Advertisements

Diretor da base do Corinthians é investigado por fraudes em documentos de cartório

Andres Sanches e Jaça

Responsável por apresentar, na condição de ‘grande empresário’, o então apenas golpista Andres Sanches ao Corinthians, o conselheiro do clube, atual diretor geral das categorias de base, Jacinto Antônio Ribeiro, vulgo ‘Jaça’, que enriqueceu no submundo da contravenção penal, anda preocupado com o Ministério Público.

Acostumado a ‘tabelar’ com a polícia, que adora fechar os olhos para o ‘jogo de bicho’, e com órgãos de inspeção de combustíveis e materiais de construção, o cartola alvinegro encontrou num ex-sócio do ramo de ‘rolamentos’ uma pedra no sapato.

Jaça teria utilizado-se de fraude em serviços cartorários – com possível participação do Cartório sendo investigada – para levar vantagens indevidas em meio à dissolução da sociedade.

Alterações contratuais e até empréstimos pessoais formalizaram-se sob documentos fajutos.

Há quem diga, aliás, que Jacinto utilizava a razão social da empresa, e suas notas fiscais, da mesma maneira que o fazia com seus outros empreendimentos, nem todos, de fato, em operação.

Por conta dessas supostas falcatruas, que levaram um dos donos da empresa ao temor de se ver envolvido em problemas criminais, o acordo social foi rompido.

Na questão das fraudes em cartório, o caso já está nas mãos do MP-SP, da corregedoria dos cartórios e também da Justiça.

O Blog do Paulinho teve acesso aos documentos, supostamente adulterados, e também ao inquérito corrente.

Para se ver livre de qualquer acusação, o próprio 17º Tabelião de Notas denunciou Jaça, agravando ainda mais a situação do cartola alvinegro.

No processo nº 2018/28239, instaurado na 2ª Vara de Registros Públicos, consta o seguinte comunicado, oriundo da Corregedoria Geral da Justiça:

“A Corregedoria Geral da Justiça COMUNICA, para conhecimento geral, o recebimento de informações do Juízo supramencionado, noticiando a comunicação do 17º Tabelião de Notas da referida Comarca acerca da suposta ocorrência de fraude em reconhecimentos de firmas nos documentos abaixo descritos, mediante suposta reutilização de selos e por apresentarem divergência de dados entre o carimbo e a etiqueta, bem como estes não serem compatíveis com os padrões utilizados pela unidade:

– em firmas de Jacinto Antônio Ribeiro, portador do RG nº 4.362.954-4 SSP/SP, inscrito no CPF nº 087.xxx.xxx-77 e de Maria Conceição Aparecida Ribeiro, portadora do RG nº 8.xxx.xxx SSP/SP, inscrita no CPF nº 688.xxx.xxx-78, em Instrumento Particular de Contrato de Compromisso de Compra e Venda, na qual figura como promissário – comprador Esley Garcia do Carmo, portador do RG nº 27.xxx.xxx-X SSP/SP, inscrito no CPF nº 270.xxx.xxx-23, e que tem por objeto o imóvel designado como Casa E, integrante do “Residencial Novo Mundo”, situado na Alameda Subtenente Francisco Hierro nº 450, no 36º Subistrito – Vila Maria, mediante suposta reutilização de selos nºs 1099AA0257718 e 1099AA0257719;

– em 2 firmas de Cleuza Rodrigues, inscrita no CPF nº 095.xxx.xxx-07, como representante da contratante-faturizada Sureal Equipamentos para Construção Eireli-ME, inscrita no CNPJ nº 17.xxx.xxx/0001-32 e como responsável solidária, em suposto Contrato de Fomento, na qual figura como contratada-faturizadora R & F Fomento Mercantil LTDA – EPP, inscrita no CNPJ nº 27.xxx.xxx/0001-45, mediante suposta reutilização de selos nºs 1099AA0254248 e 1099AA0254249;

– em firmas Jose Eduardo Urso, portador do RG nº 11.048.198 SSP/SP, inscrito no CPF nº 013.065.778-61 e de Anna Ignez Urso Marteleto, inscrita no CPF nº 028.xxx.xxx-91, sócios da empresa Hermai Pesquisa de Mercado e Comércio LTDA – ME,
inscrita no CNPJ nº 01.xxx.xxx/0001-26, em Alteração Contratual de Sociedade LTDA, na qual exclui os sócios anteriores e nomeia como sócios João Batista do Nascimento, portador do RG nº 28.xxx.xxx-6 SSP/SP, inscrito no CPF nº 175.xxx.xxx-60 e Rosineide Maria Souza, portador do RG nº 28.xxx.xxx-7, inscrita no CPF nº 755.xxx.xxx-63, mediante suposta reutilização de selos nºs 1099AA0256550 e 1099AA0256549.

Além desses problemas, Jaça está sendo executado, em R$ 310 mil, por conta de não pagamento a fornecedores de combustíveis de um de seus Postos, dizem, em sociedade oculta com Andres Sanches, denominado “Kapor Auto Posto”, localizado na Casa Verde, em São Paulo.

Seu advogado mais recente (noutros casos, de Usucapião), o também conselheiro alvinegro, Herói Vicente, se chamado a atendê-lo nesses problemas, terá bastante trabalho pela frente.

Em conversas com testemunhas, o Blog do Paulinho soube doutras acusações ao cartola, desde suposta comercialização de camisas e ingressos (de camarote) falsificados do clube até participações, ocultas, em contratos de jogadores de futebol.

Nada disso, porém, causa surpresa ao leitor que acompanha esse espaço.

Estranho seria se, numa administração de Andres Sanches, doutorado na Faculdade de Golpes de Caieiras, o Corinthians tivesse um diretor, seja qual for a função, respeitável e sem acusações complicadas.

Triste é observar uma geração de jovens jogadores, das categoria de base do clube, todos ainda em formação de caráter, ser criada sob esse tipo de exemplo.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: