Advertisements

Deputado usa cota aérea com time do Ceará

 

Da FOLHA DE SÃO PAULO

Eugênio Rabelo (PP), ex-presidente do Ceará Sporting Club, bancou com verba da Câmara 77 passagens para dirigentes e jogadores

Congressista também pagou com dinheiro público, somente no ano de 2007, 77 passagens para mulher, filho, filha, genro e nora

LEONARDO SOUZA

EDUARDO SCOLESE

DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

O deputado Eugênio Rabelo (PP-CE) bancou com dinheiro da Câmara 77 passagens para 27 jogadores, dois técnicos e três dirigentes do Ceará Sporting Club, além de parentes e amigos dos atletas e radialistas encarregados de cobrir os jogos do time de futebol.

Os bilhetes são de 2007 e foram emitidos no período em que o parlamentar presidiu o clube paralelamente ao exercício do mandato no Congresso.

O Ceará tem a segunda maior torcida do Estado, ao lado de Fortaleza e Corinthians, e atrás do Flamengo, conforme pesquisa Datafolha de 2007.

Segundo registros das companhias de aviação aos quais a Folha teve acesso, Rabelo gastou ao menos R$ 31,2 mil da cota aérea com esses bilhetes.

Em pelo menos dois casos, os bilhetes coincidem em data e destino com partidas do Ceará, atualmente na Série B do Campeonato Brasileiro.

Há passagens do dia 4 de agosto de 2007, no trecho Fortaleza-Brasília-Fortaleza. Naquele dia, o Ceará jogou contra o Brasiliense, tendo perdido de 3 a 2. Também há bilhetes no mesmo trecho nos dias 2 e 3 de outubro daquele ano.

No dia 3, o Ceará jogou em Brasília contra o Gama. Mais uma vez perdeu, por 4 a 2.

“Teve alguns jogadores que eram meus amigos na época, que eu dei passagens a eles”, admitiu o deputado cearense.

Entre os beneficiários dos bilhetes, estão o apoiador Barbieri, o volante Felipe, o atacante Warlley Moreira e o meia Thiago Almeida. Esses jogadores não estão mais no Ceará. A Folha entrou em contato com três assessores do clube, mas nenhum dirigente ligou de volta. A reportagem não conseguiu localizar os atletas.

Outro que viajou com passagem da cota de Rabelo é Marcelo Vilar, na época técnico do time e hoje no comando do Treze, de Campina Grande (PB). Ele disse à Folha que não sabia tratar-se de bilhete pago pela Câmara. Marinheiro de primeira viagem no Congresso, Rabelo se elegeu em 2006. Ele presidiu o Ceará por dois anos e dois meses, entre janeiro de 2006 e março de 2008.

Após uma sucessão de derrotas, ele deixou a presidência do clube sob ameaças. “Não havia mais como aguentar essa pressão. Estou sendo muito humilhado. Na última sexta-feira, chamei meu filho para assistir ao jogo do Ceará e ele me falou que não ia, pois não queria ver ninguém me xingando”, disse ele, chorando, em uma entrevista à TV Diário, no dia 12 de março do ano passado.

O episódio envolvendo Rabelo é semelhante ao do deputado Fábio Faria (PMN-RN), que bancou várias passagens de sua cota para a apresentadora Adriane Galisteu e outros três atores. Na época, Galisteu era sua namorada. Ela e outros artistas disseram desconhecer a origem dos bilhetes e afirmaram que, se soubessem, não teriam aceitado.

Nos casos dos dois deputados, as passagens não guardaram nenhuma relação com o exercício do mandato e representaram vantagem pessoal para o congressista. Depois do escândalo, Faria devolveu R$ 21,3 mil à União.

Além de bilhetes para jogadores, Rabelo também bancou com dinheiro da Câmara, somente em 2007, 77 passagens para mulher, filho, filha, genro e nora, ao custo de R$ 30,3 mil.

De sua cota também saíram 24 passagens para o exterior em nome de terceiros, para destinos como Londres, Miami e Buenos Aires. O deputado diz não reconhecer essas viagens nem os beneficiários.

Facebook Comments
Advertisements

4 comentários sobre “Deputado usa cota aérea com time do Ceará

  1. Luís Carlos

    E eu ouvi falar que o que está saindo agora na mídia corresponde apenas a poucas companhias aéreas. Quando obterem os dados das companhias aéreas estrangeiras …

  2. MARCIO , o xará!

    AOPINIÃO PÚBLICA NÃO IMPORTA, POIS, O ELEITOR É BURRO!!! QUEREM JOGAR A CULPA NOS ELEITORES, PARA NÃO FAZEREM LEIS QUE OBRIGUEM OS POLÍTICOS A PRESTAR CONTAS. QUALQUER DEPUTADO OU SENADOR PODE INICIAR UM PROJETO DE LEI PARA MORALIZAR O CONGRESSO. ELES SÃO CULPADOS DUAS VEZES!

  3. Washington

    Na reportagem, o reporter citou que o deputado forneceu passagens para jogadores, treinador e radialistas. Por que ele não citou o nome do radialista, como fez com os jogadores e o treinador?? Fica parecendo corporativismo, o que não encontramos neste blog.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: