Advertisements
Blog do Paulinho

Corinthians protocola desespero financeiro na Vara de Falências e Recuperações Judiciais

Herói Vicente, diretor jurídico do Corinthians

Recentemente, o Corinthians anunciou que todas as suas pendências, cíveis e trabalhistas, seriam administradas através de uma centralização de pagamentos, com parcelamentos baseados na arrecadação do clube.

Os fatos, que se contrapõem ao discurso, são os seguintes:

  • Apenas sete ações trabalhistas aderiram ao parcelamento (não se trata de acordo compulsório, como a diretoria jurídica, aparentemente, buscava confundir; existe a necessidade de aceitação da outra parte, conforme esclarecido, meses atrás, pelo Blog do Paulinho);
  • somente ontem (09), o Corinthians ingressou na Justiça, com pedido de liminar, solicitando a centralização das pendências cíveis; o caso está sendo analisado na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais, pelo juiz Leonardo Fernandes dos Santos (o resultado pode sair nas próximas horas)

Nesta ação, o Corinthians deixou claro que seu estado é ‘caótico’, e que a folha de pagamento é ‘imensa’, razão pela qual solicita rápida resolução judicial.

Informações que divergem das apresentadas, recentemente, em reunião do Conselho Deliberativo.

Se deferida a liminar, o clube terá 60 dias para apresentar um plano de parcelamento combinado com garantias de que poderá arcar com a obrigação.

Os sete processos trabalhistas que aderiram ao plano de parcelamento do Corinthians estão garantidos pelo contrato de patrocínio com a casa de apostas ‘Galera.Bet’, revelado como de R$ 8 milhões, embora a diretoria alvinegra, à ocasião da assinatura, tenha falado em R$ 40 milhões, além da penhora de todos os imóveis que compõem a sede social de Parque São Jorge.

A diretoria jurídica havia afirmado que clube não mais sofreria indisponibilidade de bens.

Abaixo a relação de credores:

  • Flavio Eduardo da Silva Ferreira;
  • Lucinaldo Costa Damasceno;
  • Marcos Roberto Fernandes;
  • Marcus Vinicius Cesário (ex-jogador);
  • Rosivaldo Rodrigues de Sousa;
  • Ibson Barreto da Silva (ex-jogador);
  • Luis Antônio de Oliveira Costa

A dívida total (nestas ações), que era de R$ 3,6 milhões, passou a ser de R$ 4,7 milhões (correção de R$ 1,1 milhão) a ser quitada em 72 parcelas variáveis (média de R$ 65,2 mil).

Facebook Comments
Advertisements

Um comentário sobre “Corinthians protocola desespero financeiro na Vara de Falências e Recuperações Judiciais

  1. Pingback: Justiça recusa ‘espertezas’ do Corinthians em ação por benefícios de SAF – Blog do Paulinho

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: