Balanço revela como família de Paulo Garcia afundou o Noroeste: “utilizavam para negociar jogadores”

Fernando Garcia, Paulo Garcia e Andres Sanches

Sob anonimato, alguns conselheiros do Noroeste/SP, equipe de Bauru que passa por grandes dificuldades financeiras na Série A-3 do futebol paulista (terceira divisão), procuraram o Blog do Paulinho para desmistificar a fama de “filantropos” da Família Garcia na gestão do clube:

“Os Garcias utilizavam o clube para fazer negócios com jogadores… essa história de colocar dinheiro a fundo perdido é lorota… quando saíram daqui levaram quase todos os jogadores em nome do Fernando (Garcia), acabaram com o clube que hoje está na terceira divisão e nunca mais se recuperou”.

“Era uma ajuda estranha… pagavam umas contas, gastavam mais do que o clube arrecadava, avolumaram a dívida (com eles próprios) e na hora de sair levaram a parte deles, duma vez só, em atletas… depois venderam por bem mais do que deveriam receber”

“O correto seria vender os jogadores, deixar o dinheiro entrar no clube e tirar a parte deles”

“Dizem também que o Noroeste era utilizado para “ajudar” a Kalunga contabilmente”

No Balanço Financeiro de 2013, logo após a saída dos “Garcias” do clube, o caos é evidente.

De 2009 a 2012, o prejuízo acumulado foi de R$ 17,4 milhões.

O clube foi abandonado com R$ 8 mil em caixa, mas dívidas de curto prazo no valor de R$ 18,1 milhões, destas R$ 14,5 milhões para a família Garcia, que levou consigo quase todo o elenco titular, boa parte destes emprestados ou vendidos, coincidentemente, ao Corinthians, clube em que o agente de jogadores Fernando Garcia, sócio de Andres Sanches, sempre teve bom trânsito.


Abaixo o extrato de todas as supostas pendências do Noroeste:

  • Damião Garcia (pai de Paulo Garcia)

R$ 6.177.290,83 em nome de Damião Garcia Gráfica Brasil e R$ 6.845.075,10 em nome de Damião Garcia

  • Kalunga (patrocinadora do time – empresa dos Garcias)

R$ 492 mil

  • José Roberto Menezes Garcia (irmão de Paulo Garcia)

R$ 413.450,00

  • Paulo Garcia

R$ 413.450,00

  • João Paulo Garcia (filho de Paulo Garcia)

R$ 20 mil

  • Liga Participações e Intermediações Ltda (empresário Franck Henouda, ligado a Kia Joorabchian, e agentes do Sul do país)

R$ 150 mil

  • Aniz Buzalaf Junior

R$ 53,7 mil


Clique no link a seguir para baixar o Balanço Contábil do Noroeste em 2013:

Balanço 2013 – Noroeste

Dono da Kalunga, o empresário Paulo Garcia é candidato a presidente do Corinthians e, apesar de negociar jogadores com o irmão Fernando desde os tempos de Noroeste, além de defendê-lo quando de sua atuação ao lado de Andres Sanches (a quem financiou campanha ao parlamento), promete agora não mais fazê-lo se eleito para o cargo máximo do Timão.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas para Balanço revela como família de Paulo Garcia afundou o Noroeste: “utilizavam para negociar jogadores”

  1. jhhcaldas disse:

    Legal, eu já conhecia a história dessa família em Noroeste, onde eles sequer podem pisar. Mas não ponho a minha mão no fogo por Citadini ou Tuma. Citadini, mesmo, tem na chapa VÁRIOS dissidentes do Renovação & Transparência, como José Max Reis Alves (ex-diretor administrativo), Carlos Ojeda (ex-diretor de patrimônio), Ronaldo Ximenes (ex-diretor de futebol) e Carlos Luque (ex-ouvidor), além do apoio do péssimo Mario Gobbi e do tal do “171 do Vale do Paraíba”. A mim essa gente não engana.

  2. se o comentarista ai de cima tem razao no que comenta, eu fico me lembrando daquela musica chama o ladrao, chama o ladrao

    que é isso, paulinho, procede o citadine com essa turma ? com esse tal de 171 do vale do paraiba que voce tanto detonou aqui no blog ta com o roque ????? que doidera é essa ?????

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.