Advertisements

Lições do “Caso Bruno”

O “Caso Bruno”, agora com a mais nova versão do ocorrido que, na verdade, trata de confirmar o relatório do complicado delegado do caso, no s faz refletir sobre algumas questões.

Em primeiro lugar fica claro que os que assumem o crime e também os que dizem nada ter feito, de alguma maneira, tem culpa no cartório.

Seja por ação ou omissão.

Embora seja absolutamente difícil de acreditar que o tal “macarrão” cometeria um homicídio que, teoricamente, beneficiaria Bruno sem o consentimento do mesmo.

Outro assunto a ser tratado é a questão do juramento realizado por advogados quando se formam ou adquirem a carteira da OAB.

Seria melhor, para que a hipocrisia fosse menos ridícula, que deixassem de fazê-lo, tamanha são as demonstrações de não cumprimento de um item sequer do discurso.

Ética e verdade passam longe do cotidiano da grande maioria dos profissionais do direito, salvo raríssimas exceções.

Facebook Comments
Advertisements

16 comentários sobre “Lições do “Caso Bruno”

  1. Fala sério...

    Mas se a população não agir e cobrar nada será feito, afinal essas leis são feitas por políticos, que sempre legislam em causa própria, logo leis duras não vão ser feitas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: