Túlio), Luiz Villa, Dema, Liminha, Aquiles (Ponce de Leon), Richard, air Rosa Pinto, Rodrigues – Téc.: Ventura Cambon
    Gols: Richard (Palmeiras), Maneca (Vasco da Gama), Liminha (Palmeiras)

    2ª SEMIFINAL

    15/07/1951 – VASCO DA GAMA-RJ 0 x 0 PALMEIRAS-SP
    Estádio Jornalista Mário Filho – Maracanã – Rio de Janeiro/RJ – Brasil – Públ.: 77.488 (63.668 pagantes) – Renda: Cr$ 1.914.325,00
    Árb.: Franz Grill (AUS) – Assist.: Edward Greigh (ING), Mihailo Popovic (IUG)
    Vasco da Gama (Rio de Janeiro/RJ): Ernâni Guimarães, Augusto da Costa, Clarel, Eli do Amparo, Danilo, Alfredo dos Santos, Tesourinha, Amorim, Friaça, Maneca, Dejair (Chico) – Téc.: Otto Glória
    Palmeiras (São Paulo/SP): Fábio, Salvador, Juvenal, Túlio, Luiz Villa, Dema, Liminha, Ponce de Leon, Richard, Jair Rosa Pinto, Canhotinho – Téc.: Ventura Cambon

    FICHAS TÉCNICAS DAS FINAIS

    1ª FINAL

    18/07/1951 – PALMEIRAS-SP 1 x 0 JUVENTUS-ITA
    Estádio Jornalista Mário Filho – Maracanã – Rio de Janeiro / RJ – Brasil – Públ.: 56.961 (43.001 pagantes) – Renda: Cr$ 1.376.975,00
    Árb.: Franz Grill (AUS) – Assist.: Edward Greigh (ING), Gabriel Tordjman (FRA)
    Palmeiras (São Paulo/SP): Fábio, Salvador, Juvenal, Túlio, Luiz Villa, Dema, Lima, Ponce de Leon, Liminha, Jair Rosa Pinto, Rodrigues – Téc.: Ventura Cambon
    Juventus (Torino/ITA): G.Viola, A.Bertucelli, S.Manente, Mari, R.Ferrario, A.Piccinini (R.Bizzoto), E.Muccinelli, Karl Hansen, Bonipertti, John Hansen, K.H.Praest – Téc.: Carver
    Gol: Rodrigues (Palmeiras)

    2ª FINAL

    22/07/1951 – PALMEIRAS-SP 2 x 2 JUVENTUS-ITA
    Estádio Jornalista Mário Filho – Maracanã – Rio de Janeiro / RJ – Brasil – Públ.: 100.093 (82.892 pagantes) – Renda: Cr$ 2.783.190,00
    Árb.: Gabriel Tordjman (FRA) – Assist.: Edward Greigh (ING), Mihailo Popovic (IUG)
    Palmeiras (São Paulo/SP): Fábio, Salvador, Juvenal, Túlio, Luiz Villa, Dema, Lima, Ponce de Leon (Canhotinho), Liminha, Jair Rosa Pinto, Rodrigues – Téc.: Ventura Cambon
    Juventus (Torino/ITA): Viola, Bertucelli, Parola, Manente, Bizzoto, Mari, Muccinelli, Karl Hansen, Bonipertti, John Hansen, Praest – Téc.: Carver
    Gols: Praest (Juventus), 18 min, Rodrigues (Palmeiras), 32 min primeiro tempo, Bonipertti (Juventus), 8 min, Liminha (Palmeiras), 33 min segundo tempo

  51. LULA

    “Marcos Disse:
    Fevereiro 9, 2009 às 1:01 am

    PALMEIRAS CAMPEÃO DO SÉCULO: RECORDE NO PAULISTÃO E RECORDE HISTÓRICO NA COPA LIBERTADORES, COMPETIÇÃO EM QUE DETÉM O MELHOR RETROSPECTO DENTRE TODOS OS TIMES BRASILEIROS!!!!!!!”

    Libertadores? Sei, o Palestra foi o primeiro brasileiro a chegar na decisão. O caneco valia tanto que o Djalma Santos – melhor lateral-direito da história do futebol – preferiu tentar um chapéu bonito e ver seu time tomar o gol a ganhá-lo. Pois é, somos do futebol bonito. Essa coisa de “raça” é para quem não sabe jogar bola. O Palmeiras jamais precisou de Libertadores para ser alguma coisa. Em todo caso, beliscamos uma – a mais difícil da história, contra Corinthians, Vasco e River Plate.

    “No Paulistão, o PALMEIRAS foi o último time a se sagrar campeão invicto, em 1972. Já se passaram 36 anos e de lá pra cá nenhum time conseguiu ser campeão paulista invicto, como a excelente equipe da Academia de 72.”

    Vige! Essa marca não cairá tão cedo. Em 2005 a FPF criou o “1/2 Paulistão”, aberração de turno único e pontos corridos. Fizeram uma espuma de que a marca iria cair, etc e tal, mas, Washington, atacante sofrível da Lusa, acabou com a festa da turma do vereador anão.

  52. alessandro

    geraldo lina Disse:
    Fevereiro 8, 2009 às 6:45 pm

    queria saber se a MAQUINA de FALAR MERXX do BLOG, vai falar sobre a penalidade sobre o KEIRRISSON…

    ***(*) ******(*)

    ————————————————————————————

    É OBVIO QUE ELA NÃO VAI FALAR, POIS É CORINTHIANA, E COMO TODOS SABEM, CORINTHIANOS E PALMEIRENSES SÃO AMIGUINHOS, ESTÃO PRESTES A SE FUNDIR..

  53. geraldo lina

    eu queria saber onde estah o tal de CELSO RICARDO, o UNICO REPRESENTANTE DO MUSEU PELEH que frequenta o blog.

    CELSO RICARDO, VAI TE CATAR IMBECIL !!!

    HAUHAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHA

    ***(*) ******(*)

  54. Justiceiro

    A primeira meia hora do Palmeiras foi realmente empolgante¨e o Santos se salvou de levar uma goleada já no primeiro tempo (o fato é que a defesa deles deu muita brecha também). A equipe palestrina está jogando um belo futebol, com alguns lances dignos de espetáculo. A imprensa paulista, aos poucos, começa a dar o braço a torcer enquanto às suas previsões totalmente furadas sobre o time em 2009. Cedo ainda? Lógico, mas até agora vamos bem.

  55. Justiceiro

    Benja: “Esse Palmeiras de 2009 está voando baixo. O time é muito rápido (…) O Santos poderia ter sofrido uma goleada maior ainda. Deu sorte”.

    Birner: “Os 25 minutos iniciais foram uma aula de futebol palmeirense”.

    PVC: “A bola que sai rapidamente do pé de Cleiton Xavier e chega para Willams como se fosse um Fórmula 1. O Palmeiras é o melhor time do Paulistão, disparado”.

    Carmona: “Mas não é exagero dizer que o time que tem jogado o melhor futebol no Brasil nesse início de Estaduais/Libertadores é o Palmeiras”.

    ————————————-

    Que diferença pro começo do ano, hein? Já não temos o “terrorismo da imprensa” do qual eu vinha falando desde dezembro. É aqui que eu levanto a plaquinha e nela está escrito: Eu já sabia.

    E vem mais por aí…

  56. Justiceiro

    A bola preta fica com as histéricas recalcadas que simplesmente não suportam todos os elogios que o Palmeiras vem recebendo. Desmerecem o campeonato, dizem que no final não vai ganhar nada, etc. etc… Não compreendem como é gostoso ir ao estádio e ver um futebol bonito e envolvente como este que o time está jogando. Lógico, não sabem o que é isso. É tudo retranca e, quando der, um golzinho de mão ou em impedimento de 1,5 m.

    O outro, na sua ânsia de tentar minimizar a campanha palmeirense, publica um placar de erros de arbitragem inexistente do Lanche! (por que não comentou o placar do Globo Esporte, que indicava o SPFW/Tietê como o clube mais favorecido do Madonnão 2008?).

    O problema é que os dados do carinha são mentirosos, como se pode ver nos links:

    http://www.lancenet.com.br/clubes/PALMEIRAS/noticias/09-01-26/475116.stm?palmeiras-placar-de-erros-da-arbitragem

    http://www.lancenet.com.br/clubes/SAO-PAULO/noticias/09-01-26/475121.stm?sao-paulo-placar-de-erros-da-arbitragem

    Falsificando o Lanche, hein? Coisa feia mesmo… Depois não querem ser associados com o bichinho da Disney…

  57. Justiceiro

    Já o post anterior, sobre a vitória do SPFW/Tietê, deve ter os comentários bem guardados, para que todos vejamos o nível dos são-paulinos que infestam este blog. Você quer conhecer como é a torcida do SPFW/Tietê? Leia o que as madames escreveram em seus comentários. Um mais nojento que o outro. Chama a atenção que os ataques mais virulentos da história deste blog tenham sido justamente dirigidos a uma mulher. Certamente não é um acaso. Assim como é claro e notório que vários deles são desequilibrados, moleques que ao encontrar terreno fértil para dar vazão a todas as suas taras, canalizam as suas frustrações e rancores no blog, em uma atitude típica de fracassados e ressentidos sociais.

    Dizem em coro que o campeonato não tem nenhuma importância, que é um campeonato de m… Ora, que engraçado, então por que diabos gastam tempo vendo todos os jogos e comentando depois de todos eles? Deve ser porque a vida deles também é uma m…? É a única coisa que posso concluir, já que não consigo compreender você não dar a mínima para alguma coisa e gastar tanto tempo de sua vida com ela.

    Mais bizarro que tudo isso é que essa necessidade doentia de agredir os outros internautas parte em um momento que deveria ser de felicidade, já que segundo eles mesmo dizem, o SPFW/Tietê “ganha tudo” e é “soberano”. Como seria essa gente nos anos em que o tricolorzinho levava de 7 do Vasco e da Lusa, brigava pra não cair no Brasileiro e só assistia Libertadores pela TV? Acho que agora podemos entender melhor a pipoca e a fumaça amarela.

    Todos sabemos que o SPFW/Tietê nasceu como resultado das sobras de outros times. E nasceu e cresceu à sombra dos grandes, desejando ter para si o respeito, a tradição e a glória (títulos) de que estes já dispunham há decadas. Esta última foi alcançada (não importa como). Mas as duas primeiras metas não tem como comprar nem como fazer lobby. E quando não se tem algo que se deseja de forma tão intensa, a única saída que resta é tentar se impor na marra e no grito, tal qual fazem os torcedores amestrados do Jd. Leonor. Normal, coisas de uma torcida mimada e (mal)criada a imagem e semelhança de seu clube. Mas alguns casos já chegam a ser preocupantes. Coisa de anormais mesmo.

    Sem mais…

  58. Verdon 22-8-1-1-1-1 (sou hétero e voce?)

    Realmente o Luxa é um treinador como poucos.
    Tem lá seus defeitos, mas o cara sabe como armar um time.
    Por onde passou foi campeão.
    Ganha muito? sim, mas vale o que lhe pagam
    É picareta de jogadores? Sim como 99,99% dos técnicos de futebol no Brasil

  59. geraldo lina

    WOW !!!

    Temos um OMBUDSMAN no BLOG.

    O proprio RECALCADO, SOLITARIO e METIDO A FILOSOFO que aponta o dedo pro outros, eh o que sempre agride, xinga e ofende os rivais.
    Agora por causa de uma nerdzinha mimada, vem aqui defender porque a dita cuja tem uma carinha bem feitinha.

    SE TOCA NEH VELHO GAGAH !!!!

    VAI TE CATAR !!!!

    Se ficar enchendo muito o saco, vou procurar posts com suas palavras “amaveis” para com os saopaulinos.

    ***(*) ******(*)

  60. Alviverde/SP

    Ah, e você é aquele que não profere palavras “amáveis” quando se refere ao Palmeiras??? Tá bom…SÓ RINDO mesmo. RSRSRSRSRSRS

  61. Alexandre Amaral

    Ilmo. xarapim do futuro prefeito d Asa d Arapiraca,

    ñ li uma única linha

    mas tenho ctz q o satff do pres. da FIFA (truta do Jotinha, aqle q dá pensão p vcs) leu e tomará as devidas providências!

    Até hj eu ñ consigo dormir e fico a m perguntar:
    Pq seo Juvenal foi pagar milhões d euros p o Liverpool perder p gnt? Pq? Pq meu deus?
    Com esse montante compraríamos o Ronaldinho no auge e ganharíamos o paulistinha do gás d pimenta verde? Pq? Pq?

  62. Justiceiro

    Lina, se toca: aqui o único que manda todo mundo se catar e invariavelmente chama os outros de imbecis e idiotas é você. Além disso, você não entendeu nada: eu não estou defendendo ninguém, para de desviar o foco (não falei que estavam bem amestrados? igualzinho ao clube para o qual torcem). Leia os comentários deixados pelos são-paulinos no post anterior e reflita um pouco, tenho certeza que apesar da pouca idade você é capaz de fazer isso.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: