Advertisements

Ninguém suporta mais esses professores medrosos

De O GLOBO

Por PAULO CEZAR CAJU

Técnicos retranqueiros estão vivendo o seu inferno astral

Sou do tempo em que o astrólogo Omar Cardoso fazia muito sucesso e, ainda hoje, as previsões de Zora Yonara podem ser ouvidas pelo rádio. Sou geminiano e o tigre me representa no horóscopo chinês. Tenho a personalidade forte, sou ácido em minhas críticas, mas nunca abandono a coerência.

Bom, toda essa introdução é para dizer que os retranqueiros estão vivendo o seu inferno astral, Kkkkk!!!! E tem muito jornalista revendo suas posições.

É fácil voltar atrás. Tite, Abelão, Mano, Felipão e Carille sempre foram os queridinhos de grande parte da imprensa. E não me venham agora dizer que é mentira. Os clubes que insistiram no erro estão pagando caro.

Trocar Felipão por Mano é como trocar seis por meia dúzia, assim como trocar Mano por Abelão. A mentalidade é exatamente a mesma, a de ter um administrador de egos no vestiário. Isso é velho. Jorge Jesus tratou é de administrar a ira da torcida e colocou o time para jogar ofensivamente. E olha que o Flamengo abusa das faltas, mas joga para frente e faz os gols necessários.

Ninguém suporta mais esses professores medrosos. Eles foram as referências das novas gerações. E quem surgiu de bom? Os meus preferidos desde o início do campeonato continuam remando contra a maré: Roger, Sampaoli, Tiago Nunes, Fernando Diniz e Luxemburgo. Vamos acompanhar agora o desempenho do Marcão.

O fato é que uma nuvenzinha estacionou na cabeça dos retranqueiros. Mesmo assim, li algumas matérias exaltando a evolução tática da seleção de Tite, Kkkkkk, peraí isso é piada, não? Dois empates melancólicos contra duas seleções que eu adoro, Senegal e Nigéria, mas que pela postura de nosso treinador sabe-tudo era para terem sido goleadas.

Não houve qualquer progresso e muito menos renovação.

E o discurso nas coletivas, vocês ouviram? Claro que não! Sabem por que não ouviram? Porque ninguém sabe quando a seleção joga e quando sabe não acorda para ver. Eu acordei, porque sempre adorei as seleções africanas, assim como as belgas e holandesas.

Os astros indicam que a única alternativa para os professores que fazem um golzinho e depois se acovardam atrás das barricadas é desapegarem-se dos velhos ideais para dar chance a novos resultados. É tempo de transformar! E quem diz isso não sou eu: está escrito nas estrelas, Kkkkk!!!!!

O universo exige menos cursos da CBF e mais lambretas, como a do menino Talles Magno, e mais dribles, como os do ensaboado Michael, do Goiás.

Enfim, os astrólogos me confidenciaram que as posições do sol e da lua influenciarão diretamente na retomada de nosso futebol e que é chegada a hora da tão sonhada substituição ser anunciada nos alto-falantes do Maraca: a Suderj informa, saem os gladiadores e entram os bailarinos.

Advertisements

Facebook Comments

2 comentários em “Ninguém suporta mais esses professores medrosos”

  1. Boa Paulinho! O Cajú sempre foi um personagem interessante, eu me interesso pelas suas ideia, obrigado por reposta-lo, porque não vou pagar para a globo ou fornecer meus dados para a máfia global usa-los em campanhas políticas. No más, o único time que poderia jogar bonito e pra frente com o elenco que tem é o Palmeiras,mas basta notar os nomes dos técnicos e associar o resultado. Ah! o São Paulo escapou por pouco, e ha esperanças agora com o Diniz, mas o elenco é veterano ou muito jovem.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: