Advertisements

Sem saber que estava sendo gravado, Kajuru confessa pratica de ‘rachadinha’ em seu gabinete, no Senado

Em outubro de 2018, o Blog do Paulinho revelou que o Senador Jorge Kajuru foi denunciado, ao MPF, pela prática de ‘rachadinha’ enquanto ocupava o cargo de vereador de Goiânia.

Jorge Kajuru é denunciado pela prática de ‘rachadinha’ em seus gabinetes

O ex-jornalista, apesar disso, manteve o comportamento em Brasília.

Tivemos acesso a uma conversa telefônica entre Kajuru e seu ex-motorista, Alexandre Machado de Souza, o Buda, que cobrava-lhe R$ 5 mil mensais, a ser repassado em ‘rachadinha’ do gabinete no Senado, para cuidar das coisas do político em Goiânia.

Em momento algum Kajuru demonstra indignação com a proposta.

Ao contrário: em meio às justificativas para não ajudar o ex-amigo (eles estão rompidos), o Senador revela detalhes do esquema em seu gabinete.

O exemplo citado, pelo próprio Kajuru, é o do Assessor Parlamentar Eduardo Aritana de Oliveira, que receberia R$ 18 mil livres (o salário bruto é de R$ 22,9 mil), mas “passa quatro (mil), meu, para a Renata”

Apontada como repassadora da ‘rachadinha’ ao Senador, espécie de ‘Queiroz’ do ex-jornalista, Renata Dayrrel de Lima Campos é Secretária Parlamentar e recebe salário bruto de R$ 17,9 mil.

Noutro momento do ‘bate-papo’, Buda cita provável desconto (rachadinha) de 4 mil do assessor Claudio Geraldo Boeacht Magalhães, questionando as razões desse dinheiro não poder ser destinado a ele.

Kajuru responde que “Todos” repassam, e que Claúdio seria amigo dele há quarenta anos.

O senador diz ainda que, no gabinete dele, ninguém recebe mais do que R$ 14 mil, sugerindo o repasse do restante.

Tratam-se, ainda que involuntárias, de confissões graves e que precisam ser investigadas pelos órgão competentes.

Ficam claras, também, as razões pela qual Kajuru, em vez de escandalizar-se com as diversas evidências de ‘rachadinhas’, intermediadas pelo miliciano Queiroz dentro do gabinete de Flavio Bolsonaro, ignorou-as, com direito a relação próxima com o parlamentar, que se tratam como ‘Flavito’ e ‘Caju’, além de atuação subalterna ao pai, Jair Bolsonaro.


Confira, logo abaixo, áudio e transcrição da conversa do Senador Jorge Kajuru com o ex-motorista Alexandre, o ‘Buda’:

Buda

O Dudu ganha dezoito mil ‘conto’ que eu sei aí…

Kajuru

Dezoito mil líquido

Buda

Pode ganhar até 30 mil… pode até merecer… eu tenho mágoa do Dudu…”

Kajuru

Dos oito mil dele (na verdade dezoito), passa quatro (mil), meu, para a Renata… não é assim não, mestre

Ninguém ganha mais… no meu gabinete, mestre, ninguém ganha mais do que R$ 14,4 mil… eu te provo isso a hora que você quiser… a você e ao Brasil inteiro… ninguém ganha mais do que R$ 14 mil

Badu

Então o Claudio também para R$ 4 mil pra outro… porque não poderia ter sido pra mim isso?

Kajuru

Todos (repassam) mestre, porque você é diferente, mestre… o Claudio e eu tínhamos uma relação de quarenta anos…

Badu

Mas nunca foi seu amigo, Kajuru… vocês sabe disso

Kajuru

Mas ele era… passou a não ser agora

Badu

Como é que um cara desse ganha R$ 18 mil? Você poderia mandar repassar pra mim… pra mim ficar aqui em Goiânia cuidando de você… que isso rapaz… covardia

Kajuru

Alexandre… ele era meu amigo há quarenta anos e nenhuma coisa aconteceu entre nós… ele ganhava, rigorosamente, os R$ 14 mil dele e dividia, com todo mundo, (palavra não reconhecida), eu te provo isso, categoricamente… pra você não, para o Brasil inteiro… para a Globo se ela quiser…

(nome não reconhecido) quando ele provou pra mim que não era mais o amigo de R$ 40 mil, eu o demiti… acabou


Conversa por whatsapp (áudio e transcrição) entre Jorge Kajuru e Flavio Bolsonaro, reveladora de proximidade

“Flavito… já que você me chama de “Kaju” eu posso chamar de Flavito, né?”

“Com toda a franqueza, em nome da minha mãe, em nome do Datena, que é meu pai… Datena não é meu amigo, é meu pai… você sabe o tanto que o Datena gosta do seu pai, né ?”

“Pô cara, falando sério… pergunte pro Romário, eu sei que você é amigo do Romário… fala “Romário, o Kajuru é bom caráter ou não ? Porque a única coisa que eu não tenho, mestre, é falta de caráter, Flavio”

“Então… eu gosto do teu pai (Jair Bolsonaro) de verdade… eu torço pro seu pai de verdade”

“E olha que eu sou de oposição… eu sou do partido do PSB, no entanto o PSB me deixou falar o que que quero, senão não ficaria lá… eu sou posição, sou independente”

“Então vem cá…. não deixa o seu pai fazer isso, Flavio… eu te mandei ai dois currículos, duas capivaras desse tal de Alexandre Baldy… não deixa o seu pai fazer isso…”

“A profissão que ele tem é genro de um bilionário, sócio do hotel Nacional, no Rio de Janeiro”

“Não deixa o teu pai fazer isso… até agora, graças a Deus, não tem um motivo de corrupção no Governo do teu pai… como é que teu pai vai deixar um negócio desse acontecer ?”

“Eu entendi… eu não sou bobo e nem você é.. o Centrão está negociando para o Governo ter os 308 votos na Câmara e aprovar a reforma, mas pra isso seu pai não tem que escolher esse cara… tem 50 caras entre o Centrão que desejam o mesmo cargo, de Ministro das Cidades… e o Caputo está fazendo um puta trabalho lá na Integração”

“Pede pro teu pai, por favor, ligar para o Ronaldo Caiado… o Ronaldo Caiado vai contar coisas do arco da velha desse Baldy… esse cara vai fazer coisa suja demais no Governo do teu pai… ele pode manchar a imagem do teu pai… eu estou preocupado é com isso…’

“Eu não tenho nada contra ele (Baldy)…. eu vi esse cara uma vez na minha vida…”

“O teu pai pode mandar perguntar, pro ex-ministro do Temer, Eliseu Padilha… falava que ele era tão falso que conversava com a cabeça baixa… não olhava no teu olho… não tenho nada contra esse cara… só sei que é um bandido… e eu sou jornalista, acima de tudo… 40 anos jornalista…”

“Então cara, pela minha honra, pela honra do Datena, que é meu irmão e meu pai… eu não faço isso de graça… você me conhece… o pouco que você me conhece… você sabe que eu não sou bandido, não jogo sujo… não faço isso, cara… estou te mandando, pelo amor de Deus… não faça isso… não deixa o teu pai cometer esse erro… porque eu sei que não é o seu pai que está querendo… é o Onix…. mas teu pai é que é o dono… a caneta final é a do seu pai, pô…”

“Tem tantos outros caras lá que podem assumir… porque tem que ser esse cara ? Esse cara vai manchar o Governo do teu pai… eu estou te contando… leia ai só o começo… todo o patrimônio dele foi em função do casamento dele, com um golpe de baú que ele deu, com a filha de um dos maiores milionários do Brasil.. e eu sei que o teu pai não é homem de negócios… pelo amor de Deus”

Flavio Bolsonaro, sem alongar a conversa, respondeu:

“Fala Kaju… eu vou passar aqui pra ele… obrigado, meu irmão… fica com Deus”

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: