Advertisements

Os tanques do nosso desencanto

De O GLOBO

Por FERNANDO GABEIRA

Desfile

O tema da semana para mim foi o relatório do IPCC sobre aquecimento global. Desde 2005, quando houve a conferência de Gleneagles, na Escócia, aprendi que o momento em que chegaríamos a uma situação irreversível seria quando as grandes correntes marinhas fossem afetadas. Parece que chegamos lá.

Como discutir isso num país em que Bolsonaro é presidente? O tamanho do adversário nos entristece porque acaba rebaixando nossas possibilidades.

No momento em que soava o alarme do IPCC para a humanidade, e para o Brasil, uma vez que ainda somos parte dela, o país estava galvanizado por um desfile de artefatos fumegantes na Esplanada dos Ministérios.

Não há o que dizer numa república bananeira quando o presidente decide promover um desfile de tanques de guerra para pressionar o Congresso. Isso é Bolsonaro.

As Forças Armadas, no entanto, me preocupam. Elas não são obtusas como muitos às vezes as descrevem. Há tecnologia moderna no ITA, livros sobre guerra moderna são produzidos por oficiais, e até reflexões sobre direitos humanos e a Convenção de Genebra.

É verdade que o Brasil não tem muita experiência real de guerra, e isso tende, segundo alguns, a uma acomodação burocrática. Vá lá, mas ainda assim a burocracia não pode escapar de uma certa racionalidade.

Como explicar um desfile de tanques para entregar um convite ao presidente? É algo que poderia ser feito por e-mail, telegrama, ofício ou mesmo por uma pequena comissão.

Posso até admitir que usem um tanque para chegar a uma cachoeira de difícil acesso. É contra o regulamento, mas não tão absurdo.

E para que toda aquela fumaceira? Não estaria dando uma falsa ideia da precariedade de nossos equipamentos? São melhores do que pareceram naquela manhã do dia 10 de agosto.

Comecei até a duvidar da racionalidade dessa Operação Formosa, que custou em torno de R$5 milhões. Em que cenário de guerra a Marinha desembarcaria esses calhambeques? Na Normandia, na Baía dos Porcos, ou seriam um reforço tardio na caça ao Lázaro Barbosa, que morreu numa operação policial em Goiás?

No fundo, fico pensando, será que esses almirantes, brigadeiros e generais têm realmente ideia do que é uma guerra moderna?

Se tivessem, dariam mais valor à informação e a seus aspectos psicológicos? Interessa mostrar ao mundo um deslocamento de tanques para entregar convites, assim como o descaso de escolher essa fumaceira para exibir às câmeras?

Suponhamos que Bolsonaro tenha transformado as Forças Armadas num tipo de milícia que ignora o mundo e está unicamente preocupada em impressionar os moradores desarmados. Ainda assim, a milícia, composta de policiais aposentados e da ativa, embora não tenha as melhores armas, sabe que o ridículo a enfraquece.

Vimos fotos de tanques na Segunda Guerra, na ocupação da Praça da Praça Celestial, na invasão soviética da antiga Tchecoslováquia. Pessoalmente, estive perigosamente perto dos tanques sérvios cobrindo a independência da Croácia.

Tanques fumegantes, no entanto, sempre dão a ideia de que foram atingidos por um projétil e estão saindo de combate. Os nossos são de fabricação austríaca, e o projétil que os atingiu não é propriamente físico, mas sim a indigência mental bolsonarista que capturou parte do comando militar.

Amigos que foram ministros da Defesa e alguns generais que respeito continuam dizendo que as Forças Armadas não embarcam numa aventura golpista.

Duvidei quando resolveram não punir Pazuello por participar de um comício político. Sei que vão explicar um dia, daqui a cem anos. Temo não estar vivo para conhecer a história.

Temo mais ainda ter de prolongar essa discussão numa prisão militar e ouvir o argumento de que as Forças Armadas são democráticas e nos encarceram apenas para nos proteger de Bolsonaro.

Mais ou menos cadeia a esta altura da vida é irrelevante. O que dói é acreditar que construímos um país vulnerável. Não há defesa nacional com a estupidez no comando.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: