Advertisements
Anúncios

“O mundo não é preto e branco”, diz desembargadora, em hilária sentença contra torcedor do Corinthians

Gaviões da Fielix

Em 2011, o torcedor Marco Paulo de Souza ingressou com ação judicial por danos morais e propaganda enganosa contra as empresa CVC e Corinthians, por considerar ter sido enganado, após adquirir o pacote de viagens para o “Navio do Timão”.

Souza alegou que a decoração não era toda “Preta e Branca” e que o hino do clube quase não foi tocado na embarcação.

Perdeu em primeira instância, recorreu, e sofreu novo revés no Tribunal de Justiça.

Destacamos trechos absolutamente inspirados da desembargadora Dra. Claudia Sarmento Monteleone, para definir a questão:

“O recurso não merece provimento, devendo a sentença ser confirmada por seus próprios fundamentos.

Como bem observou a sentença recorrida, não há prova da exclusividade do serviço contratado pelo apelante apenas para torcedores do seu time.

Também não há qualquer menção ao compromisso dos réus com a “decoração” do local, tão pouco com a execução do hino do time para o qual torce o apelante.

Inexiste qualquer indício de dano moral a ser indenizado.

O apelante contratou um pacote de viagem de navio para si e sua família e recebeu o serviço que foi contratado.

Se o apelante imaginou que passaria 5 dias dentro de um navio com decoração exclusivamente alvinegra, ouvindo a execução constante do hino de seu time, tal situação decorre tão somente de sua própria ilusão, vez que nenhum desses requisitos constou do serviço contratado.

Por fim, a decoração do local em cores e a execução de músicas diversas, não podem ser compreendidas como inadimplemento de obrigação contratual, vez que em nada prejudicaram o passeio marítimo realizado pelo apelante e sua família. O mundo não é preto e branco. Aos seres humanos foi concedido o dom de apreciar as cores em suas infinitas matizes.

O azul do mar, o verde das matas, o branco das nuvens, o vermelho dos faróis, não podem causar a qualquer ser humano dano moral.

Resta ao apelante reservar seu ímpeto de fiel torcedor para as arquibancadas dos estádios nos dias de jogos de seu time, onde a decoração será quase inteiramente das cores desejadas e o canto do hino será executado em brados retumbantes.

No mais, a sentença recorrida não merece reparo.

Diante do exposto, pelo meu voto, NEGO PROVIMENTO ao recurso interposto para manter a sentença apelada.”

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: