Advertisements

Não há inocentes entre os que manipularam as contas do Corinthians

Não surpreendeu a informação de que o balanço financeiro do Corinthians, referente às contas de 2019, foi maquiado, deixando de constar dívidas importantes como as da perda jurídica do processo envolvendo o jogador Jucilei.

A conta exata do déficit do clube, em vez de R$ 177 milhões, é de R$ 195,4 milhões.

Essa prática, da distorção financeira, chegou a ser denunciada, anos atrás, pelo então vice de finanças, Emerson Piovesan, referindo-se ao antecessor, Raul Corrêa da Silva, como ‘maquiador’ de balanço.

A fala está registrada em Ata de reunião de conselho e foi testemunhada por centenas deles, mas, de prático, nada aconteceu.

Tivessem investigado as documentações, à época, e talvez o clube não estivesse na situação atual.

De maneira correta, após ciência de nova manipulação, o Conselho Fiscal do Corinthians, presidido pelo advogado Haroldo Dantas, opinou pela reprovação das contas.

Agora, o CORI e o Conselho Deliberativo, diante das evidências, não tem outro caminho a não ser o de seguir a orientação, reprovando o balanço e, ato contínuo, afastando de seus cargos os responsáveis pelas irregularidades.

O Conselho de Orientação, porém, antes disso, fala em realizar ‘acareação’ entre a empresa auditora e os cartolas alvinegros, para saber quem, de fato, seriam os responsáveis pela maquiagem.

Trata-se de procedimento desnecessário e que servirá, apenas, para protelar a votação do que já está comprovado em documentos.

Levando-se em consideração que as práticas de maquiagens contábeis tornaram-se frequentes ao longo das gestões ‘Renovação e Transparência’, e que, nos últimos anos, a empresa de auditoria que as avalizou – indicada pelo ex-financeiro Raul Corrêa da Silva, nunca foi capaz de notá-las (apesar de ter acesso, ao longo dos anos, de toda a documentação), parece clara a existência de uma espécie de ‘parceria’ entre as partes.

Esse tipo de apuração deve ser destinada aos órgãos policiais ou à promotoria.

Ao clube cabe formalizar o Boletim de Ocorrência e acelerar a reunião do Conselho, para que o já comprovado – a fraude contábil, seja devidamente avaliado, assim como a responsabilidade dos gestores.

O quanto antes o Corinthians se livrar de seus captores, num ‘sequestro’ que já dura treze anos, será mais fácil evitar novas sangrias e possibilitar a difícil reconstrução, moral, financeira e esportiva da agremiação.

Facebook Comments
Advertisements

Um comentário sobre “Não há inocentes entre os que manipularam as contas do Corinthians

  1. Jose Ricardo

    Ontem em um programa de uma rádio paulistana, o diretor financeiro Matias Ávila disse que o clube deve 3 meses de salário aos jogadores. Informou que a folha salarial é de 11 milhões e que a dívida seria paga com a venda do Pedrinho.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: