Advertisements

Coluna do Fiori

fiori - dicunto

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“O sentimento de superioridade é um sinal de fracasso”

Yoshida Kenko – foi um autor japonês e monge budista

————————————————————

Cadê o edital referente eleição SAFESP -2019 ?

De acordo com a decisão judicial publicada no dia 09/09/2019 a diretoria deverá seguir Regulamento 2004 e concretizar todas as fases em 30 dias; estamos no dia 21/09, logo: 11 dias sem noticia

Suposições

  1. a) – Acordo para chapa única
  2. b) – recurso jurídico
  3. e) – Salvo engano, regulamento 2004 diz: 90 dias da publicação do edital até data da votação e conhecimento do vencedor

Chega

De lero, lero que já deu no s…

————————————————————–

Aberração na escala da CA-FPF

Dia 19/09/2019 através pagina “Pergunte ao Árbitro”, editada por Rafael Porcari ex-árbitro e professor universitário, tomei conhecimento de uma das varias cambaleada do prepotente diretor de árbitros da FPF, Dionísio Roberto Domingues,

Por

Não ter tido vaticinado atrasos ou algo que possa ocorrer com seu protegido e mediano boto-branco de apito Leandro Bizzio Marinho a quem apelido Whatsapp, no momento que o acutilou para atuar no domingo 22/09, as 10hs00, na disputa Paulista x Assisense, referente ao Campeonato Paulista SUB23- Segunda Divisão

Vez que

Na condição de diretor, antecipadamente, ficou ciente que seu protegido exercera a função de 4º árbitro no,

Confronto

Santos x Grêmio, relativo a Serie A do Brasileirão, às 21h00 de sábado

Explico

Ao que sei Whatsapp reside na capital, sem atraso, voltara para Sampa a partir da 0h, aportando as 02hs00

Ocorrendo

Problemas no campo ou na volta para Sampa, o aportar será delongado

Viagem

Para Jundiaí deve sair das proximidades do prédio da FPF por volta das 06hs e 30min do domingo 22/09, para estar no vestuário as 08hs00

Se

Der zebra! Não venham com o papo é destino que não vai colar

————————————————————

19ª Rodada da Série A do Brasileirão – 2019

Sábado 14/09

Flamengo  1 x 0 Santos

Árbitro: Braulio da Silva Machado (FIFA- SC)

VAR

Rafael Traci (SC)

Item Técnico

Poucas falhas

No todo

Desempenho normal dos representantes das leis do jogo

Item Disciplinar

Cartão Amarelo:  03 para flamenguistas e 06 para santistas

Palmeiras 1 x 0 Cruzeiro

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (FIFA- PR)

VAR

Paulo Roberto Alves Junior ( PR)

Item Técnico

Pouco exigido

No todo

Trabalho normal do árbitro e equipe

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para palmeirenses e 03 para cruzeirenses

Domingo 15/09

Atlético-MG 1 x 3 Internacional

Árbitro: Bruno Arleu de Araujo ( RJ)

VAR

Grazianni Maciel Rocha (RJ)

Item Técnico

Sem problema

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 01 para defensor da equipe gaúcha

Fluminense 1 x 0 Corinthians

Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)

VAR

Daniel Nobre Bins (RS)

Item Técnico

Sem problemas. Joguinho meia boca

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 05 para defensores do tricolor das laranjeiras e 01 para corintianos

Disputa decisiva para determinar equipe Campeã Copa do Brasil – 2109

Quarta Feira 18/09

Internacional 1 x 2 Atlético-PR

Triunfo que elevou a equipe atleticana Campeã da Copa do Brasil

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (FIFA-GO)

VAR

Bráulio da Silva Machado (FIFA-SC)

Item Técnico

O placar apontava 1 x 1, no instante que ocorreu contra-ataque  e domínio da redonda por um dos atleticanos pouco antes da linha intermediaria em direção a meta e com possibilidade de alvejar a meta adversaria,

– repentinamente e ostensivamente o atleticano foi barrado pelo oponente Moledo;

De Pronto

Árbitro Wilton Pereira Sampaio, paralisou a contenda sinalizando a falta

Todavia

Estremeceu por não ter aplicado merecido cartão amarelo para defensor da equipe da casa

Observação

Para dirigentes, árbitros e analistas seguidores do sórdido e malacafento politicamente correto, Wilton Pereira Sampaio acertou, vez que nestes momentos: A lei, ora a lei!

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 03 para defensores da equipe mandante e 02 para visitantes

————————————————————-

Política

Uma causa muito nobre e seus infectos parasitas

Muita gente tece loas à democracia para usar a vontade do cidadão em proveito próprio

Quando Samuel Johnson, tido e havido como o intelectual por excelência na História do Reino Unido, cunhou sua mais famosa entre célebres sentenças definitivas, “o patriotismo é o último refúgio de um canalha”, referiu-se especificamente ao próprio partido político, o Patriotas. O sábio sentia-se incomodado com a invasão da sigla por oportunistas, que se aproveitavam para defender não a causa patriótica a que se referia a denominação, mas diversas maneiras de se aproveitarem do nacionalismo para negócios e interesses próprios. Os movimentos anticolonialistas e o espírito bélico das duas guerras mundiais no século 20 transformaram sua frase em libelo contra o nacionalismo, usado com êxito por nazistas e fascistas.

