Advertisements

Fundo canadense, com filiais em paraísos fiscais, é o novo gestor das finanças do estádio do Corinthians

Na última sexta-feira (04), a BRL Trust, gestora do Arena Fundo FII, responsável pela administração das finanças do estádio de Itaquera, informou aos cotistas Corinthians, Odebrecht e Arena Itaquera S/A, além do mercado em geral, que vendeu suas ações e cotas para ‘Apex Fund Holding Ltda’.

O aviso foi protocolado, também, como ‘fato relevante’ na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Ou seja, o estádio utilizado pelo Corinthians será, daqui por diante, administrado pela Apex, ainda que, por ventura, a empresa decida manter a marca ‘BRL Trust’ operante.

Os bastidores da operação, porém, geram suspeitas.

Luís Guilherme de Souza, Lawrence Santini Echenique e Luís Fernando Falleiros

A Apex foi constituída, oficialmente, no dia 09 de julho de 2020, ou seja, há menos de um ano, com o nome ‘SF 221 Participações Societárias Ltda’, tendo como sócios os advogados Lawrence Santini Echenique e Luis Guilherme de Souza Silva, com ínfimo Capital Social de R$ 100.

Os dois, além de um terceiro sócio (que não foi inserido nessa empresa), são parceiros do escritório Machado Meyer, que, desde antes da inauguração do estádio de Itaquera, presta serviço de consultoria ao Arena Fundo.

O trio é dono da ‘ASAP Documentos’, que, coincidentemente, apresenta três parceiros do Corinthians na carteira de clientes.

São eles: Machado Meyer, Odebrecht e Hypermarcas (agora Hypera Pharma), todos com negócios ativos no estádio alvinegro.

Para finalizar a operação ‘triangulada’, apenas quatro meses após a abertura, no dia 13 de novembro de 2020, a ‘SF 221’ foi transformada em ‘Apex Fund’, com os donos da ‘ASAP’ saindo do contrato.

Não houve elevação do Capital Social, mantido em R$ 100.

Thyago de Freitas Barretto e Thiago Rafael Raimondi

É apontado como dono de 100% desta nova empresa o fundo ‘Apex Fund and Corporate Services Canadá Inc.’, sediado no Canadá, que apresenta como procurador e administrador, respectivamente, os contadores Thyago de Freitas Barreto e Tiago Rafael Raimondi, ambos sócios em diversas empresas, entre as quais a ‘Mandat’, espécie de assessoria administrativa.

Barreto, tempos atrás, prestou serviços para a BDO/RCS, de propriedade do ex-diretor de finanças do Corinthians, Raul Corrêa da Silva, o cartola que assinou quase todos os contratos do Corinthians com a Odebrecht – mais do que todos os ex-presidentes do Timão.

Os proprietários do Fundo canadense, criado em 2019 como ‘Canadá Inc’, meses depois alterado para a nova nomenclatura, são o americano Georges Archibald e o indiano Raja Krishnan, ambos com residência declarada em Toronto/CA.

Georges Archibald e Raja Krishnan

A Apex possui dezenas de filiais, muitas delas em conhecidos paraísos fiscais do planeta, entre os quais Delaware/EUA, Uruguai, Bermudas, Ilhas Cayman, etc.

Recentemente, o Blog do Paulinho revelou que cartolas do Corinthians, entre os quais o atual presidente, mantém contas e empresas sediadas no exterior, desde o Panamá até Delaware/EUA, local em que parceiros comerciais do clube, alguns obscuros, possuem escritórios, como a ‘Apollo Sports’, ‘Timão Coin’ e a ‘Go Sports’.

Excetuando-se a cúpula diretiva do Timão, nenhum conselheiro do clube, apesar da recente realização de reunião, foi consultado ou avisado sobre a mudança de gestor da Arena de Itaquera.

A Apex negou-se a comentar ‘negócios particulares’.

Não obtivemos resposta dos demais envolvidos, nem do Corinthians, que recusa-se não apenas a falar com o Blog do Paulinho, mas também, como reza a cartilha da ‘democracia’, a permitir nosso acesso a qualquer evento ou entrevista do clube.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: