Advertisements
Anúncios

Nobre instaura “lei da mordaça” no Palmeiras

Os diretores do Palmeiras estão proibidos de falar com a imprensa e, pior, com associados e conselheiros do clube.

A lei, tudo indica, inspirada no regime da Coreia do Norte, é absolutamente despropositada, e deve ser combatida pelos próprios “amordaçados”, preservando assim a própria dignidade.

Pelos “mandamentos” de Nobre, somente o próprio, além de José Carlos Brunoro e o assessor de imprensa Fernando Mello, torcedor e filho de dirigentes do Corinthians, estão autorizados a se pronunciar pelo clube.

É até compreensível que se tente padronizar o atendimento de informações a serem repassadas aos profissionais do jornalismo, embora todos saibamos que o grosso da informação, pelo menos as mais relevantes, evidentemente nunca são fornecidas de maneira oficial.

Mas é inadmissível que os diretores sejam proibidos de responder a dúvidas ou soneguem informações a associados e conselheiros palestrinos.

Na verdade, todos tem obrigação de fazê-lo.

O Palmeiras é dos seus associados, que verdadeiramente contribuem com o clube, e seus dirigentes são meros prestadores de serviço.

No caso de Brunoro e do assessor alvinegro, o absurdo é ainda é maior, já que são funcionários remunerados com dinheiro dos associados e torcedores do Palmeiras, com obrigação de, no mínimo, prestarem conta de seus serviços.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: