Golpe no Corinthians: votação das contas de Andres Sanches é empurrada para depois das eleições

Antonio Goulart e Andres Sanches

De maneira vergonhosa, Antonio Goulart, presidente do Conselho Deliberativo, Ademir Benedito, da Comissão de Ética e Disciplina e Romeu Tuma Junior, da Comissão Eleitoral, além de representantes das chapas com assento no Conselho alvinegro, decidiram marcar a reunião de avaliação das contas de 2019 da gestão Andres Sanches para 10 de dezembro, ou seja, após as eleições presidenciais.

A votação foi unânime.

O argumento foi evitar utilizar o resultado da votação para ‘politização da matéria’.

Trata-se de claro favorecimento aos interesses de Andres Sanches, que tem o ‘bingueiro’ Duílio Monteiro Alves como indicado à disputa.

Se reprovadas as contas, o presidente sofreria processo de impeachment.

Duílio, na condição de diretor de futebol, também teria o trabalho, por razões óbvias, avaliado.

Muitos dos conselheiros coniventes com a imoralidade são reincidentes no hábito de esconder debaixo do tapete as coisas erradas do Corinthians.

Assinaram o documento: Raul Corrêa da Silva, Antonio Craveiro, Armando da Costa Pacheco, Wellington dos Santos Raso Cardoso, Domingos Sávio Zainaghi, Antonio Rachid, Eduardo Caggiano, Pedro Luis Soares e Fabio Luiz Petrillo.

Corrêa foi indiciado, três vezes, por crimes fiscais cometidos no exercício da diretoria de finanças do Corinthians.

Caggiano e Rachid foram acusados de comprar votos nas eleições 2018.

‘Salve o Corinthians’, cada vez mais, deixa de ser uma letra poética de hino para se tornar o clamor de uma torcida que não para de ser aviltada por abutres insaciáveis da política alvinegra.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.