Advertisements
Anúncios

Nobre instaura “lei da mordaça” no Palmeiras

Os diretores do Palmeiras estão proibidos de falar com a imprensa e, pior, com associados e conselheiros do clube.

A lei, tudo indica, inspirada no regime da Coreia do Norte, é absolutamente despropositada, e deve ser combatida pelos próprios “amordaçados”, preservando assim a própria dignidade.

Pelos “mandamentos” de Nobre, somente o próprio, além de José Carlos Brunoro e o assessor de imprensa Fernando Mello, torcedor e filho de dirigentes do Corinthians, estão autorizados a se pronunciar pelo clube.

É até compreensível que se tente padronizar o atendimento de informações a serem repassadas aos profissionais do jornalismo, embora todos saibamos que o grosso da informação, pelo menos as mais relevantes, evidentemente nunca são fornecidas de maneira oficial.

Mas é inadmissível que os diretores sejam proibidos de responder a dúvidas ou soneguem informações a associados e conselheiros palestrinos.

Na verdade, todos tem obrigação de fazê-lo.

O Palmeiras é dos seus associados, que verdadeiramente contribuem com o clube, e seus dirigentes são meros prestadores de serviço.

No caso de Brunoro e do assessor alvinegro, o absurdo é ainda é maior, já que são funcionários remunerados com dinheiro dos associados e torcedores do Palmeiras, com obrigação de, no mínimo, prestarem conta de seus serviços.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: