Guerrero diz que Mario Gobbi mentiu no episódio da invasão do CT

guerrero

A situação do presidente do Corinthians, Mario Gobbi, nas investigações sobre a recente invasão de torcedores no CT alvinegro, pode ficar ainda mais complicada.

Anteontem, a versão da “pane” em 20 das 22 câmeras que funcionavam no local, foi categoricamente desmentida por especialistas.

Os policiais que investigam o caso acreditam, e tentarão comprovar, nos próximos dias, que os PMs que fazem bico de segurança no clube, capitaneados pelo, segundo informações,  “banda podre” Coronel Dutra, teriam facilitado a entrada dos marginais.

Vale lembrar que Dutra, até hoje, recebe ordens de Andres Sanches, desafeto do presidente alvinegro.

Em confirmado o favorecimento, Gobbi terá que ser tomado por uma coragem ausente durante toda a sua vida, inclusive a de policial, para expor os culpados publicamente.

Para piorar ainda mais sua tarefa, ontem, após a partida contra o fraco Rio Claro, o atacante Guerrero disse que irá desmentir o presidente do Corinthians, em depoimento a ser prestado, amanhã, no DHPP.

Surgiu de Gobbi, para a imprensa, a informação de que o atleta havia sido “esganado” por torcedores.

Guerrero desmente veementemente a versão, dizendo que o presidente criou os fatos, que nunca aconteceram.

Evidentemente, existe a possibilidade do atleta estar com medo dos “organizados”, mas, o simples fato de tratar o presidente de seu clube como mentiroso, publicamente, ontem, e reservadamente, amanhã, expõe o quanto Gobbi não é respeitado no Parque São Jorge.

Tivesse o mínimo de sangue nas veias, e o delegado, logo após a entrevista de ontem, se realmente estivesse com a verdade a seu favor, teria demitido, sumariamente, o jogador.

Em se calando, atesta tacitamente o exposto por Guerrero, perdendo, cada vez mais, o comando e o que lhe resta de moral como presidente do Corinthians.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.