Os rolos do Arena Fundo e da OMNI na venda de camarotes do estádio de Itaquera

Em ação combinada, o Arena Fundo, responsável pela gestão do estádio de Itaquera, e a empresa OMNI, que tem o deputado federal Andres Sanches (PT) como sócio oculto, estão enchendo os caixas na comercialização dos ingressos de camarotes para jogos do Corinthians, aproveitando-se que estes ainda não possuem proprietários.

O pacote com doze ingressos, com direito a buffet, show e duas vagas de estacionamento está sendo vendido por R$ 15 mil.

Porém, destes, apenas R$ 240 são contabilizados no borderô da partida (o comprador recebe cada ticket com valor de R$ 20 grafado).

Trata-se de procedimento que desvia recursos do caixa do Corinthians, da Receita Federal (em aparente sonegação de impostos) e não é utilizado para abater a dívida do clube com CAIXA e BNDES, que, lesados, passam a ter direito de execução imediata do contrato de empréstimo referente à construção da Arena (R$ 400 milhões + Juros), que tem clausula vinculante ao recebimento de 100% de toda a arrecadação do local.

Vale lembrar que, dias atrás, em “Informe Mensal” protocolado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o Arena Fundo indicou dívida do Corinthians de R$ 44 milhões, referente, justamente, ao não repasse de valores auferidos no estádio.

O Blog do Paulinho teve acesso à documentação que comprova toda a operação, ao que parece, de desvio de dinheiro dos camarotes.

Estes demonstram, também, as razões do Fundo ter, em terceiro aditamento de contrato com a CAIXA, inserido o banco ITAÚ no negócio: ambos, Arena Fundo e OMNI, indicaram contas na referida instituição para receber o dinheiro das vantagens.

Torcedor do Corinthians, que terá a identidade preservada, pagou R$ 15 mil pelo pacote da última partida do clube, contra o Fluminense, sendo orientado, por email, a dividir os pagamentos em duas contas, uma da Arena Fundo, outra da OMNI:


ARENA FUNDO

  • depositar R$ 11.750, referente à locação de espaço do Camarote;
  • Conta para depósito: Arena Fundo de Investimento Imobiliário -FII; CNPJ: 14.149.745/0001-21; Banco Itaú, Agência 8781; c/c 13083-9

OMNI

  • depositar R$ 3.250 referente à serviços de terceiros incluídos (empresa Wyn! Media Solutions, em nome de Anderson Cesario, preposto de Eduardo “gaguinho”, ligado ao deputado Andres Sanches), porém não se limitando a alimentação e bebidas, acesso diferenciado, serviços de entretenimento, garçom exclusivo e recepcionista;
  • Duas Vagas de Estacionamento E3
  • Conta para depósito: OmniGroup Soluções e Consultoria Ltda – ME; CNPJ: 11.123.730/0001-04; Banco Itaú; Agência 8726; c/c 12373-3

Os doze ingressos contratados, a custo de R$ 1.250,00 cada (do total de R$ 15 mil), foram enviados com o valor unitário de R$ 20, totalizando R$ 240, com o restante distribuído conforme especificamos nas negociações acima.

O caminho do dinheiro, que deveria ser contabilizado pelo Corinthians, para depois ser repassado aos “parceiros”, em verdade, sequer passa pelos caixas alvinegros, muito menos por sua fiscalização.

No borderô da partida entre Corinthians e Fluminense, assinado pelo funcionário do clube, Lucio Blanco, com carimbo de “gestor da Arena”, observamos existir a comercialização de apenas 25 ingressos discriminados pelo valor de R$ 20, totalizando arrecadação de R$ 500.

Inexiste referência a outros penduricalhos no preço.

Em verdade, levando-se em consideração o preço real cobrado, o valor recebido por Arena Fundo e OMNI foi de R$ 31.250,00.

Para ter acesso ao borderô da partida entre Corinthians e Fluminense basta clicar no link a seguir:

Boletim Financeiro Corinthians vs. Fluminense

Se a Fiel tem razões de sobra para comemorar o hepta-campeonato do Corinthians, os dirigentes do clube, também, por razões distintas, que nada tem a ver com paixão pelo futebol.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.