Essa discussão despertada pelo post de Carlos Bolsonaro é o momento de, sem abrir mão das conquistas civilizatórias da democracia (governo do povo), parodiar a sentença do século 18 na “pérfida Albion” no debate político aqui e agora. A primeira reação provocada pela crítica exposta em redes públicas é sobre poder, relevância e respeito que se deve, ou não, ao autor. Ao lê-la, este escriba lembrou-se de uma anedota clássica do século 20. Diz-se que Pierre Laval, primeiro-ministro da França, ansioso para evitar que os alemães invadissem seu país, sugeriu a Josef Stalin que ganhasse apoio dos católicos aproximando-se do papa Pio 12 para fazer frente a Adolf Hitler. Stalin teria respondido: “O papa?! E quantas divisões (militares) tem o papa?”. Ao ouvir a história, Eugenio Pacelli teria respondido: “Diga a meu filho Josef que ele encontrará minhas divisões no céu”. O filho “02” do presidente da República é um general sem bastão de um exército desarmado de seguidores em redes sociais. Um Aedes aegipti tem poder mais demolidor sobre o regime do que ele.

É mais nociva para nossas instituições democráticas sua falta de representatividade do que arroubos da prole do capitão, esta ou a ameaça de fechar o Supremo Tribunal Federal (STF) com cabo, soldado e jipe.

A sensação de que a democracia no Brasil é o último refúgio dos corruptos não resulta da impaciência de um vereador nota zero na Câmara do Rio, nem das grosserias do pai dele contra a alta comissária dos Direitos Humanos nas Nações Unidas e Brigitte Macron. Mas da insidiosa mistura que os pseudoarautos do chamado governo do povo, pelo povo e para o povo fazem de seus interesses pessoais e de classe com a vontade popular. A Câmara dos Deputados – composta por um sistema de proporcionalidade que faz o voto de um paulista que mora no Acre 13 vezes mais poderoso do que um acriano eleitor em São Paulo – atua como um clube fechado de líderes de partidos, e não como o poder da cidadania.

Fala-se muito em “democracia representativa” no Brasil, mas a verdade é que, da forma como ela tem funcionado na prática, está mais para uma “cleptocracia partidária”. A distorção matemática, que impede a verdadeira representação do cidadão, relegada ao Executivo de União, Estados e municípios, tem um filhote infame na instituição que exerce o poder de fato no tal “presidencialismo de coalizão”. A Câmara tem 30 bancadas, recorde na História da República. Isso provoca um distanciamento crucial das votações em relação ao cidadão. Ao talante de seu chefão, leis de importância capital para a lisura e a consequente reputação da Casa são submetidas a votações simbólicas pelos líderes das bancadas, que decidem em alinhamento com as direções partidárias, sem prévias audiências públicas.

O texto da lei contra o abuso de autoridade, por exemplo, foi aprovado no Senado e ficou dois anos na Câmara, até passar em rito sumário e votação só de líderes. Deputados presentes tentaram exigir do presidente da sessão, Rodrigo Maia, verificação de quórum para fazer votação nominal, mas ele impôs sua vontade pessoal, jogando a democracia no lixo em nome dela própria.

Outro soit-disant arauto da democracia, Davi Alcolumbre, tentou golpe similar na semana passado para aprovar no Senado projeto ainda mais infame, em teoria, de reorganização dos partidos, mas teve de adiar para esta pela insistência de testemunhas de seu cinismo. Esse projeto autoriza parlamentares acusados de corrupção a usar recursos públicos para remunerarem advogados e dispensa partidos de pagarem multas por infrações à lei eleitoral. Os deputados da esquerda e do Centrão, com ajuda de parte da base governista, lutam para aumentar o fundo eleitoral para absurdos R$ 3,7 bilhões, aprovaram a permissão para os partidos pagarem passagens aéreas para filiados ou não com dinheiro público e retiraram as contas bancárias dos partidos dos controles da Receita Federal de Pessoas Politicamente Expostas. Um execrável descalabro!

Davi Alcolumbre, que, acumpliciado com o relator Roberto Rocha (PSDB-MA), arquivou o inquérito sobre a fraude na eleição que o pôs na presidência do Senado, em que foram computados 82 votos depositados por 81 senadores, e mantém a Casa sem Comissão de Ética, fez veemente defesa da democracia. Rodrigo Maia, eleito com 70 mil votos, no fim da fila da proporcionalidade, e feito presidente da Câmara com apoio do PCdoB ao DEM, também não perdeu a oportunosa ensancha para defender a nobre causa, da qual ele é um dos mais oportunistas parasitas.

O regime dos iguais foi desagravado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que se julga preterida por Bolsonaro, apesar de não ter figurado na lista tríplice dos colegas, e pelo decano do STF, Celso de Mello, que, sem condições de saúde de dar expediente, não cede o alto posto. Na Câmara dos Deputados, Eduardo socorreu o irmão “02” com a frase célebre “a democracia é a pior forma de governo, com exceção de todas as demais”, da lavra de Winston Churchill, primeiro-ministro britânico durante a 2.ª Guerra Mundial, ou “Wilson Church”, em sua prova rara de amor e erudição.

José Nêumanne: Jornalista, Poeta e Escritor – Publicado no Estadão do dia 18/09/2019

———————————————————————

Chega de Subterfúgios, de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-21/09/2109

Confira abaixo o programa “COLUNA DO FIORI”, desta semana, que foi ao ar em nosso canal do YouTube.

Nele, o ex-árbitro comenta assuntos, por vezes, distintos do que são colocados nesta versão escrita:

*A coluna é também publicada na pagina http://esporteformigoni.blogspot.com

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: