Advertisements
Anúncios

Ponto eletrônico no futebol

Há quase 20 anos, o Corinthians, então treinado por V(W)anderlei(y) Luxemburgo, ousou entrar em campo com dois pontos eletrônicos, um posicionado com o treinador, outro na orelha do então jogador Ricardinho, um dos líderes da equipe.

A iniciativa gerou controvérsia, por não ter sido autorizada, sendo proibida para partidas posteriores.

Inacreditavelmente, a ideia, que era ótima, nunca mais foi discutida.

É um caso a se repensar, principalmente diante da aceitação – que antes inexistia, da tecnologia como beneficiadora do futebol.

Que mal ocasionaria treinador e um jogador escolhido por ele terem a oportunidade de comunicação durante a partida, algo que já é permitido, sem a mesma eficácia, com os gritos à lateral do gramado ?

Todos teriam a ganhar.

Quantas equipes conseguiriam, com mais facilidade, receber orientações do comandante sem a necessidade de esperar o intervalo ?

O clubes podem, e deveriam, procurar a CBF para que essa facilidade seja implementada ainda em tempo para o Brasileirão, servindo de laboratório para a FIFA, assim como ocorreu, com sucesso, na utilização do spray que demarca a distância da barreira.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: