Corinthians: ex-presidente, Mario Gobbi coloca a Polícia Federal na porta de Andres Sanches

gobbi.jpg

“O representante do Corinthians no Fundo e Gestor da Arena sempre foi, desde o nascedouro, o presidente Andrés Sanchez, que sempre cuidou de tudo na Arena. Ele foi o criador, o gestor, o pai, o inventor, enfim, o administrador do projeto Arena Corinthians. O fato é público e notório, de conhecimento de todos”.

(MARIO GOBBI – ex-presidente do Corinthians)

—————————————————————————————————————

Matéria de hoje da FOLHA, assinada pela ótima Camila Mattoso, da conta de que a Odebrecht, em conluio com o Corinthians, falsificou Relatórios de Avanço (publicados, em primeira mão pelo Blog do Paulinho) dando conta de que as obras do estádio em Itaquera estavam concluídas, quando, de fato, não estavam.

Troca de e-mails indica fraude para antecipar incentivos do Itaquerão

A desculpa oferecida foi a necessidade de adiantar o recebimento dos CIDs da Prefeitura (que somente seriam entregues após a finalização da Arena), mas os documentos, desde a semana passada, estão servindo de muleta para a construtora se contrapor ao clube, alegando não mais ter a obrigação de trabalhar no Itaquerão, podendo ainda, judicialmente, executar o total da cobrança, já que a fatura, apesar da fraude, foi emitida em 2014.

Os grande responsáveis pela facilitação à Odebrecht estão numa espécie de luta, cada um por si, quatro contra quatro:

  • Andres Sanches (o grande gestor da sacanagem);
  • Mario Gobbi (o presidente que não teve coragem de impedir os desvios);
  • Raul Corrêa da Silva (diretor financeiro, que não apenas é a pessoa que mais possui assinaturas nos contratos, inclusive os comprovadamente fraudulentos, mas também indicou para auditar as contas do Fundo Arena (controladora da obra) uma empresa com a qual possui ligações umbilicais, a mesma que “auditava” as conta do Corinthians, que resultaram em três processo criminais por sonegação de impostos no STF) e,
  • Roberto “da Nova” Andrade (atual presidente, que luta para esconder o lixo debaixo do tapete e assinou, também, alguns documentos, entre os quais um em clara fraude (intitulando-se presidente do clube, quando tratava-se apenas de candidato), apesar de, operacionalmente, pouco ter participado das principais decisões do empreendimento).

Acuadas, as partes começaram, desde o inicio das revelações de seus desvios de conduta, a atirar uns contra os outros.

O único que permanecia calado, até então, era o ex-presidente Mario Gobbi, que, diante da revelação da nova fraude, e a suspeita de conivência em contrato que pode (será periciado) conter uma de suas assinaturas em falsificação (o dirigente, procurado, não afirma, nem nega, ter assinado), explodiu:

“O representante do Corinthians no Fundo e Gestor da Arena sempre foi, desde o nascedouro, o presidente Andrés Sanchez, que sempre cuidou de tudo na Arena. Ele foi o criador, o gestor, o pai, o inventor, enfim, o administrador do projeto Arena Corinthians. O fato é público e notório, de conhecimento de todos”.

Em poucas palavras, apesar da confissão não eximi-lo de culpa, Gobbi, entregou o que todos, em verdade, sabiam (os envolvidos eram mero obedecedores de ordens do citado ex-presidente), praticamente colocando a Policia Federal na porta do grande executor das falcatruas, o deputado federal Andres Sanches, que já está sendo investigado pela Operação “Lava-Jato”, acusado de receber propina da Odebrecht.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.